O grupo Folclórico de Folia de Reis Flor do Oriente, é uma das folias mais antiga do Brasil em atividade. Fundado em 1872 em Minas Gerais e com sede no bairro Vila Rosário, em Duque de Caxias, tem a responsabilidade de manter viva essa tradição que chegou ao Brasil no Século XVI junto com a colonização. Tombada em 2016 como Patrimônio Cultural e Imaterial do município de Duque de Caxias, este foi o único reconhecimento feito pelo município durante todos esses anos. Outras cidades da Baixada como São João de Meriti, Mesquita, Belford Roxo, Guapimirim e Queimados também possuem folias. Em São João de Meriti, mestre Pedro da Folia de Reis Estrela do Oriente Deus é o Nosso Guia – única grupo da cidade – vai receber uma homenagem hoje (06/01) pelos seus 83 anos de vida e 60 de dedicação a essa expressão cultural. A folia irmã de Belford Roxo fará a homenagem e colocará o palhaço para dar seus giros pelas ruas do bairro Vila São José.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

A cultura da Folia de Reis representa a viagem dos três Reis magos Belchior, Gaspar e Baltazar até o local de nascimento do menino Jesus. É uma tradição que chegou no Brasil no Século XVI com os portugueses, mas possuí origem Medieval e ganhou significado religioso. De casa em casa vão citando trechos bíblicos, cantando, abençoando com o estandarte do menino Jesus e refazem o caminho como se fosse o encontro dos Magos com Jesus. Após as rezas, mensagens de paz e alegria as famílias visitadas agradecem as bênçãos recebidas no ano anterior e oferecem água, alimentos e doações em dinheiro para a folia seguir caminhando.

No reisado Flor do Oriente, os regulamentos são severos. Quem participa do cortejo, não pode se sentar, não pode fazer corpo mole, nem beber água, enquanto o mestre não mandar. No dia 24 de dezembro, a folia abre a bandeira na Igreja São José Operário e de lá vai para a casa do primeiro devoto. A Flor do Oriente só descansa depois da Festa do Arremate, em abril, quando folias de toda a região se reúnem. Em 2021, o Reisado Flor do Oriente completa 150 anos de atividade e resistência e a família Vicente de Moraes tem a responsabilidade de carregar a tradição que o mestre Manoel trouxe das Minas Gerais em 1944.

O Flor do Oriente resiste, portanto, há cinco gerações. O Mestre Rogério Silva de Moraes, a Alferes Leonor Sant’anna passam para filhos, netos, sobrinhos primos a tradição e herança que receberam. A penúria das folias se deve a falta de patrocínio, quer do Poder Público, quer das empresas. Em declarações publicadas em um jornal carioca, mestre Rogério, lembrou que o grupo de 30 pessoas que consegue manter aquela folia viva e atuante tem de contribuir do próprio bolso para a manutenção de instrumentos e confecção das fantasias. “Às vezes, a gente consegue uma ajuda de custo para as apresentações, mas é muito difícil” explica. Em outros casos contam com apoio de movimentos culturais e de artistas e militantes atuantes da área como a madrinha Sílvia de Mendonça, atriz e jornalista. Hoje (06/01) é Dia de Reis e a Flor do Oriente e suas irmãs estarão nas ruas da Baixada Fluminense, cantando, dançando e rezando. Quem sabe não esbarre ou entre na casa de alguma autoridade e os Santos Reis façam um milagre?

INFORMAÇÕES

Endereço:
Rua Filinto Almeida, 429, Vila Rosário – Duque de Caxias, RJ.
Telefone: (21) 3663-5457 / 99325-3602 (Rogerio ou Nora)
Email: rogerionora_flordooriente@hotmail.com

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui