Um escape da terra em sua superfície aberta para o detalhe do primeiro plano. É nesse corte para objetos em imagens mais fechadas que Fernando Brum foca a mostra individual que expõe na galeria Z42, no Cosme Velho. Inéditas no Brasil, em sua maioria de “The Land, Scape”, de certa forma, subvertem o conceito clássico de paisagens, mas sem deixar de se inserir neste gênero, entre óleos e acrílicas, sobre linho e tela.

Não por acaso, a curadoria é de Fernando Cochiarale, responsável pela maior mostra recente deste gênero no Museu de Arte Moderna. Em “Horizonte – A Paisagem nas Coleções MAM Rio” (2018/2019), ele selecionou cerca de 100 quadros, de 70 artistas, como Iberê Camargo, Alfredo Volpi e José Pancetti, em geral com o plano de visão aberto.

É essa perspectiva que muda, agora, subindo o Rio Carioca até o Cosme Velho, onde expõe o jovem artista, de 30 anos, formado em design pela PUC-RJ e com passagem pela Escola de Artes Visuais do Parque Lage.

“Apesar de o foco poético de Brum divergir claramente de uma ideia ainda hoje dominante – de que paisagens representam cenas em que a ordenação espacial resulta da aplicação de princípios objetivos, como a perspectiva –, é evidente que, ainda assim,suas obras devem ser confrontadas com este gênero da pintura clássica”, afirma o curador, no texto de apresentação da mostra. “A frequente valorização dos primeiros planos das telas por Fernando favorece a introspecção silenciosa e a percepção da ‘metamorfose das coisas’ pelo espectador”, acrescenta.



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

“Cresci numa cidade de montanhas, florestas e com muito verde ao meu redor, por esse fato sempre atentei o olhar para a natureza e seus mistérios, ou o que eu chamo de poética do lugar nenhum”, aprofunda Fernando Brum. “O trabalho não é somente sobre a cena que está sendo retratada, e sim sobre o silêncio e a metamorfose das coisas (…). Plantas, pedras, galhos de árvore e até o nada ganham destaque e viram protagonistas. Todo universo ao meu redor entra no trabalho, tudo que está ao alcance dos olhos, o que está e o que não está sendo velado”, afirma o artista, que vem de exposições individuais na TAC, em Lima, no Peru, em 2017, e nas CoGalleries, em Berlim, Alemanha, onde fez uma residência artística de dois meses, neste ano.

Z42. Rua Filinto de Almeida 42, Cosme Velho. Tel.: 98148-8146. Segunda a sexta, das 13h às 18h. Entrada gratuita. Até 8 de dezembro.

+Mais!

Exposições

Egito Antigo – do Cotidiano à Antiguidade

Cerca de 140 peças, sendo 89 do Museu Egípcio de Turim, trazem para os dias de hoje tumbas, sarcófagos, desenhos e objetos pessoais que ajudam a entender a cultura, a ciência e a vida cotidiana no Egito dos faraós, de 4.000 a.C a 30 a.C.

CCBB. Rua Primeiro de Março, 66, Centro (em frente à Candelária). 

Tel.: 3808-2000. Quarta a segunda, das 9h às 21h. Até 27 de janeiro. Entrada gratuita.

Favelagrafia

No 2º andar do Museu de Arte Moderna, uma câmara escura expõe 53 fotografias, de nove artistas, de diferentes favelas do Rio, em diversos focos de interesse e cada qual com técnica e estilo e próprios. Em duas paredes, nove vídeos contínuos mostram o processo criativo de cada artista.

MAM. Av. Infante Dom Henrique, 85, Aterro do Flamengo (altura do Castelo). Tel.:3883-5600. Terça a sexta, das 12h às 17h30; sábados, domingos e feriados, das 11h às 17h30.Entrada: R$ 14 (inteira) / R$ 7 (meia). Ingresso-família (aos domingos): R$ 14, para cinco pessoas. Grátis às quartas-feiras. Até 8 de dezembro

(Foto: João Pequeno)

Força Leveza Precisão

A mostra temática reúne esculturas modernas, todas feitas em aço, com diversas técnicas, estilos e conceitos, por Franz Weissmann (1911-2005), Amilcar de Castro (1920-2002) e Waltercio Caldas (1946). 

MAM. Av. Infante Dom Henrique, 85, Aterro do Flamengo (altura do Castelo). Tel.:3883-5600. Terça a sexta, das 12h às 17h30; sábados, domingos e feriados, das 11h às 17h30.Entrada: R$ 14 (inteira) / R$ 7 (meia). Ingresso-família (aos domingos): R$ 14, para cinco pessoas. Grátis às quartas-feiras. Até 8 de dezembro

Carlos Vergara – Prospectiva

O artista compõe o ambiente do segundo andar do MAM com traços e cores de monotipias (gravuras tiradas de uma só impressão) feitas em Santa Teresa, onde mora; no Cais do Valongo, na Zona Portuária, e durante viagens, de grandes quadros a pequenos sudários que, lado a lado, formam painéis e mosaicos.

Museu de Arte Moderna. Av. Infante Dom Henrique, 85, Aterro do Flamengo (altura do Castelo). Tel.: 3883-5630. Terça a sexta, das 12h às 18h. Sábados, domingos e feriados, das 11h às 18h. Até 12 de janeiro de 2020. Entrada: R$ 14 (inteira) / R$ 7 (meia). Grátis às quartas-feiras.

Exposição cultural e tecnológica Brasil-China

Painéis com dados históricos e vídeos mostram a chegada dos chineses ao Brasil no século XIX até a atualidade das relações entre os dois países, na exposição, que ainda terá haverá atividades como oficinas de chás e de máscaras.

Memorial Getúlio Vargas. Praça Luís de Camões, Glória. Tel.: 2205-8191. Terça a domingo, das 10h às 17h. Até 5 de janeiro. Entrada gratuita.

Santo Antônio de Sá: primeira vila do Recôncavo da Guanabara

A exposição reúne 65 peças arqueológicas encontradas na região então conhecida como Recôncavo da Guanabara, em torno da Baía, onde hoje ficam partes de Magé, Guapimirim e Itaboraí. Dentre as peças, 11 foram resgatadas dos escombros do Museu Nacional. 

Caixa Cultural

Av. Almirante Barroso 23, Carioca. Tel.: 3980-3815. Terça a domingo, das 10h às 21h.  Até 8 de dezembro. Entrada gratuita.

Rona Neves – Nódoa

Pinturas e instalações, além de objetos como cadernos de poesias compõem a mostra individual deste artista carioca.

Centro Cultural Municipal Hélio Oiticica

Rua Luís de Camões 68, Praça Tiradentes. Tel.: 2242-1012. Segunda a sábado, das 12h às 18h. Entrada gratuita.  Até 30 de novembro.

Luiz Aquila – 3º Milênio

O orientador artístico da Geração 80 expõe 30 pinturas feitas por ele nos últimos dez anos. 

Museu Nacional de Belas Artes. Av. Rio Branco 199, Cinelândia. Tel.: 3299-0600. Terça a sexta-feira, das 10h às 18h. Sábados, domingos e feriados, das 13h às 18h. Ingressos: R$ 8 (entrada gratuita aos domingos). Até 1º de dezembro.

Shows

Pianorquestra

Liderado pelo pianista Claudio Daulsberg, o grupo subverte o instrumento, todo direto nas cordas, batucado qual percussão etc. O lançamento do show “Timeline” tem a cantora paulistana Tulipa Ruiz como convidada especial.

Teatro Sesc Ginástico. Av. Graça Aranha 187, Centro. Tel.: 2279-4027. Terça (26), às 19h. Entrada: R$ 30 (inteira) / R$ 15 (válida também para quem levar 1kg de alimento não perecível). 

https://www.youtube.com/watch?v=kWsoUdjp35s

Elaine Machado

A cantora interpreta composições de Luiz Melodia e Almir Guineto, entre outros compositores.

Teatro Rival. Rua Álvaro Alvim 33/37, Cinelândia. Tel.: 2240-9796. Terça (26), às 19h30. Entrada: R$ 50 (inteira) / R$ 20 (meia). 

Rémi Panossian Trio

Os franceses Rémi Panossian (piano), Frédéric Petitprez (bateria) e Maxime Delporte (contrabaixo) o combinam jazz com rock e música eletrônica.

Teatro da UFF. Rua Miguel de Frias 9, Icaraí, Niterói. Tel.: 3674-7524. Terça (26), às 20h. Entrada: R$ 30 (inteira) / R$ 15 (inteira). Sala Cecília Meireles .Largo da Lapa 47, Lapa. Tel.: 2332-9223. Quarta (27), às 20h. Entrada: R$ 40 (inteira) / R$ 20 (meia).

Flavia Dantas

Acompanhada pelo violonista Bernardo Dantas, ela interpreta sucessos de Nara Leão e João Gilberto.

Dilma Oliveira

A cantora revisita standards da bossa nova e sambas clássicos.

Beco das Garrafas. Rua Duvivier 37, Copacabana. Tel.: 96800-8683. Flavia Dantas: Terça (19), às 21h. R$ 30. Dilma Oliveira: Quarta, às 20h30. R$ 40. 

Almério

O cantor e compositor pernambucano lança CD e DVD “Desempena – Ao vivo”.

Caixa Cultural. Av. Almirante Barroso 25, Carioca. Tel.: 3980-3815. Quinta (28), às 19h. Entrada: R$ 30 (inteira) R$ 15 (meia).

Marcos Sacramento

Uma das vozes masculinas mais poderosas da música brasileira atual, o cantor e compositor apresenta as músicas de seu novo disco, “Drago”, no Baixo Gávea.

Dumont Arte Bar. Praça Santos Dumont 116, Gávea. Quinta (28), às 21h30. Entrada: R$ 40. 

Guilherme Arantes

Show mais intimista do o cantor, compositor e pianista. No palco do teatro, Guilherme Arantes ressalta melodias marcantes como as de “Uma Dia, Um Adeus”, “Cheia de charme”, “Coisas do Brasil” e, espera-se, “Deixa Chover”.

Theatro Net Rio: Rua Siqueira Campos 143, sobreloja, Copacabana. Tel.: 3247-8060. Quinta, às 21h. Ingressos de R$ 65 a R$ 150. 
Sympla BiletoSympla Bileto

Teatro

Ópera Pânica

Dirigido por  Judson Feitosa, o texto de Alejandro Jodorowsky reúne personagens surreais e patéticos, como uma professora que canta ópera para entreter os alunos.

Teatro Candido Mendes. Rua Joana Angélica 63, Ipanema. Tel.: 2523-3663. Quarta e quinta, às 20h. Até 19 de dezembro. Entrada: R$ 50 (inteira) / R$ 25 (meia).

(Thiago Sacramento/Divulgação)

Avental todo sujo de ovo

Um jovem sai de casa e não mais nenhuma notícia aos pais. Depois de dez anos, volta a diz que agora, se chama Indienne.

Casa Rio. Rua São João Batista 105, Botafogo. Tel.: 2148-6999. Segunda, às 21h45. Até 16 de dezembro. Entrada: R$ 40 (inteira) / R$ 20 (meia). 

Um dia a menos

Leonardo Netto adaptou o texto de Clarice Lispector, pelo qual dirige o espetáculo solo de Ana Beatriz Nogueira sobre a rotina de uma mulher em casa e seu esgotamento.

Teatro Petra Gold — Sala Marília Pêra: Rua Conde de Bernadotte 26, Leblon, Tel.: 2529-7700. Sábado e domingo, às 17h. Até 8 de dezembro Entrada: R$ 60 / R$ 30 (meia).

Um dia a menos

Leonardo Netto adaptou o texto de Clarice Lispector, pelo qual dirige o espetáculo solo de Ana Beatriz Nogueira sobre a rotina de uma mulher em casa e seu esgotamento.

Teatro Petra Gold — Sala Marília Pêra: Rua Conde de Bernadotte 26, Leblon, Tel.: 2529-7700. Sábado e domingo, às 17h. Até 8 de dezembro Entrada: R$ 60 / R$ 30 (meia).

Navalha na carne — Uma homenagem a Tônia Carrero

Luísa Thiré homenageia a avó Tônia Carrero, interpretando a prostituta Neusa Sueli, mesma personagem que ela fez em 1967, neste clássico do submundo de Plínio Marcos. Alex Nader faz cafetão Vado e Ranieri Gonzalez vive Veludo, o faxineiro gay, sob a direção de Gustavo Wabner. Com Luísa Thiré, Alex Nader e Ranieri Gonzalez.

A trama acompanha as relações violentas entre três personagens num quarto: o gigolô Vado, a prostituta Neusa Sueli e o faxineiro Veludo, com os quais ela tem relações violentas.

Teatro Ipanema. Rua Prudente de Morais 824, Ipanema. Tel.: 2267-3750. Sábado a segunda, às 20h. Entrada: R$ 50 (inteira) / R$ 25 (meia). Até 2 de dezembro.

Valsa nº 6

Cláudio Torres Gonzaga deixa um pouco o stand up e dirige Luisa Thiré, que vive Sônia. Nesta peça de Nelson Rodrigues. Morta aos 15 anos, ela tenta desvendar seu passado, tropeçando memórias em alucinações, que incluem a história de seu assassinato.

Texto: Nelson Rodrigues. Direção: Cláudio Torres Gonzaga. Com Luisa Thiré.

Assassinada aos 15 anos, Sônia tenta desvendar o mistério de seu passado: em meio a delírios e memórias, ela revela uma trama de assassinato e intrigas.

Teatro Ipanema. Rua Prudente de Morais 824, Ipanema. Tel.: 2267-3750. Quinta e sexta, às 20h. Entrada: R$ 40 (inteira) / R$ 20 (meia). Até 29 de novembro.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui