Revolta da Chibata é lembrada em frente à casa de João Cândido

Uma das principais reivindicações é a entrada do nome de João no livro de Heróis da Pátria

Sr Candinho, filho de João Cândido, estava presente

No dia em que a Revolta da Chibata faz 111 anos, 22/11, representantes do Poder Público, movimentos sociais e moradores da Baixada Fluminense se encontraram em frente à casa do marinheiro João Cândido, em São João de Meriti. Uma das principais reivindicações é a entrada do nome de João no livro de Heróis da Pátria.

“Essa era uma reivindicação antiga dos movimentos. Já conseguimos que João Cândido fosse reconhecido como Herói do Estado do Rio de Janeiro, mas estávamos enfrentando uma certa resistência a nível nacional”, afirma Athaylton Jorge, o Frei Tatá, Superintendente de Promoção de Política de Igualdade Racial da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, Direitos Humanos e Igualdade da Prefeitura de São João de Meriti.

A Comissão de Educação do Senado aprovou recentemente o projeto que inscreve o nome de João Cândido Felisberto no Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria. O PLS 340/2018 teve parecer favorável e segue agora para análise da Câmara dos Deputados.

Com o apoio do Conselho Municipal de Igualdade Racial de Meriti, da ComCausa, da Casa da Cultura, Associação dos Amigos do Museu João Cândido – entre outros movimentos -, na segunda-feira, dia 22 de novembro a houve um encontro em frente à casa do marinheiro João Cândido para a exibição de vídeos e uma roda de conversa.

“Temos que reafirmar muito a importância do episódio da Revolta da Chibata para a desconstrução do racismo e também pela dignidade dos praças militares”, diz Adriano Dias da ComCausa.

Um documentário sobre a vida e as lutas de João Cândido foi lançado em março de 2020. O filme conta um pouco sobre a tentativa de colocar o nome do líder da Revolta da Chibata no Livro de Heróis da Pátria, além de falar da vida de João.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui