“Reviver Centro é o Cacete!” – Cueca ‘Calvin Klein’ a 5 reais, compra de ouro roubado e caos na rua Uruguaiana

Freqüentadores do Centro apelidaram caos que se tornou a rua Uruguaiana, esquina de rua do Ouvidor de "Mercado Andino". Lá, mercadoria falsificada, contrafeita e roubada ocupa praticamente toda a rua, sem espaço sequer para o trânsito de pedestres. Enquanto isso, o comércio da rua está falindo.

Falsificações, receptação e contrabando, práticas toleradas e glorificadas pela falta de ação da Polícia e da Guarda Municipal, em pleno Centro do Rio.

Paulo Veiga da Silva trabalha como segurança num prédio na rua Uruguaiana. Entrevistado pelo DIÁRIO, disse que não entra numa loja de roupas há muito tempo; explica que freqüenta o “mercado andino” e compra todas as suas “roupas de marca” ali mesmo, no chão da rua que ficou famosa pelas suas lojas de linha branca e grandes magazines, como foi no caso da Sloper, que hoje é uma Leader Magazine. Valdemar Barboza é gestor do Shopping Paço do Ouvidor, grande edifício espelhado de propriedade de um fundo, que amarga uma praça de alimentação tinindo de nova mas apenas uma loja ocupada. Explica que a reforma da grande praça, com acesso por escadas rolantes e 14 lojas, ar refrigerado central, televisão, banheiros luxuosos, custou 6 milhões de reais ao seu proprietário, e que mesmo antes da pandemia, a locação de lojas vem sendo dificultada principalmente pelo caos que se tornou o local, após a prefeitura de Marcelo Crivella.

Os camelôs que ocupam toda a rua Uruguaiana vendem roupas falsificadas de marcas como Calvin Klein, Nike, Balenciaga, Gucci e Adidas por valores como 5 reais, e ainda anunciam isto em placas de proporções agigantadas. São em sua maioria estrangeiros de países latinos, e além de urinar pelas ruas, jogar restos de quentinhas por toda a parte, vendem criminosamente mercadoria falsificada, sem contar os que compram cordões de ouro roubado“, explica o gestor, preocupado com a situação da rua, que conta com mais de uma dezena de lojas vazias. Ele explica que proprietários de imóveis na região se uniram, criaram uma associação, conseguiram redução de impostos, investem no monitoramento dos problemas da área, mas que nada disso funciona enquanto não houver um mínimo de ordem.

Para Wilton Alves, diretor da Sergio Castro Imóveis, “é ininteligível que se possa cometer crimes assim, às claras. A mercadoria vendida é praticamente toda falsificada, criminosa portanto. Se ser camelô pode vir a ser um reflexo da necessidade, mas vender contrabando e comprar o que os outros roubam não deveria ser tolerado.Temos alugado bastantes lojas, mas o pessoal não quer vir pra Uruguaiana, porque aqui a concorrência dos criminosos é direta com quem paga impostos e gera empregos“.

A situação da Uruguaiana no dia-a-dia é de total caos; os estrangeiros tomaram as calçadas e é absolutamente intransitável. Da mesma forma, os camelôs se comportam de forma ameaçadora quando tentamos tirar fotos, razão pela qual acabamos optando por usar fotos do Google Street View, mas a situação é exatamente esta, todos os dias, exceto durante um dia da semana retrasada, quando a Prefeitura fez sua última operação no local. Nesta operação – ninguém entendeu nada – a Prefeitura agiu como agia antigamente, do nada, e foi lá e expulsou os vendedores de mercadoria ilegal, deixando a rua transitável e com aspecto da época pré-Crivella.

Hurley falsificada sai a 5 reais. Na frente, o comerciante tenta sobreviver vendendo a mesma coisa, sem ser falsa, pelo preço de quem paga impostos e dá emprego. Na foto, o vendedor do ‘mercado andino’.

Recentemente, uma grande empresa de material esportivo presente no mundo todo visitaria uma das lojas que se encontra vazia na região, acompanhada do corretor Rodolfo Rique. “O cliente veio com o carro pela Ouvidor. Os camelôs são tantos que não dava pra passar com o carro, mas com muita má vontade iam afastando suas tendas. Um deles bateu no carro com a mão e disse: – pra passar tem que me dar 20 reais. O executivo olhou o caos à sua volta e desistiu de entrar na loja. Menos uma locação pro Centro.” Rique disse que o executivo que buscava uma loja de 800m2 no Centro, foi embora e exclamou: Reviver Centro é o Cacete!

Os valores de locação dos imóveis no local caiu bastante segundo informações de mercado, e o problema não têm sido proprietários gulosos. Na verdade o que fica cada vez mais claro é que o abandono do espaço público, os imóveis invadidos, a transformação da camelotagem numa grande e organizada quadrilha de venda sempre das mesmas mercadorias falsas e contrabandeadas, a ocupação da rua pelo caos absoluto e pela receptação e o aspecto de violência e criminalidade são a verdadeira razão do esvaziamento do Centro. É lógico que a vinda de novos moradores para os empreendimentos que estão sendo lançados na região vai ajudar a aumentar a demanda e a frequëncia no Centro. Mas um prédio demora 3 anos pra ficar pronto, em média. E até lá? Continua o ‘mad max’ inventado por Crivella e adotado, infelizmente com louvor, pelo novo Eduardo Paes?

Todos entendemos que Eduardo Paes quer se posicionar contra Bolsonaro, na sua luta política de centro (centro-esquerda?). Mas pra ser de centro-esquerda ele não precisa adotar criminosos, proteger falsificadores, contrabandistas e nem receptadores. Ele pode tolerar o camelô que trabalha sem licença? Pela lei não poderia, mas se decidiu fazê-lo, que pelo menos obrigue este camelô a vender mercadoria legal, que afaste o ambulante comprador de ouro roubado na esquina mais póxima, que exija que pelo menos trabalhe na calçada e não no meio da rua. Não dá pra reconhecer este Eduardo Paes que abraçou o caos, que flerta com a imundície, que dá guarida à desordem. Não precisa odiar a ordem pra ser de centro ou de centro-esquerda, da mesma forma que nem todo político de direita participa de rachadinha. O Centro do Rio está à deriva. Será que certo está o executivo que disse ao corretor que Reviver Centro é o Cacete? Esperamos que não.

A rua Uruguaiana se transformou num caos intransitável entregue a vendedores de mercadoria falsa, compradores de ouro roubado e até camelôs que cobram pedágio de quem passa de carro.
Advertisement

33 COMENTÁRIOS

  1. Certamente ler os comentários me agradou até mais que a noticícia dada que não é nenhuma novidade …..Mas me agrada muito saber que os brasileiros ainda lutam por dias melhores e sabem o quão é dificil ser honesto no nosso país….Vamos ser decentes e aceitar o que é certo e nos envolver na política , pois é a unica maneira de construirmos uma Cidade e um País melhor… Não podemos fechar os olhos pros problemas que estão à nossa volta e denunciar sempre que entendemos que algo está errado????vamo que vamo meu povo!!!!!! Luciana Prado

  2. Além disso, tem os safados do jogo das bolinha de baixo das tampinhas, desde que me entendo por gente eles fazem isso, um grupo de 5 a 6 pessoas, e tem trouxa que ainda cai… tirando a parte dos celulares roubados e peças de ouro que também são roubadas eu gosto de lá, tem que organizar pra não ficarem espalhados e obstruindo as ruas

  3. Tem é que quebrar geral e fazer cumprir a lei !
    Cadê os patetas da GM que vivem aqui com “text?es”, números e mais números de leis e mais leis pra defender suas mamatas INUTEIS, como INÚTIL é a corporação pra colocar a casa em ordem ?
    É RESPONSABILIDADE DE VCS !
    Ou a PROPINA dos ilegais no Centro está melhor que a mamata ?
    Por isso eu digo HÁ DECADAS que GM é uma corporação INÚTIL!
    Manter a ordem e garantir o cumprimento da lei nessa situação é RESPONSABILIDADE DE VCS !

  4. Parem de votar EM FILHAS DAS PUTAS CORRUPTOS! SERÁ QUE VOCÊS NÃO PERCEBEM QUE ESSES CANALHAS SEMPRE FAZEM AS MESMAS COISAS E A CIDADE SÓ PIORA?

    ACORDEM ANTES QUE ACABE O TEMPO!

  5. Quintino sendo eugenista, como era de se esperar.

    PreguizzzZzzZzzça…

    Pobres empresários que querem investir, gerar 92982727187281818 empregos e pagar impostos pra serem investidos na cidade…

    Malditos sejam os estrangeiros pobres, os miseráveis e marginais que surgem DO NADA, SEM NENHUMA RAZÃO pra impedir os feitos dos nobres gestores…

    Tudo isso veio com o governo do Crivella já que não pode criticar governos anteriores porque eles estão apoiando o candidato desse jornal, o Cláudio Castro.

    Jogando o Paes um pouco “pra lá”, pra tirar o Bolsonaro da extrema direita, que é o que ele é. Daí, DO NADA o Paes vira “Centro-Esquerda”.

    O povão adooora! Continua.

  6. O Centro do Rio tem jeito, sim, assim como o Brasil, ao contrário do que afirmam aqueles que torcem pelo pior sempre. De fato, a rua Uruguaiana é um camelódromo peruano a céu aberto. O Centro precisa de fiscalização e punição aos infratores e o Eduardo Paes não tem pulso firme pra isso, interesse e muito menos caráter. Narcisista aos extremos, quer holofote, grana e poder. Como mudar, se os candidatos são péssimos? Já deram uma olhada na corja que vem com toda a força para esse ano? Até o impichado Wilson Witzel é candidato. Parece que virou uma tendência nacional criminosos, corruptos e ex-presidiários quererem voltar ao poder. Lamento muitíssimo, pois o RJ é uma linda cidade entregue nas mãos de contraventores, traficantes, milicianos, bandidos de toda sorte. É preciso ordem, progresso e, sobretudo cadeia para as ‘vítimas da sociedade’ defendidas pela esquerda. Onde o PSOL é mais forte no Brasil? Seria, por acaso, em terras cariocas? Coincidência ou oportunidade latente?

    • Perfeita colocação. O autor quis botar tudo na conta do Crivella, mas o problema vem desde a época do atual, o Dudu Paes e seus comparsas. Onde há governo de esquerda, impera o caos, a desordem e a desgraça.

      Precisamos votar melhor este ano!

  7. Concordo com tudo o que foi dito e que devamos acabar com esta exploração do espaço por vândalos. Só nao entendi porque várias vezes mencionaran o nome do antigo prefeito e nenhuma do atual.
    Vamos revitalizar o centro, mas deixem a politica de lado.

  8. Antigamente, lá pela descoberta, assassinos matavam índios! Negros mortos vieram depois! A terra, o ouro, o café com açúcar, os deuses, ocuparam lugar na estante do Poder! O comércio era uma banana com torresmo e um pão de açúcar! Ninguém quer saber de nada, somente, CORROMPER!
    Deixem a URUGUAIANA em paz ou joguem uma calcinha com varíola, ao modo dos EXTERMINADOS, e seremos o Futuro de nosso Passado vergonhoso, mas não único!
    Nada entendeu?
    Um idiota também nunca entenderia!

  9. Por causa da desordem na rua uruguaiana eu não passo mais por ela, procuro outras alternativas de rota, mesmo que leve mais tempo. Com isso, deixo de comprar nas farmácias, fazer um lanche e comprar em lojas dessa rua. É lamentável que tal situação ocorra há anos; a venda de itens falsificados é para quem quiser ver, e nada é feito.

  10. O problema é MUITO, mas MUITO maior e não é “apenas” do RJ e muito menos do centro…o problema é do nosso país…de jeitinhos. Antigamente os crimes eram feitos sorrateiramente, mas atualmente, com a TOTAL inoperância da nossa justiça e das nossas leis, criadas por parlamentares que geralmente visam seus próprios interesses escusos, a regra passou a ser IMPUNIDADE TOTAL e a Rua Uruguaiana, assim como a “Robauto” e outras iguais estão aí, por TODO o país, para qualquer um ver e participar. Isto é BRASIL, meus queridos e não adianta reclamar…ou mudamos nosso forma de pensar e agir COBRANDO moralidade ou vamos nos afundar cada vez mais…a escolha é nossa e nas próximas eleições, dependendo dos eleitos, já poderemos ver se queremos mudar ou não…infelizmente, creio que não queremos…

  11. Li esta reportagem e os comentários sem conseguir tirar da mente o sorriso cínico do Dudu. E o pior é que o velho caveira anterior era pior ainda . . . O que resta?

  12. As fotos publicadas e o texto são a síntese do Reviver Centro. Mudar o Rio, expectativa de ser cidade de primeiro mundo, realidade de metrópole de quarto mundo. Parabéns ao prefeito, suas três gestões estão lindamente retratadas aqui. E que os leitores comentem se tem saudades dos problemas de 20 anos atrás…éramos felizes e não sabíamos. Pioramos demais

  13. Cada comentário patético assim como é o carioca. A cidade jogada às traças, imunda, fedida, desordenada,nojenta e o povo com essa guerrinha, picuinha, futrica política. Mas carioca é assim: se tem futebol,samba,cerveja e praia, então está tudo bem.
    No dia que os governantes dessa cidade parar de achar que o Rio real não é o Rio das novelas de Manoel, a mídia e intelectuais pararem de romantizar pobreza,talvez possa melhorar. Lamentável que a minha cidade o meu estado tenha se transformado num caos que acho que não vai ter jeito ?

  14. esse prefeito instalou o caos na cidade em sua primeira gestão, e agora na segunda, quer consertar a cagada com outra cagada, acabou com o transporte público e agora finge que está “obrigando” as cessionárias voltar com as linha que ele mesmo extinguiu. só não entendo como esse incompetente sênior voltou para a prefeitura do Rio.

  15. Cada comentário patético assim como é o carioca. A cidade jogada às traças, imunda, fedida, desordenada,nojenta e o povo com essa guerrinha, picuinha, futrica política. Mas carioca é assim: se tem futebol,samba,cerveja e praia, então está tudo bem.
    No dia que os governantes dessa cidade parar de achar que o Rio real não é o Rio das novelas de Manoel, a mídia e intelectuais pararem de romantizar pobreza,talvez possa melhorar. Lamentável que a minha cidade o meu estado tenha se transformado num caos que acho que não vai ter jeito ?

  16. Fazer uma caminhada pela rua uruguaina da presidente vargas até o edifício central é um exercício de paciência dado a quantidade de ambulantes que de fato tomaram conta de qualquer espaço que que se há. No meu entendimento não há problema ter ambulante na rua, a questão é que, a desorganização que promovem alguns querem colocar uma banca do tamanho de uma loja, querem literalmente monopolizar o espaço, pouco se importam se ali passa carro, pessoas ou se estão na porta de alguma loja que se dane. Só que agora para piorar ainda mais alguns bares da região também estão tomando conta das calçadas com cadeiras e mesas, tendas e grupo de pagode e DJs e na hora do Rush é um verdadeiro caos andar pelo centro do Rio.
    Mas é bom lembrar que esse problema está acontecendo por todo o Rio de janeiro, principalmente nos centros comerciais, um verdadeiro caos…

  17. Não tem mais jeito! Tive outro dia no centro. Meia dúzia de gatos pingados. O centro do Rio, não tem como recuperar. Tudo que dizem que vai fazer. Não vai dar certo. Só se esses milhões de vendedores de rua, forem, empregados e tiverem um renda para viver. Se não acabou. A população aumentou muito e não há trabalho. Acabou, acreditem!

  18. A rua precisa de uma limpeza, a anos atrás me empurraram na saída do metrô e esbarrei numa mesa de celular e quebrou um celular do camelô e ele queria que eu pagasse. Sendo que ele estava na saída do metrô que é proibido, eu não paguei claro. A rua uruguaia precisa de uma limpa, retirar o camelô inteiro da rua e limpar porque o cheiro de dejetos das pessoas é muito forte. Infelizmente a um tempo eu tenho que ir até o centro já que o escritório em São Conrado da empresa que sou sócio está em reforma.

  19. Ótima reportagem. Oque vemos no centro é o reflexo do estado, abandono total e tolerância com “pequenos delitos”, que transformam a região central em área dominada por desordeiros e quadrilhas que se não forem combatidas agora será como o tráfico e a milícia seu combate será igual a enxugar gelo.
    O Rio de Janeiro está o caos total.

  20. Trabalho num escritório na rua Uruguaiana há 22 anos . Concordo plenamente com tudo que o sr Paulo Veiga afirmou. O centro do rio está abandonado , principalmente a Uruguaiana . São roubos diários em plena luz do dia e camelos vindo de países sul americanos , tomando toda calçada e oprimindo as pessoas que ali passam . Me sinto envergonhado de ser carioca e ver um lugar tradicional do comércio central sem nenhuma atenção mínima prestada . São Camelos fumando maconha em plena luz do dia ( não generalizando ) . Triste ver as lojas fechadas . A degradação da Uruguaiana pede socorro , tenho esperança de que um dia mude e volte a ser um lugar ordeiro , onde pode se transitar sem medo e com um comércio ativo . Eu mesmo fui assaltado há uns 7 meses atrás por 3 menores de idade puxaram meu cordão de ouro em frente a Leader , por sorte minha , consegui segurar na mão do ( menor infrator ) e mesmo arrebentado recuperar meu cordão . O paço do ouvidor nunca teve restaurantes caros , salvo engano uma pequena loja que vende pão de queijo e uma cafeteria .

  21. Detesto o Crivella, mas quem começou essa balbúrdia no Centro do Rio foi o próprio Paes, primeiro com o fechamento da Av Rio Branco e seu delírio de transformar a mesma em uma “Champs-Élysées Tupiniquim”, o que só fez aumentar o número de moradores de rua por ali e entre eles, o número de assaltos, que se espraiam pelas ruas do entorno. E ainda tem aquela charrete elétrica “atrapalhando o tráfego”, como diria Chico Buarque.
    Na sequência, veio o amaldiçoado Crivella, com sua inércia de múmia de museu e sentou sobre os problemas que já se apresentavam. Após um mandato da “Múmia dos Barbitúricos”, mais meio mandato do “Malandrinho Carioca” (nunca será), realmente o que se vê é o caos instaurado e ele querendo vender apartamentos para incautos, que foram construídos para ser salas comercias na região portuária, que segue agonizando, para ver se consegue tirar o prejuízo dos investidores, que devem estar em sua jugular tal qual vampiro de filme de terror.
    Se liga Dudu do Colete, pega Pedrinho da Praia e arruma a casa, ou reeleição tu não vê nunca mais aqui por essas bandas.

  22. Madureira está do mesmo jeito, totalmente invadido, o até chamado de “calçadão de Madureira” Você quase não consegue transitar de tantos ambulantes…
    Em época de eleições, acho bem difícil, algo mudar…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui