Uma iniciativa da rádio Roquette-Pinto (94,1 FM), com apoio da Subsecretaria de Comunicação Social do Governo do Estado, começa a dar mais visibilidade a artistas do interior do Rio de Janeiro. Com o objetivo de contribuir para que toda essa potência cultural possa ser conhecida pelo grande público, a emissora abre seus microfones para que músicos fora do restrito circuito cultural da capital fluminense possam apresentar seus trabalhos.

O programa matutino Giro RJ, com noticiário voltado exclusivamente para o público do interior do estado, tem oferecido essa oportunidade aos artistas também da Baixada Fluminense e Região Metropolitana do Rio. Na atração jornalística, que vai ao ar diariamente de segunda à sexta entre 8h e 9h – horário nobre do rádio –, os artistas podem divulgar suas músicas na Roquette-Pinto, que tem abrangência estadual pelo dial 94,1 FM e plataformas on-line, como o site e o aplicativo da emissora.

O Giro RJ tem como foco principal a valorização do interior fluminense.

Valorizar o interior do Estado é um dos compromissos do Governo. Incentivar a cultura, ainda mais nesse momento de pandemia, é fundamental para ajudar os artistas. É a Roquette voltando às suas origens, a origem do rádio de levar à população a educação e a cultura – pontuou a subsecretária de Comunicação Social do Governo do Estado, Denise Ribeiro.

O subsecretário-adjunto de Comunicação Social do Governo do Estado, Igor Marques, destaca a capacidade e qualidade musical dos artistas do interior.

Tivemos a ideia de criar o Giro RJ como uma forma de valorizar mais o interior do Estado, que tem um potencial cultural e produtivo enorme – enfatizou.

Reformulação da rádio

A iniciativa de dar visibilidade aos artistas desconhecidos do grande público é apenas uma das que integram a reformulação da rádio buscando a valorização cultural e educacional.

Fico muito feliz ao saber que os ouvintes já se referem à Roquette-Pinto como a rádio da oportunidade. Porque é justamente essa a missão de um veículo público, voltado para educação, cidadania e prestação de serviços. Ser vitrine para os verdadeiros representantes da identidade do Rio de Janeiro, sua cultura, seus artistas, seus talentos, para todo o povo fluminense. Estamos cada vez mais conectados a todas as regiões do estado – destaca o diretor-presidente da emissora, Thiago Gomide.

A oportunidade dada pela Roquette-Pinto é comemorada pelos artistas. Felipe Gomes Ciprian, de 32 anos, morador de São Gonçalo, não conteve a emoção ao ouvir sua música tocada pela primeira vez no rádio.

Eu fiquei muito feliz. Fiquei sem palavras. Sou compositor há 15 anos e nunca havia lançado uma música com minha interpretação. Na primeira vez, já tocou na rádio, e as pessoas começaram a me procurar para saber da música. Eu ainda não havia lançado oficialmente e tive que antecipar no YouTube. Está dando muitos resultados e facilita o lançamento nas plataformas de streaming de música – enfatizou o autor de “Herdeira”, que é uma homenagem à filha.

Apresentadora do programa, a jornalista Gabriela Hilárioessalta outra ação dentro do Giro RJ, que dá visibilidade multimídia aos profissionais da música.

No ‘Talentos do Interior’, o público pode escolher nas redes sociais, durante a semana, qual artista quer ouvir de determinada região. Assim, os profissionais também ganham notoriedade nas redes. É um momento muito especial e alegre, pois os artistas se sentem valorizados e prestigiados. É muito bom poder contribuir com este espaço – enfatizou a apresentadora.

Mesmo quem está há muito tempo na estrada comemora a possibilidade de ter sua música tocada em uma rádio. Formado há 24 anos, o Trio Júlio, formado pelos irmãos Magno Júlio (percussão) e os gêmeos Marlon Júlio (violão 7 cordas) e Maycon (bandolim), é um grupo instrumental que mistura em seu repertório choro e samba com diversos gêneros e ritmos brasileiros. Segundo Marlon, de 32 anos, conseguir divulgar o trabalho em um veículo de comunicação não é fácil.

Ter uma música na rádio não é simples e sabemos a importância deste veículo ainda mais aqui no interior. Fiquei muito feliz com a oportunidade. Acho que é um importante estímulo para os profissionais, ainda mais para quem está começando. Potencializa nosso trabalho e dá até mais vontade de produzir – destacou o músico do trio de Cordeiro, na Região Serrana.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui