Um levantamento feito pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea) revela que houve uma redução na concentração de Dióxido de Nitrogênio (NO2) na Região Metropolitana do Rio.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

Recentemente, nos estudos realizados pelas instituições governamentais internacionais sobre a melhoria na qualidade do ar em períodos de isolamento, o NO2 recebeu atenção especial devido aos efeitos respiratórios adversos, que segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), está cada vez mais associado aos casos de bronquite, asma e infecções respiratórias.


Esse poluente é emitido principalmente pela queima de combustível, em veículos e atividades industriais.

Na estação de monitoramento da qualidade do ar localizada em área de abrangência do Distrito Industrial de Santa Cruz, os resultados mostram uma redução de 77% na concentração local de NO2 e de 45% em Duque de Caxias, entre 23 e 25 de março, se comparado ao período anterior às ações de distanciamento social.

O Inea monitora a qualidade do ar por meio de 58 estações que medem continuamente parâmetros meteorológicos e as concentrações de poluentes dispersos no ar.

1 COMENTÁRIO

  1. Finalmente, depois de tantas anos eu vejo as constelações do Cruzeiro do Sul e as Três Marias em um Céu de Brigadeiro. A Lua está mais brilhante.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui