Cemitério São João Batista | Foto: Marcos Tristão

Segundo dados do Portal da Transparência do Registro Civil, plataforma de dados que mostra nascimentos, casamentos e mortes registrados em cartórios de Registro Civil brasileiros, o estado do Rio alcançou um triste recorde durante a pandemia: entre março de 2020 e fevereiro de 2021, foram mais de 177 mil mortes — um aumento de 39,9% em relação à média e o maior número desde o início da série histórica, em 2003.

Nesse ano de pandemia, foram registrados 177.165 óbitos. Isso significa 50.536 a mais do que a média nos mesmos períodos em 17 anos. O aumento no estado do Rio teve números mais drásticos que o país como um todo.

E 2021 começou ainda mais preocupante: só em fevereiro, foram registradas 12.467 mortes, o maior número de mortes série histórica do estado. Foram quase 3.000 a mais que a média para o mesmo mês desde 2003. Na comparação com fevereiro do ano passado, o crescimento foi de 10,8%.

Vale destacar que os números incluem todas as mortes, sejam elas por acidentes ou por doenças como a Covid-19.

2 COMENTÁRIOS

  1. Isolamento social impacta diretamente na saúde da população. Criaremos mais mortes adicionais pelo isolamento do que pelo COVID-19 – sem recusar a sua gravidade. Mas políticos ignoram os efeitos sobre o que não se vê. Criou-se uma blindagem de que a quarentena irrestrita é uma verdade absoluta da ciência, imutável, e por isso chegamos a um ano insistindo na mesma medida sem benefícios práticos. E vêm muitas mortes por aí mesmo quando isso se encerrar.

  2. Cadê os dados completos? Aqui é dito todas as mortes. Então ,além do covid, foi computado as outras doenças que o cidadão não procurou atendimento por medo de sair de casa ou por o hospital não estar fazendo as cirurgias eletivas. Tratamentos interrompido de câncer, por exemplo, entre outas doenças. Ai está também mortes por suicídio que não deve ter sido pequena, pois as pessoas estão presas dentro de casa por muito tempo. violência domestica. etc…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui