Texto : Douglas Freitas

Já estamos com muitas saudades do Queremos Festival, saímos da Marina da Glória com todas as expectativas superadas. O Queremos se confirmou como um dos grandes festivais pelo continente não só pelo line-up incrível com uma curadoria atenta aos ouvidos consumidores de música mas também pela organização, estrutura e principalmente pelo legado deixado para o povo carioca ocupando um dos lugares mais bonitos do mundo com os seus 2 palcos praticamente beijando a Baía de Guanabara, aqui vão alguns (precisaríamos de 1 semana para destacar todos) destaques:

LUEDJI LUNA: Que coisa linda de se ver, Luedji Luna é a voz do futuro e o show da baiana é tecnicamente impecável. A vibe foi delicada o público estava atento a cada movimento e cada batida no tambor de sua banda, foi maravilhoso.

DUDA BEAT: A Rainha da sofrência pop chegou com presença cantando seu disco de estreia “Sinto Muito” totalmente à vontade em sua casa tocando seus maiores sucessos “Bixinho” e “Chapadinha na praia”.

JADE BARALDO: Não conseguimos nos mover, ficamos atônitos ao show da catarinense de 20 anos, que trouxe uma banda maravilhosa, com bailarinos, uma presença de palco muito boa e a música melhor ainda, grata surpresa.

GAL COSTA: É amor da cabeça aos pés e foi com essa música que a cantora abriu o show, tocando ainda a música “Motor” composta por Teago oliveira da Maglore e sua nova canção “O que que há”.

CRIOLO: Um show de outro planeta, a energia que acontece no show do paulistano do Grajaú não é desse mundo, foi uma catarse, o cantor se movimenta o tempo todo, gesticula, agradece sozinho pela simples oportunidade de estar vivo e cantando sua verdade, em vários momentos o cantor levou as mãos aos céus e agradeceu, que entrega! O público cantou junto a música nova ETEREA e se rendeu mais uma vez a “Não existe amor em SP”.

BACO EXU DO BLUES: Baco é uma das grandes vozes do rap brasileiro, ganhando mais força com seu disco de estreia lançado no ano passado “Bluesman”. O show durou cerca de 1 hora e meia. Destacamos o momento em que o cantor cantou “Me desculpa JAY-Z” momento esse que o público cantou juntinho com as luzes ligadas transformando o festival numa constelação.

PRODUÇÃO: Impecável organização, equipe em harmonia, fomos muito bem recebidos, não só nós como outros canais de mídia. Estrutura montada com 2 palcos, espaço para gastronomia, localização bem planejada gerando o que mais se espera de um festival – integração de tribos, pessoas felizes e muito amor no ar.

Obrigado queremos pela oportunidade de viver isso de perto.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui