Foto: Reprodução/Internet

Esta sexta-feira 13 é dia de tomar uma Providência. E também uma Decisão, para comemorar a data em que, há 358 anos, a Coroa Portuguesa decidiu liberar a produção e a comercialização da aguardente de cana-de-açúcar no Brasil, a fim de substituir por aqui a bagaceira, feita em Portugal a partir do bagaço da uva. A legalização ocorreu em 13 de setembro de 1661, época em que o cultivo da cana era a principal atividade econômica da então colônia.

Instituído pelo Ibrac (Instituto Brasileiro da Cachaça) durante a feira Expocachaça de 2009, em Belo Horizonte, o Dia Nacional da Cachaça completa uma década com cerca de 40 mil produtores – 99% dos quais são micro ou pequenas empresas –, que, a cada ano, destilam cerca de 1,5 bilhão de litros, movimentando mais de R$ 7 bilhões, segundo o Ibrac.

Entre nomes engraçados e sabores puros da cana ou curtidos pelo envelhecimento em madeiras como carvalho e umburana, destacamos alguns points cachaceiros e programas combinamos entre a marvada e atrações culturais próximas.

Você pensa que Cachaça é Lapa? Acertou
Na Casa da Cachaça, fundada em 1960, são mais de 800 rótulos, incluindo os inevitáveis trocadilhos, misturas revendidas, como as de cachaça com milho verde, com jambu e com cravo e canela (a Gabriela), ou feitas no próprio, com destaque absoluto para a batida de gengibre (R$ 5 a dose). Também há infusões com ervas, com pimenta (um teste de coragem) e até com cobra. Doses de cachaças como a Seleta (R$ 6) têm preços bons. Mesmo as produção limitada, como Anísio Santiago (R$ 45) e Havana (R$ 80) são relativamente mais em conta.

Cliente posa na Casa da Cachaça com pinga curtida na cobra; Téo trabalha ao fundo (João Pequeno)

“Tem muitos rótulos que foram herdados da época do fundador, seu Oswaldo [da Costa, já morto] e que ficaram, de alambiques que nem existem mais”, explica o gerente Teonys Martins, 32, mais conhecido simplesmente como Téo. “A gente também tem uma rede boa de fornecedores; por isso, é difícil pensar em uma marca que não tenha aqui”, ressalta Téo, também genro dos donos, Maria e Evandro. 

Sob a atual direção, reunindo boa parte da família em torno do casal há quase 18 anos, a Casa da Cachaça praticamente forma um mesmo ponto, na Avenida Mem de Sá, com o vizinho Bar da Cachaça, também deles, porém com mais um sócio. Indo até altas horas da madrugada, serve tanto de partida como fechar noites no coração da Lapa, em que é cercada por casas noturnas. 

Virando à esquerda na Avenida Gomes Freire e andando um pouco no sentido contrário ao do trânsito, chega-se ao Vaca Atolada, que tem rodas de samba quase diárias, também com longa duração noturna.

A própria Mem de Sá, também no sentido oposto ao dos carros, é caminho para outras casas mais voltadas para o samba, como as vizinhas Insensato, Sacrilégio e Carioca da Gema (números 87, 81 e 79, respectivamente), boates mais ecléticas, como La Esquina (61) e Kubrick (ex-Odisseia, nº66), além do Circo Voador, já sob os Arcos da Lapa, que, neste fim de semana, apresenta El Efecto + Charanga Talismã (sexta, 13) e o bloco Minha Luz é de Led (sábado, 14).

Quem é do rock emenda fácil entre a cachaça e o Bohemia da Lapa Cavern Pub (Praça João Pessoa, 2). Basta atravessar a Gomes Freire a esse bar que sempre tem shows com bandas de covers – felizmente, nem sempre óbvios – e dá para ouvir da calçada em frente, tranquilamente.

Também na Lapa, há dois anos, a Casa e o Bar da Cachaça ganharam a concorrência do Cachaça Social Clube, que fica a um quarteirão de distância, na esquina da Mem de Sá com as ruas do Rezende e dos Inválidos e tem como carto-chefe a artesanal Engenho da Cana.

Casa da Cachaça
Avenida Mem de Sá, 110, Lapa. Tel.: 2531-7219. Aberta todos os dias a partir, das 16h até as 2h, de domingo a terça. De quarta a sábado, até “5h, 6h, enquanto tiver cliente”, segundo Téo.

Cachaça Social Clube
Rua do Rezende, 53, Lapa. Tel.: 2587-8463. Aberto a partir das 18h. De terça a sexta, até as 2h. Sábado, até as 5h.

Saúde, um brinde
Meio escondido em uma ladeira que sai da travessa do Liceu (nos fundos do edifício A Noite, em frente à Praça Mauá), no comecinho do Morro da Conceição, o bar Imaculada vai da cachaça da casa a marcas tradicionais de Minas Gerais (Claudionor, Lua Nova, Boazinha) e do Rio (Nega Fulô, Germana) sempre a R$ 10,50 a dose e, pasmem, uma caipirinha detox (!), que, além de limão, leva hortelã, gengibre… e couve (R$ 22,90). 

(Divulgação/Facebook)

Fechando mais cedo, às 22h de quarta a sábado (segunda e terças, às 16h; domingo, às 17h), é um bom ponto de partida para programas na zona portuária, como rodas de samba que rolam aos sábados e às segundas-feiras na Pedra do Sal, a 10 minutos de caminhada – e onde as caipirinhas dos camelôs são ótimas. 

Neste sábado (14), chegando mais cedo (abre às 11h), dá para emendar com o Estação Rio – shows com Vanessa da Mata e abertura de Letrux, a partir das 18h, na Praça Mauá, grátis. Também, com a festa Fofoca, que o DJ Dodô comanda a partir das 23h no Jazz In (Rua Sacadura Cabral, 63), a 5 minutos a pé e com ingressos a partir de R$ 33.
Bar Imaculada

Ladeira João Homem, 7, Saúde. Tel.: 2283-2747. Aberto a partir das 11h. Até as 16h (segunda/terça), 17h (domingo) e 22h (quarta a sábado).

Pedra do Sal
Ruas Argemiro Bulcão com São Francisco da Prainha, Saúde. Local público.

Acadêmicos do Leblon 
Ao lado do Teatro Petra Gold (antigo Teatro Leblon) e em um raio de até 1 km entre o Planetário da Gávea, o Shopping da Gávea (quatro teatros e cinco salas de cinema), o Lagoon, com o Blue Note Rio e as seis salas do Cinépolis, mais o teatro Casa Grande e as quatros salas do Kinoplex Leblon, a Academia da Cachaça motiva entradas e saideiras desde 1985, quando foi inaugurada no que viria a se tornar um complexo de bares Rua Conde de Bernardote. 

(João Pequeno)

A casa foi precursora na ideia de dar um tratamento mais profissional ao servir a cachaça, com rótulos especiais e produções limitadas, raras, em um necessário contraponto às marcas mais reles. Deu tão certo que, quatro anos depois, os sócios abriram uma filial na Barra da Tijuca e, na década passada, ampliaram a matriz no Leblon. 

Além dos mais de cem rótulos, a Academia investe na cozinha brasileira e em combinações que vão de caipirinhas de pitanga a raspinhas de melancia. 

Academia da Cachaça
Rua Conde de Bernadotte, 26, ljs EFG, Leblon. Aberta todos os a partir de 12h. Domingo a quarta até 0h30; quinta a sábado até 1h30. Tel.: 2239-1542.

Outros points da cachaça pela cidade

CENTRO

Café do Bom, Cachaça da Boa

Possui mais de 90 cachaças diferentes, de diversas regiões do Brasil. Rua da Carioca, 10. Tel.: 2509-1018. De segunda a sexta, das 10h às 20h. Sábado, das 10h às 14h.

SANTA TERESA

Armazém São Thiago
Com cem anos completados há uma semana, o Bar do Gomez, como é chamado pelos locais, foi um dos popularizaram a Magnífica, que tinha um vizinho como produtor. Rua Áurea, 26. Tel.: 2232-0822. Aberto todos os dias, a partir das 12h. Segunda a sábado, até meia-noite. Domingo, até as 22h.

PRAÇA DA BANDEIRA

Noo Cachaçaria
Inaugurada em 2015, tem mais de cem rótulos de cachaça e batidas especiais, como de tangerina com gengibre e a Mina Descolada – versão própria da Piña Colada. Rua Barão de Iguatemi, 358. Terça e quarta, das 17h às 22h30. Quinta a sábado, das 12h às 23h30.

BENFICA

Armazém da Pinga

Dentro da Cadeg, tem boa variedade de cachaças especiais. Rua Capitão Félix, 110. Tel.: 2580-0336. Segunda a sexta, das 9h às 17h. Sábado, das 9h às 14h.

BARRA DA TIJUCA

Academia da Cachaça (filial)
Avenida Nuta James 65L, Condado de Cascais, Jardim Oceânico, próximo ao metrô. Tel.: 2492-1159. Aberta diariamente, das 12h às 17h (segunda-feira), meia-noite (terça, quarta e quinta), 1h (sexta e sábado) e 19h (domingo).

+Mais

Cinema

O Jazz Vai Para Hollywood
Festival de filmes relacionados ao jazz. Cinemateca do MAM. Av. Infante Dom Henrique, 85, Aterro do Flamengo (altura do Castelo). Tel.: 3883-5630. Até domingo, 15 de setembro. Destaques: sexta-feira (13): “O ocaso de Uma Estrela”, sobre Billie Holiday. De Sidney J. Furie (EUA, 1972). Com Diana Ross, Billy Dee Williams, Richard Pryor. Às 18h30. Sábado (14): “Taverna Maldita” (“Pete Kelly’s Blues”). De Jack Webb (EUA, 1955). Com Jack Webb, Janet Leigh, Edmond O’Brien, Lee Marvin e Ella Fitzgerald. Às 16h. Domingo (15): “Ascensor para o Cadafalso”. De Louis Malle (França, 1958). Com Jeanne Moreau, Maurice Ronet, Georges Poujouly. Trilha sonora de Miles Davis. Entrada gratuita.Veja a programação completa.

Estreias desta semana
A Música do Tempo – Do Sonho do Império ao Império do Sonho. Documentário sobre o concerto inspirado no mito do quinto império português.

Quem você pensa que sou. Abandonada pelo marido aos 50 anos, Claire Millaud (Juliette Binoche, na foto) cria um perfil falso em uma rede social, atendendo por Clara, de 24 – pela qual o jovem Alex acaba se apaixonando.

Adeus à Noite. Depois de viver por anos na Argélia, Muriel (Catherine Deneuve) volta à França e treina jovens para a equitação, até descobrir que o neto Alex (Kacey Mottet Klein) se converteu ao islamismo e temer que ele possa cometer atos terroristas.

Peterloo. Mike Leigh dirige o filme que remonta ao Massacre de Peterloo, também mundialmente como Massacre de Manchester, ocorrido quando manifestantes foram às ruas protestar por uma reforma.

O fim da Viagem, o Começo de Tudo

Repórter itinerante de um programa de variedades da TV japonesa, Yoko vai ao Uzbequistão, onde registra experiências que mudaram sua percepção sobre o mundo, sob uma cultura totalmente diferente.

Abigail e a Cidade Proibida. Uma jovem decide ir à procura do pai, levado embora de sua cidade sob o pretexto de escapar de uma epidemia. Ela descobre que tem poderes mágicos. 

Marés. Ao se separar da mulher Clara (Julieta Zarza), o talentoso fotógrafo Valdo (Lourinelson Vladmir) percebe que pode ser afastado da filha de três anos caso siga negligenciado o alcoolismo.

Legalidade. Leonardo Machado, Cléo Pires e Fernando Alves Pinto estrelam longa baseado na campanha que impediu um primeiro golpe para destituir João Goulart, em 1961.

Divaldo – O Mensageiro da Paz

Bruno Garcia é o protagonista do filme que conta a trajetória do médium Divaldo Franco. 

Locais e horários em links nos nomes de cada filme

Teatro

O anjo do apocalipse

Estreia neste sábado. Sob a direção de Marcus Alvisi, Marcello Escorel, Juliane Araújo e Daniel Dalcin encenam um amor impossível entre uma árabe e um judeu. Teatro Ipanema. Rua Prudente de Morais 824, Ipanema, tel.: 2267-3750. Sexta, sábado e segunda, às 20h. Domingo, às 19h. De 14 de setembro a 7 de outubro. 

 Entrada: R$ 60 (inteira) / R$ 30 (meia). 

Carta a um jovem ator

Dirigido por Tiago Herz, João Vithor Oliveira faz monólogo sobre o texto de seu tio-avô Domingos Oliveira, que versa sobre as mudanças na juventude e o próprio teatro. Teatro Municipal Maria Clara Machado. Av. Padre Leonel Franca, 240, Planetário da Gávea. Tel.: 2274-7722. Quarta e quinta, às 20h. Até 3 de outubro. Entrada: R$ 40 (inteira) / R$ 20 (meia). 

Um dia a menos

Leonardo Netto adaptou o texto de Clarice Lispector, pelo qual dirige o espetáculo solo de Ana Beatriz Nogueira sobre a rotina de uma mulher em casa e seu esgotamento.

Teatro Petra Gold — Sala Marília Pêra: Rua Conde de Bernadotte 26, Leblon, Tel.: 2529-7700. Sábado e domingo, às 17h. Até 13 de outubro. Entrada: R$ 60 / R$ 30 (meia).

Um beijo em Franz Kafka

O texto de Sergio Roveri remonta ao um encontro entre Franz Kafka e o também escritor Max Brod, ao qual ele pede que queie seu acervo.

Teatro Petra Gold — Sala Marília Pêra: Rua Conde de Bernardotte 26, Leblon — 2529-7700. Sexta a domingo às 20h. Até 29 de setembro. Entrada: R$ 50/R$ 25 (sexta e domingo); R$ 60/R$30 (sábado).

A mentira

Miguel Falabella adapta, dirige e também atua no texto de Florian Zeller, sobre uma mulher que flagra o marido da melhor amiga com outra e não sabe se conta. Com Zezé Polessa, Karin Hils e Frederico Reuter. Teatro Casa Grande: Avenida Afrânio de Melo Franco 290, Leblon. Tel.: 2511-0800. Sexta e sábado, às 20h. Domingo, às 18h. Até 29 de setembro. Ingressos de R$ 40 a R$ 180.

Monstros

O musical de Emiliano Dionisi, com Com Claudio Lins e Soraya Ravenle, sob a direção de Victor Garcia Peralta conta a história de um casal que se conhece casualmente porque seus filhos estudam no mesmo colégio. Teatro das Artes. Rua Marquês de São Vicente 52, Shopping da Gávea (2º piso). Tel.: 2540-6004. Sexta e sábado, às 21h. Domingo, às 20h. Até 27 de outubro. Entrada: R$ 80 (inteira) / R$ 40 (meia). 

Uma fortuna para doi$

Dois netos aparecem quando uma idosa rica quer deixar sua fortuna para um deles.

Teatro dos Quatro. Rua Marquês de São Vicente 52, Shopping da Gávea (2º piso). Tel.: 2274-7246. Quinta, às 20h30. Até 26 de setembro. Entrada: R$ 60 (inteira) / R$ 30 (meia).

Exposições

Diversas

Animais coloridos, lendo livros, são o mote da mostra que Augusto Herkenhoff expõe até 12 de novembro no espaço Zagut (Shopping Cassino Atlântico. Av. Atlântica, 4240, loja 315, Copacabana-Posto 6). Tel.: 2235-5946. Das 10h às 13h e das 14h às 18h, de segunda a sexta. Sábado, das 10h às 13h.

Zanine 100 anos – Forma e Resistência

Com curadoria de Tulio Mariante, estreia neste sábado mostra de obras de José Zanine Caldas (1919-2001). Feitas em madeira maciça, as obras arquiteto, que completaria um século neste ano, denunciavam, desde a década de 1960, o desmatamento das florestas brasileiras. Museu de Arte Moderna. Av. Infante Dom Henrique, 85, Aterro do Flamengo (altura do Castelo). Tel.: 3883-5630. Terça a sexta, das 12h às 18h. Sábados, domingos e feriados, das 11h às 18h. Até 17 de novembro. Entrada: R$ 14 (inteira) / R$ 7 (meia). Grátis às quartas-feiras.

Darwin: Origens e Evolução

Estreia nesta sexta (30), com 295 peças que vão de acervos históricos a obras de arte atuais, mostrando a trajetória do naturalista inglês Charles Darwin até a Teoria da Evolução das Espécies, incluindo sua passagem pelo Brasil, em 1832. Museu do Meio Ambiente. Rua Jardim Botânico, 1008. De terça a domingo das 10 às 18 horas (com entrada até as 17 horas). Até 30 de outubro. 

Ai Weiwei – Raiz

Uma imensa instalação com mil bicicletas em frente ao cultural dá as boas vindas à exposição do chinês, que inclui uma imersão pela cultura brasileira em seu método de trabalho. CCBB. Rua Primeiro de Março, 66, Centro (em frente à Candelária). Tel.: 3808-2020. Até 4 de novembro, de quarta a segunda-feira, das 9h às 21h.

Da linha, o fio 

Com 23 artistas, entre eles Pedro Varela, Rodrigo Mogiz, Laura Lydia e Bispo do Rosário, a mostra reúne técnicas diversas como esculturas, instalações, pinturas, fotografias, vídeos, desenhos e objetos que têm em comum o uso da linhas e fios, até 20 de setembro, de segunda a sexta, das 10h às 19h, no Espaço Cultural BNDES (Av. Chile, 100, Carioca). Tel.: 2172-7447. Até 20 de setembro.

Campo

Coletiva reúne ex-alunos da Escola de Artes Visuais, como Adriana Varejão, Beatriz Milhazes, Daniel Senise, Ernesto Neto, Laura Lima e Luiz Zerbini, sob a curadoria de Ulisses Carrilho. Parque Lage. Rua Jardim Botânico, 414. Tel.: 3257-1800. Quarta a segunda das 10h às 17h. Até 20 de outubro.

Música

Lenine

O pernambucano leva sua banda, sua voz e seu violão ao Méier, onde intercala composições recentes com antigos sucessos, na turnê “Em trânsito”. Imperator. Rua Dias da Cruz 170, Méier. Tel.: 2597-3897. Sábado (14), às 21h. Entrada: R$ 80 (inteira) / R$ 40 (meia).

(Flora Pimentel/Divulgação)

Black Alien

O rapper faz a apresentação principal da edição de quatro anos do Baile da Pesada.Hub RJ: Avenida Professor Pereira Reis 50, Santo Cristo. Tel.: 97173-1502. Sábado (14), às 22h. Entrada: R$ 50 (pista comum) / R$ 150 (aréa VIP open bar). 1

Casuarina

O grupo de samba homenageia o centenário recém-completado de Jackson do Pandeiro, em dois fins de semana consecutivos, com três datas, cada, no espetáculo “Cem anos do Rei do Ritmo”. Caixa Cultural. Avenida Almirante Barroso 25, Centro (ao lado do metrô Carioca). Tel.: 3980-3815. Sexta a domingo, sempre às 19h, de 13 a 22 de setembro. Entrada: R$ 30 (inteira) / R$ 15 (meia).

Toninho Geraes

O cantor e compositor comanda a roda na Portela, na tarde de sábado, com participações de convida Moacyr Luz e seu Samba do Trabalhador. Portela. Rua Clara Nunes 81, Madureira. Sábado (14), às 16h. Ingresso: R$ 20.

Toquinho, Ivan Lins e MPB4

O grupo vocal, o pianista e o violonista se juntam para comemorar meio século de suas carreiras. Vivo Rio: Avenida Infante Dom Henrique 85, Aterro do Flamengo (altura do Castelo, em frente ao MAM). Tel.: 2272-2901. Sexta (13), às 21h30m. Ingressos de R$ 80 a R$ 350.

Thomas Stronen

Acompanhado por Ayumi Tanaka (piano), Leo Svensson Sander (violoncelo) e Håkon Aase (violino), o baterista e compositor norueguês combina jazz e música erudita de vanguarda.Triboz. Rua Conde de Lages 19, Lapa. Tel.: 2210-0366. Sábado (14), às 21h. Ingressos: R$ 30. 

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui