Quintino: Cláudio Castro é um bom governador?

Afinal, o governador Cláudio Castro tem feito um bom governo no Rio de Janeiro? Quintino Gomes Freire acha que sim e explica o porquê

Foto: Rogério Santana

Cláudio Castro era o vice possível para um governador improvável. Escolhido em virtude da total falta de opção do PSC do Pastor Everaldo em fazer alianças, Castro era vereador de 1º mandato e, além de cantor católico, tinha sido assessor de alguns parlamentares, em especial o deputado estadual Márcio Pacheco, que o apoiou como vereador. O próprio Pacheco nunca foi nenhuma grande estrela na Alerj; conseguiu alguma luz quando Wilson Witzel foi eleito, mas mesmo assim não conseguiu ser presidente da Alerj ou ter mais que um destaque temporário.

Claro que tínhamos de ficar com o pé pelo menos um pouquinho atrás quando do impeachment de Witzel, ele próprio também inexperiente. Naturalmente, ficamos com pé atrás com o nome até então desconhecido de Cláudio Castro assumindo um estado complicado e decadente como o Rio de Janeiro, no meio de uma pandemia, crise econômica, um presidente da República meio bipolar e uma situação frágil na Alerj. E nessa época inicial, mereceu o apelido dado por mim, de Claudicante Castro, por conta da demora nas decisões, uma certa falta de firmeza e uma dificuldade em dar uma cara definida a seu governo.

Mas, com o passar dos meses, deu para observar uma clara melhora no governo e na sua forma de conduzir as coisas, fazendo ele até sua própria reforma do secretariado. Foi perfeita? Longe disso, e acabou criando no estado do Rio um verdadeiro parlamentarismo. A partir daí, todas as secretarias passaram a pertencer a um partido ou a um feudo político, e com isso trazendo os problemas e mas também os claros benefícios disso. Não é por acaso que o ex-governador Anthony Garotinho disse que Castro é um homem bom, mas que é cercado de laranjas podres.

Castro é ainda cercado de alguns problemas que não têm ajudado muito à sua popularidade. De certa forma pode-se dizer que é ajudado por sua conexão com o presidente Jair Bolsonaro, que é do mesmo partido. Mas não chegam a ser aliados 100% alinhados (verdade seja dita, Bolsonaro só é aliado dos filhos) e ainda assim isso acaba gerando uma certa má vontade quando seu nome é citado, somado com uma crescente indisposição dos fluminenses com qualquer político; seja ele bom ou ruim.

Só que ele vem se mostrando um bom governador, e por vários motivos. Talvez o principal tenha sido a bem sucedida “privatização” da CEDAE. Para isto, não bastava só a vontade: parte da população era contra, muitos deputados eram contra, e ninguém de verdade sabia direito qual seria o desfecho. Acabou sendo bem-sucedida, graças a uma liminar obtida pelo deputado Alexandre Freitas e ao incansável trabalho do secretário Nicola Miccione; e, melhor, o estado do Rio conseguiu vender as concessões, em blocos, com um ágio enorme. Mais que isso: além da grana preta que choveu no Tesouro, as novas concessionárias já começaram a empregar muitas centenas de pessoas e a empreender o processo de limpeza de rios, lagoas e das nossas baías; só isso já bastaria para elogiarmos Castro.

Já na segurança, um dos principais problemas do estado, a coisa pode não estar perfeita ainda, mas vai caminhando muito bem. Morte de policiais já não são tão comuns quanto antes. O programa Segurança Presente e outros programas similares tem funcionado muito mais que a contento. Roubo de cargas cai a cada dia. O programa Cidade Integrada ainda não dá para termos uma opinião empírica, mas começou bem e parece que poderá ter um destino melhor que as UPPs. E é de se elogiar a conduta do comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Leandro Monteiro.

Outros postos que trazem boas notícias estão na secretaria de Desenvolvimento Econômico, com Vinicius Farah, cujo trabalho é muito elogiado por vários empresários. O trabalho com os pets que ganhou destaque nesse governo está na mão do secretário de Agricultura e Animais, Marcelo Queiroz, que com um inovador projeto de castração pode gerar resultado por muitas gerações. E, um trabalho que ganha sucessivo destaque, é o do presidente do Procon-RJ, Cássio Coelho, que mesmo com todas as limitações orçamentárias, consegue se posicionar e defender o direito dos consumidores do estado inteiro, e é um dos órgãos de defesa do consumidor mais atuantes de todo o país.

Em geral, creio que Claudio Castro esteja sendo um bom governador: conseguiu vencer a inexperiência em cargos executivos de forma bem rápida. A comparação com os anteriores chega a ser injusta, e lembrando que durante o governo Cabral e Pezão choveu dinheiro no estado, e mesmo assim deu no que deu. Há problemas? Claro, muitos, mas o governador está conseguindo passar pelas provações de forma a projetar o Rio de Janeiro para uma nova centralidade mais que merecida.

Advertisement

21 COMENTÁRIOS

  1. Tenho mais afinidade com os partidos de esquerda, não gosto do atual presidente a república,mas reconheço o que o governador Cláudio Castro vem fazendo no Estado…
    Acredito que seja o melhor governador dos últimos anos com certeza…
    Me parece ser um cara sério e comprometido com o Estado e sua população…
    Só dele ter batido o pé em dar o merecido reajuste aos funcionários públicos e ter recuperado os territórios do jacarezinho e da muzema sem a matança costumeira já é motivo de aplausos…
    E ele ter ido até o jacarezinho e ter conversado com as lideranças da comunidade, ter alocado um orçamento para fazer o saneamento básico de lá, me deixou de fato impressionado…
    Torço para dias melhores para o nosso estado…

  2. Outro secretário do governo Cláudio Castro que me parece fazer um bom trabalho é o Gustavo Tutuca, titular do Turismo. Suas ações nessa área se destacam, e parece que ele entende que turismo é uma indústria que pode salvar as finanças do estado.

  3. É da mesma turminha honesta do Witzel. Pior que eles Só a turminha do Paespalho. RJ um estado decadente, assim como é a cidade do Rio! Fluminenses e Cariocas estão na mais profunda shit!!

  4. Ganhou uma oportunidade de ouro pra fazer um belo governo. De repente sabemos que fez contrato com uma firma de quentinhas para detentos, useira e vezeira em ladroagem. Rolou um dinheirinho, governador? O Garotinho dizer que ele é bom, também preocupa. Enfim, perto dos passados o governo do C. Castro beira o razoável. Mas, pra mim, ainda está no período de carência

  5. Olá a todos! Sou um crítico contumaz da política brasileira, e relativo ao Estado do Rio de Janeiro então… nem me fale! Porém, de forma realista e isenta – já que abomino o PL só por ter o presidente de partido que tem, além do agregar o atual Presidente da República -, reconheço ações objetivas e concretas do atual Governador fluminense. Justificando meu argumento, destacando: a SEGURANÇA não se resolve “da noite para o dia”, e o programa Cidade Integrada até aqui apresentou inegável virtude de, pelo menos, não se anunciar de forma agigantada e precoce, como a fracassadas UPPs. A “falta de divulgação” antecipada é plenamente justificada pelo sigilo inerente a este tipo de ação pública, acho. Vejo também o programa Sempre Presente sendo apoiado e sem risco de sofrer abandono pela gestão do Estado; a ECONOMIA e o EMPREGO poderão se beneficiar já neste ano com a privatização bem-sucedida da CEDAE, um famigerado cabide de empregos e feudo corporativista de sindicatos e partidos de esquerda. Ainda neste setor, a administração dos recursos dos Royalties do petróleo tem sido feita com justeza e transparência. Devemos acompanhar pelos canais de divulgação os primeiros resultados do que vem sendo implantado e anunciado como ação a curto prazo para julgar com isenção. Até porque o momento atual do Estado do Rio precisa de atenção e responsabilidade. E, sinceramente, discursos recentes de ex-governadores que nada fizeram ou ainda fazem de danoso ao Estado devem ser prontamente desconsiderados. Ou seja, vamos aos fatos e buscar o MELHOR VOTO POSSÍVEL!

  6. Projeto de castração de pets?!?! Isso é coisa de secretário municipal! Como vai a agricultura no estado do Rio? Importamos tudo de São Paulo e Minas. A produtividade agrícola melhorou? A mesma coisa na indústria. E a indústria do turismo? Melhorou?

  7. É mediando… esforçado. E vem se arrastando, para isso, teve que arrumar vaga para muitos indicados em cargos do segundo e terceiro escalão do governo até abrindo vaga na casa legislativa para alguns coisas ruins.
    Mas de longe é melhor que das últimas duas décadas, que tenho memória.

  8. Sim, acredito que ele é bem esforçado, pegou uma administração aos frangalhos, e lógico, teve difiuldades em monta secretarias, mas parece aprender rapidinho, e está sempre se mexendo, e ouvindo os lados. E me parece ser um cara do bem.

  9. “Cláudio Castro é um bom governador?”

    Oras, evidente que não!

    Pergunte a qualquer Carioca se ele se sente seguro andando pela cidade.

    Pergunte se o Carioca tem esperança de ter emprego e comida decente na mesa.

    Se o RJ com uma das maiores e mais antiga rede pública de saúde do país dá conta do Covid.

    Se o achacamento que o governo federal faz do Estado através de dívidas dá esperança que haverá desenvolvimento econômico por aqui.

    Se pagar mais caro pela água é bom.

    Se o clientismo de secretarias trouxe benefícios para o carioca ou só para os da negociata.

    É, se “bom” é isso…Um sarrafo tão baixo, eu nem imagino o que seja péssimo. O governo federal, com certeza.

    • Querido.
      O fato sa Segurança Pública do Estado do RJ estar nesta situação NÃO encontra justificativa não simplista.
      A questão do “achacamento” do Governo Federal no Estado dar esperança (!?)
      Que afirmação mais estapafúrdia!!!!!
      O Governo Federal, das receitas que extrai do Estado, retorna ao RJ muito aquém do que deveria como justo. Não chega a 15%.
      Os bascos na Espanha recebem muito mais (25%) do Governo Central deles (equivalente ao nosso Federal) e acham pouco e lista entra às razões separatistas isso.
      A Polícia Federal tem atribuição na Constituição quanto ao combate do crime organizado com repercussão interestadual… Mas absoluta e historicamente se omite faz muito pouco. Drogas, armas movimentação financeira… Tudo isso que as facções criminosas que tem ramificações por todo o país. Mas a Polícia Federal nunca atuou combativamente.
      Cadê uma lava-jato contra essas facções criminosas?
      Enquanti isso as Polícias estaduais vão enxugando gelo e tendo o Orçamento da Segurança Pública na maior parte, no planejamento e execução operacional destinado ao combate das drogas…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui