Relógio do Largo da Carioca - Foto: Marcos de Paula / Prefeitura do Rio

Quem passa pelo Largo da Carioca, especialmente em hora cheia, já deve ter reparado que o relógio histórico do largo foi restaurado e agora toca uma música de hora em hora. A restauração foi bancada pelo Condomínio do BNDES, e custou R$ 388 mil, e feita pela AQ Engenharia e durou seis meses, com a participação da Gerência de Monumentos e Chafarizes da Prefeitura do Rio. O trabalho incluiu reprodução de peças de ferro fundido, consertos na pedra e polimento das partes com ferrugem.

Há quase duas décadas o relógio não tocava as canções devido a problemas técnicos, vandalismo, furto de peças e desgaste natural. É uma música diferente para cada hora redonda, das 7h às 21h, num repertório variado que permeia da clássica “Aleluia”, de Haendel, à marchinha “Tá chegando a hora”, de Rubens Campos e Henricão, passando por “Cidade Maravilhosa”, de André Filho; “Asa Branca”, de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira; “Valsa de uma cidade”, de Ismael Netto e Antonio Maria, e As Bachiana no 5 de Villa Lobos. Como já era tradição, às 18h toca Ave Maria, de Gounod. A sequência é sempre a mesma da última reforma da peça, em 1999, que passou a marcar as horas por toques de sino.

O relógio faz parte da história do Rio e do Brasil, e desde 1983 é tombado pelo Instituto Estadual de Patrimônio Cultural (Inepac), que colaborou com a restauração, acompanhando e orientando a reforma.

Cada vez mais, o Shopping Paço do Ouvidor se fortalece como ponto de encontro no Centro do Rio. Passa no Paço.

História

Relógio do Largo da Carioca – Foto: Marcos de Paula / Prefeitura do Rio

O monumento é de 1909 e era originalmente um lampadário decorativo, composto por peças ornamentais feitas em ferro fundido. Foi o segundo do Rio, pois o primeiro lugar da cidade a ganhar esse tipo de iluminação pública foi a Lapa, em 1906, na então Avenida Central, atual Rio Branco.

Vera Dias, gerente de Monumentos e Chafarizes da Prefeitura disse que, para facilitar futuros trabalhos de recuperação e restauração, toda a peça está sendo escaneada em três dimensões. Uma equipe de digitalização de patrimônio, munida inclusive de drone, tem colhido imagens do monumento.

A igreja (convento de Santo Antônio, no mesmo largo) é uma construção que já chama atenção e ter mais esse elemento na praça, sobre o desenho de pedras portuguesas de Burle Marx é muito importante para a cidade e para a autoestima do carioca — aponta a gerente de monumentos, que destaca a importância da parceria e a adoção do Monumento pelo BNDES.

Horários e Canções

Relógio do Largo da Carioca – Foto: Marcos de Paula / Prefeitura do Rio
  • 7h Aleluia
  • 8h Asa Branca
  • 9h Cidade Maravilhosa
  • 10h Trenzinho Caipira
  • 11h Valsa de uma Cidade
  • 12h Jesus Alegria dos Homens
  • 13h Aquarela do Brasil
  • 14h Tico Tico no Fubá
  • 15h Cidade Maravilhosa
  • 16h O Guarani
  • 17h Bachianas Brasileiras no 5
  • 18h Ave Maria
  • 19h Luar do Sertão
  • 20h Prenda Minha
  • 21h Tá Chegando a Hora.

3 COMENTÁRIOS

  1. De que adianta o relógio novinho em folha, se o Largo da Carioca continua o chiqueiro de sempre ?

    Houve uma época em que os jardins, praças, largos e caminhos da cidade do Rio de Janeiro continham belos gramados…

    Hoje só temos praças de granito, como a Praça Mauá, ou praças de concreto, como a Praça XV, ou o calçadão de pedras portuguesas, como o do Largo da Carioca…

    Quem são estes espetáculos de paisagistas, que inventaram praças, largos e caminhos de granito, de concreto e de pedras portuguesas por nossa cidade ? São verdadeiros gênios, que bolaram estas interessantes propostas paisagísticas, que realmente amenizam o calor tórrido que faz nesta cidade ! Parabéns !!!

    Prosseguindo:

    Fica muito difícil transitar pelo Largo da Carioca, pois é uma região inóspita, sem arborização, sem plantas, sem canteiros com flores, sem chafarizes, sem bancos, sem mesas e demais itens de mobiliário urbano. O Largo da Carioca foi um dos lugares mais emblemáticos e mais bem cuidados de nossa cidade e hoje é este caminho totalmente à deriva.

    O aspecto degradante do Largo da Carioca não reflete a importância histórica que ele teve e tem para nossa cidade. Ele abriga vários prédios históricos como o Santuário e o Convento de Santo Antônio, a Igreja de São Francisco da Penitência, o prédio do BNDES – e próximo ao Largo temos diversas atrações de nossa cidade, como a Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro, a Caixa Cultural, a estação do bonde para Santa Teresa, dentre outras…

    Atualmente o que se vê neste Largo da Carioca é o sol tórrido de quarenta e poucos graus torrando nossos miolos. E uma quantidade absurda de camelôs vendendo mercadorias de origem muitas vezes duvidosas, além de mendigos, pedintes, moradores de rua…

    Existem vários tipos de arborização interessante pelo mundo que poderiam ser utilizados no local.

    Uma praça em Denver, no Colorado (EUA) adotou a seguinte solução:
    Eles plantaram dez árvores de cada lado e atrás de cada uma delas um tipo de poste de madeira com uma luminária redonda por cima. No meio deste caminho, há vários pequenos bancos espalhados e uma fonte no meio do caminho.

    Numa enorme área no Sokolniki Park em Moscou construíram um caminho com dezessete pequenas estacas de madeira com dezessete lâmpadas na parte de baixo de cada uma delas, e as árvores plantadas nesta lateral caem sobre este caminho de madeiras.

    Os caminhos com treliças de madeira ou de concreto, com trepadeiras no Jardim Botânico do Rio e nos Jardins da Casa de Rui Barbosa também seriam ótimas soluções para a arborização do Largo da Carioca.

    É preciso fazer alguma coisa para arborizar este Largo da Carioca devidamente, pois do jeito que ele está, é um desserviço à população carioca, não serve para nada, além de nos matar de insolação e de abrigar aquele excesso de camelôs e de moradores de rua.

    É inadmissível um local da importância do Largo da Carioca estar abandonado como agora, numa das principais estações do metrô, a Carioca. No Carnaval só havia a saída do metrô pelo Convento de Santo Antônio e tive que aguentar aquele sol insuportável para chegar à avenida Rio Branco, já que o Largo da Carioca não têm árvore alguma.

  2. Bom dia Quintino
    Parabéns pela matéria e também
    PARABÉNS AOS ARQUITETOS DO INEPAC. MAIS UM MONUMENTO RESTAURADO E ENTREGUE A CIDADE

    O RELÓGIO DA CARIOCA foi restaurado exemplarmente e a imprensa está noticiando está RESTAURAÇÃO.

    Mas de forma injusta até agora nenhum veículo de informação explicitou que o monumento era tombado pelo INEPAC e que os arquitetos do INEPAC estiveram acompanhando essa obra atentamente e semanalmente indo ao local.

    Depois de seis meses em restauração, o relógio do Largo da Carioca está novo e voltou à feição original de 1909. Ele inclusive toca música de hora em hora com repertório selecionado.

    A reforma foi financiada pelo BNDES sob supervisão do INEPAC e a Gerência de Monumentos e Chafarizes da cidade.

    Parabéns aos Arquitetos do INEPAC, LUCIANO CAETANO E LEONARDO HERMIDA que colocaram muito de seu tempo em pesquisas e no próprio acompanhando da obra.

    Vamos agora promover uma cerimônia pública para entregar oficialmente esse monumento a cidade na Semana Fluminense do Patrimônio e dar visibilidade ao fato.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui