Sala do COR / Foto: Marcelo Piu

O trânsito do Porto Maravilha, na região Central do Rio de Janeiro voltou a ser monitorado pelo Centro de Operações Rio. A sala de comando do COR já consegue captar o sinal de 50 equipamentos, após 9 meses de inoperância. Em breve, mais telas serão adicionadas e acionadas para fazer uma melhor observação das condições da região portuária.

O chefe executivo do COR, Bruno Ramos, solicitou aos representantes da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação (SMDEIS) e da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp) o recebimento das imagens das região para melhorar as condições de transito na região, além de auxiliar em possíveis emergências. Desde que foi revitalizada, a região portuária era monitorada pela Prefeitura, ainda na 1ª gestão de Eduardo Paes, quando foram construídos os túneis Rio 450 e Marcello Alencar, e foi inaugurado o Museu do Amanhã. Até então o Centro de Operações Rio recebia as imagens das principais vias, e, com base nesse material, a CET-Rio ajustava os sinais de trânsito, por exemplo, uma vez que as plataformas eram integradas.

A região do porto do Rio é gerida pela Cdurp, que contratou a concessionária Porto Novo para realizar os serviços de manutenção da área e dos túneis Rio 450 e Marcello Alencar.

Para Bruno Ramos, chefe executivo do COR, dispensar um atenção especial à região portuária do Rio é muito importante sob o ponto de vista estratégico. “Essa é uma região muito importante para a cidade do Rio de Janeiro. O retorno dessa parceria é estratégico para o COR, potencializando a nossa operação e a mobilidade“, enfatizou Ramos.

O chefe executivo do COR, Bruno Ramos, solicitou aos representantes da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Inovação e Simplificação (SMDEIS) e da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp) o recebimento das imagens das região para melhorar as condições de transito na região, além de auxiliar em possíveis emergências. Desde que foi revitalizada, a região portuária era monitorada pela Prefeitura, ainda na 1ª gestão de Eduardo Paes, quando foram construídos os túneis Rio 450 e Marcello Alencar, e foi inaugurado o Museu do Amanhã. Até então o Centro de Operações Rio recebia as imagens das principais vias, e, com base nesse material, a CET-Rio ajustava os sinais de trânsito, por exemplo, uma vez que as plataformas eram integradas.

A região do porto do Rio é gerida pela Cdurp, que contratou a concessionária Porto Novo para realizar os serviços de manutenção da área e dos túneis Rio 450 e Marcello Alencar.

Para Bruno Ramos, chefe executivo do COR, dispensar um atenção especial à região portuária do Rio é muito importante sob o ponto de vista estratégico. “Essa é uma região muito importante para a cidade do Rio de Janeiro. O retorno dessa parceria é estratégico para o COR, potencializando a nossa operação e a mobilidade“, enfatizou Ramos.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui