Fachada do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho - Foto: Divulgação

Desde o início da pandemia da Covid-19, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) tem estado bastante ativa no enfrentamento à doença, elaborando ações e estratégias para combatê-la.

O Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF/UFRJ), umas das referências contra o Coronavírus e que atingiu, no último dia 18/09, o milésimo caso da doença, segue atuando na melhoria de sua estrutura para receber pacientes graves que tenham contraído a Covid-19.

Em março, a direção do HUCFF determinou a criação do Gabinete de Crise, composto por representantes de cada uma das áreas médicas do hospital. O gabinete passou, então, a comandar as ações que envolviam a produção de informações a partir dos dados clínicos e administrativos, analisando informações, elaborando relatórios e coordenando futuras ações.

”A criação do Gabinete de Crise foi fundamental para manter a ordem durante o pico da pandemia. Diariamente, debatíamos qual seria o próximo passo, e isso nos manteve firmes e atuantes em meio à grande demanda. O Hospital do Fundão atendeu mais de mil casos [dentre suspeitos e confirmados]”, destacou Marcos Freira, diretor do HUCFF.

Devido ao aumento no número de casos de internação por Covid-19 no estado, a direção do hospital deu início a parcerias para ampliar a estrutura física do HUCFF e deixar um legado pós-pandemia à população do Rio de Janeiro, com doações da Fundação Coppetec e Fundação Universitária José Bonifácio (Fujb).

O Movimento União Rio colaborou com a readequação de 60 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 110 de enfermaria, entregues nos primeiros 100 dias de pandemia.

Além disso, houve também a contratação de 658 profissionais, entre corpo médico, enfermeiros e assistentes administrativos. Vale ressaltar que 50% deles atuarão no hospital até dezembro de 2020.

”No início da pandemia, perdemos 30% da nossa força de trabalho por causa da COVID-19, entre licenças, pessoas que estavam no grupo de riscos e doentes. A contratação de pessoal nos permitiu manter uma boa oferta de leitos no pico da pandemia”, disse o diretor do HUCFF.

A parceria com o Movimento União Rio resultará, ainda, na reforma de 128 consultórios médicos – destes, 62 consultórios estão desativados atualmente. A estrutura de esgoto e água será totalmente remodelada para voltar a atender os pacientes a partir do fim de novembro de 2020.

”A reforma desses 128 consultórios médicos se fazia urgente. E, graças ao Movimento União Rio, nós estamos conseguindo prover essa melhoria através de doações. Tivemos que remanejar o atendimento todo para outros andares, alteramos a rotina de visita, mas as obras terminam no final de novembro e tudo volta para o lugar”, disse Freire.

O HUCFF também ganhou a instalação de 100 câmeras, posicionadas estrategicamente no subsolo (as gravações são monitoradas 24 horas por dia na Inspetoria da Seção de Vigilância), a emergência que atende pacientes com Coronavírus e outros setores importantes, como o Centro de Terapia Intensiva (CTI), onde estão internados enfermos com Covid-19.



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

Raphael Fernandes

Raphael Fernandes é jornalista, baixista e apaixonado por futebol. Integra a equipe do DIÁRIO DO RIO desde fevereiro de 2019 e, paralelamente, atua como repórter no radialismo esportivo carioca.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui