Reabertura do Canecão pode ser definida na próxima semana

Fechado desde 2010, o Canecão vive momentos decisivos para sua reconstrução

Canecão (Foto: Brenno Carvalho)

Famosa casa de espetáculos da cidade, o Canecão pode ter sua situação definida na próxima semana, em votação na Câmara Municipal do Rio. Na terça-feira que vem (07/12), os vereadores discutem em segunda discussão, o projeto de lei complementar que permite a reconstrução do local, no campus Praia Vermelha da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), em Botafogo, na Zona Sul da cidade.

A medida, enviada ao legislativo municipal pela Prefeitura em agosto, propõe modificar o zoneamento urbano do local para fins culturais, o que hoje é vedado por uma lei de zoneamento urbano de 1986.

Depois de ser aprovado por unanimidade, em primeira discussão, na última terça-feira. Os vereadores se comprometeram a apresentar, antes da votação em segunda discussão, um substitutivo ao texto para ajustar alguns pontos, o que deverá acontecer antes do início da sessão desta quinta-feira.

O texto da proposta diz que a aprovação projeto irá “estabelecer condições para a reconstrução de equipamento cultural multiuso com casa de espetáculo no Campus Praia Vermelha da Universidade Federal do Rio de Janeiro de forma a restituir à Cidade equipamento cultural com importância relevante na cena cultural carioca”.

Fechado desde 2010, o Canecão tinha a irregularidade como principal entrave às iniciativas de reabertura do espaço. O mesmo não poderia ter sido usado para fins culturais. Uma restrição na lei de zoneamento municipal de 1976 proíbe erguer estabelecimentos de diversão no endereço, em Botafogo, o que muda, caso o projeto atual seja aprovado na Câmara.

3 COMENTÁRIOS

  1. Considero até como sendo minhas as ideias e o patriotismo urbano do comentarista autodenominado NEOLIGHT. Muito lúcido, muito curto-claro-rápido-objetivo. Os nossos políticos não são bem nossos…Imaginem se é cabível colocar o nome do Maracanã como Estádio Edson Arantes do Nascimento. É claro que o Vereador propositor deve ter recebido algum tipo de incentivo para propor uma ideia tão antipatriótica-municipal desse tipo. É o cúmulo. A nação (rubro-negra mesmo) e guanabarina apenas assiste essas loucuras… esses descalabros … esses cinismos… estupefata…
    Assim, parece até que a ideia de destruir o Canecão e o Museu Nacional veio de fora do Município do Rio de Janeiro… e, ao que tudo indica, tem método, faz parte de um manual.

  2. Por 11 anos a burocracia da UFRJ consegue o que queria: manter o Canecão nos braços do POVO! Parabéns, UFRJ, por destruir a casa e acabar com uma opção cultural do Rio de Janeiro. Moveram céus e terras para fechar o local, com manifestações políticas do PT e do PSOL, com alto grau de populismo barato “pelo resgate ao povo”. Taí! Agem como uma máquina de destruição de empregos e de negócios. Depois lutam por mais ESTADO, pedindo mais orçamento. Triste e revoltante.

    A Câmara dos Vereadores é sempre atrasada para este tipo de projeto, sempre demora para caramba pra tomar uma atitude. Mas para gerar moções de louvor, distribuir medalhas Pedro Ernesto e pra produzir leis discutíveis como se fosse máquina de xerox… aí ela sempre é rápida.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui