Os mais jovens não vão se lembrar, mas nos primeiros anos como Prefeito, Cesar Maia (DEM) adorava criar um factoide. Dizia que assim estaria sempre em voga e ganhou um apelido (carinhoso, até): Prefeito Maluquinho. Por que será? Os anos se passaram e Cesar deixou de lado essa versão, digamos singular, e passou a atuar com o que de fato importa. Todavia, como todo bom fantasma do passado, parece que este também voltou para nos assombrar.

Semana passada, em reportagem da Revista Veja, Cesar diz que será candidato ao Governo do Rio de Janeiro, na próxima eleição. Quem olha rápido irá pensar que é uma grande mexida no tabuleiro, afinal, na última eleição para o Senado obteve quase 2,5 milhões de votos. Um capital político de considerável importância e de dar inveja em muita gente. Ressalte-se que na eleição de 2020, ele concorreu a Vereador e obteve 54 mil votos sem sair de casa. Um feito e tanto.

No meio disso tudo, seu (neo) grupo político, diga-se Eduardo Paes (PSD), já lançou Felipe Santa Cruz como pré candidato e insiste em seu nome (mesmo já tendo aventado rapidamente o nome de Daniel Soranz). Então como Cesar, membro deste grupo, se lança candidato? Ninguém sabe nada? Segundo ele, foi conversado com seu grupo. Paes não se manifestou sobre o assunto.

Agora, a partir de uma análise mais detalhada, vamos ao histórico de Cesar nas últimas eleições regionais. Em 2010, 2014 e 2018, ele se colocou como pré candidato ao Governo, chegando, inclusive, a montar equipe e Programa de Governo. Na hora H desistiu e veio candidato ao Senado. O resto é história e, infelizmente, hoje é apenas um Vereador carioca.

É difícil cravarmos que ele será candidato ao Governo, seu próprio histórico mostra isso. Se for candidato ao Senado, terá de concorrer com pesos pesados como Washington Reis, André Ceciliano e Romário – o algoz que tirou sua vaga em 2014. Tomara que ganhe Cesar, afinal, é o político mais bem preparado deste estado e que melhor poderá nos representar em Brasília.

Mas o ponto é: afinal de contas, por quê Cesar lançou mais este factoide? Disputa interna com Eduardo Paes? Dizem as más línguas que até hoje ele não esqueceu o que Paes fez no passado. Os próximos capítulos desta história prometem boas especulações, mas que o velho quer marcar posição, ah quer.

1 COMENTÁRIO

  1. Quem não se lembrar dele, na campanha bastará lembrar ao eleitor quem é o filho dele. Se não conseguiu administrar os procedimentos do filho, vai fazer o que com o Estado do Rio de Janeiro?
    Já era, não ganha nem para o café!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui