Lombardi e Tornado interpretam carcereiros no presídio que recebe o terrorista vivido por Kaysar Dadour (Ramón Vasconcellos/Divulgação) ?

Com forte campanha de divulgação e estreia prevista para mais de 20 cinemas só na cidade do Rio de Janeiro nesta quinta (28), “Carcereiros – O Filme” leva para as telonas o protagonista e o diretor da série exibida no ano passado pela Globoplay e que venceu o prêmio “full episode” – dedicado a produções já finalizadas – no  2º MPITDrama Screenings, festival dedicado à televisão, em Cannes na França.

Novamente sob a direção de José Eduardo Belmonte, Rodrigo Lombardi volta a viver Adriano – o carcereiro formado em história, a quem já dera vida na série. Tony Tornado, interpretando um colega mais velho de trabalho, é mais um que sai da plataforma da TV digital para o cinema.

Outra coincidência é a trama se basear em livro homônimo de Drauzio Varella – quase da mesma forma que acontecera em “Carandiru” (2003), dirigido por Hector Babenco, com as histórias que antecederam o massacre de 111 mortos em 1992, contadas pelo médico-escritor em “Estação Carandiru” (1999).

No filme de agora, como na série, embora o foco sejam os carcereiros, os presos voltam a ter papel fundamental, com o poder que exercem dentro da cadeia, controlando da comida disponível para cada área do presídio a regalias para os detentos mais poderosos.

Se, na série, Adriano passa por diversos dilemas, no filme, a trama, com roteiro de Marçal Aquino, Fernando Bonassi, Marcelo Starobinas e Dennison Ramalho, mostra uma noite específica na penitenciária.

A tensão começa com o anúncio da chegada do terrorista Abdel Mussa (Kaysar Dadour), acusado de colocar uma bomba em uma escola. O ato covarde contra crianças revolta até outros bandidos e integrantes de uma facção planejam matá-lo durante uma rebelião. Para tentar conter a revolta, os carcereiros recebem o reforço de um grupo de mercenários, cujo comandante é vivido por Jackson Antunes, com sua pinta de Charles Bronson.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, espectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

A ação das cenas recebeu algumas críticas, classificando a produção como exagerada. O protagonista defendei a montagem. “É um filme de ação, um gênero de que o Brasil gosta muito. As pessoas que assistiram à série já entendem aquele universo e quem não viu pode ver o filme sem problema nenhum, porque o Adriano é um resumo de todos os carcereiros”, afirmou, por ocasião do lançamento, Rodrigo Lombardi, sobre o filme que ainda tem Ivan de Almeida, Dan Stulbach e Milton Gonçalves, entre outros.

+Mais!

Cinema

Estreias desta quinta (28):

Duas Coroas

Para contar a história de um mártir que viria a ser canonizado após morrer em Auschwitz, esta produção polonesa de 2017 se divide em trechos interpretados por atores e uma parte documental, filmada na Polônia e, também, na Itália e no Japão, países do eixo durante a 2ª Guerra Mundial. Seu grande personagem é o missionário franciscano Maximiliano Maria Kolbe nascido Rajmund Kolbe, em 1894, e morto em 1941, no mais conhecido campo de concentração nazista. Lá, onde fora confinado pelas tropas alemãs, Kolbe se ofereceu para ficar no lugar Franciszek Gajowniczek, um sargento do exército polonês que havia sido um dos dez prisioneiros condenado à morrer de fome por facilitarem a fuga de outro preso. Em 1982, foi canonizado como São Maximiliano Maria Kolbe pelo também polonês papa João Paulo II, na presença de Gajowniczek, que acabou sobrevivendo às torturas de Auschwitz e viveu até 1995.

A Revolução em Paris

Drama baseado nas revoltas que, em 1789, eclodiram em acontecimentos violentos como a Queda da Bastilha e a própria Revolução Francesa, com a deposição do rei Luís XVI, o qual acabaria sendo executado, entre centenas de outros.

Um Amante Francês

Kad Merad é Alex, que, após perder o emprego e um casamento de 25 anos, fica sem ter onde morar. Enquanto se vê obrigado a ir morar com a irmã e o sobrinho, ele procura um trabalho que lhe dê dinheiro e felicidade: gigolô de uma herdeira rica.

Uma Segunda Chance Para Amar

Comédia romântica inglesa, sobre o improvável casal formado por Tom (Henry Golding) e Kate (Emilia Clarke) uma jovem que trabalha como elfo em uma loja temática de Natal – durante todo o ano.

Fernando

Mistura de documentário e ficção sobre o artista e professor Fernando Bohrer, que, aos 74 anos, é desafiado a interpretar a si mesmo, em sua própria vida.

Os Parças 2

Comédia com Bruno de Luca, Tom Cavalcante, Whindersson Nunes Tirulipa, que precisam fazer uma colônia de férias funcionar logo. O objetivo é fazer dinheiro rapidamente, para fugir do país e de um bandido que acaba de sair da cadeia e passa a ameaçar os “parças”.

Bonnie Bears – Aventura em Miniatura

Animação infantil, sobre dois ursos irmãos que ficam gigantes, após experimentarem uma invenção deles. Enquanto tentam descobrir como voltar ao tamanho normal, eles tentam buscam uma solução contra a poluição que destrói seu ecossistema. Produção da China, país que mais produz poluição atualmente.

Locais e horários em links, nos nomes de cada filme

Teatro

Valsa nº 6

Cláudio Torres Gonzaga deixa um pouco o stand up e dirige Luisa Thiré, que vive Sônia. Nesta peça de Nelson Rodrigues. Morta aos 15 anos, ela tenta desvendar seu passado, tropeçando memórias em alucinações, que incluem a história de seu assassinato.

Texto: Nelson Rodrigues. Direção: Cláudio Torres Gonzaga. Com Luisa Thiré.

Assassinada aos 15 anos, Sônia tenta desvendar o mistério de seu passado: em meio a delírios e memórias, ela revela uma trama de assassinato e intrigas.

Teatro Ipanema. Rua Prudente de Morais 824, Ipanema. Tel.: 2267-3750. Quinta e sexta, às 20h. Entrada: R$ 40 (inteira) / R$ 20 (meia). Só até esta quinta, 29 de novembro.

(Divulgação)

Navalha na carne — Uma homenagem a Tônia Carrero

Luísa Thiré homenageia a avó Tônia Carrero, interpretando a prostituta Neusa Sueli, mesma personagem que ela fez em 1967, neste clássico do submundo de Plínio Marcos. Alex Nader faz cafetão Vado e Ranieri Gonzalez vive Veludo, o faxineiro gay, sob a direção de Gustavo Wabner. Com Luísa Thiré, Alex Nader e Ranieri Gonzalez.

A trama acompanha as relações violentas entre três personagens num quarto: o gigolô Vado, a prostituta Neusa Sueli e o faxineiro Veludo, com os quais ela tem relações violentas.

Teatro Ipanema. Rua Prudente de Morais 824, Ipanema. Tel.: 2267-3750. Sábado a segunda, às 20h. Entrada: R$ 50 (inteira) / R$ 25 (meia). Até 2 de dezembro.

Medida por medida

Curtíssima temporada da peça de William Shakespeare, dirigida por Adriana Maia. A trama desenvolve-se quando o substituto do Duque de Viena aproveita a ausência do nobre para usar do poder em causa própria.

Espaço Sérgio Britto. Rua Santo Amaro 44, Catete. Tel.: 3850-5750. Quarta a sexta, às 20h. Sábado e domingo, em duas sessões, às 18h30 e às 21h. Até 1º de dezembro. Entrada gratuita.

Linda! — Uma homenagem à Linda Batista

Musical, em que Adriana Quadros interpreta a cantora Linda Batista (1919-1988), eleita por 11 anos a Rainha do Rádio. Além de atuar e cantar sucessos como “Vingança”, “Risque” e “Volta”, ela ainda assina o texto, em parceria com Gabriela Calainho e o também diretor Marcelo Marques.

Teatro Prudential — Sala Adolpho Bloch: Rua do Russel 804, Glória. Tel.: 3554-2934. Quarta, às 20h. Entrada: R$ 60 (inteira) / R$ 30 (meia). Até 4 de dezembro.

Estranho

A fim de superar sofrimento e alucinações após o suicídio da mãe, Gan (Mateus Tiburi), cria um espaço virtual onde tenta entender sua existência e a relação dela com o mundo.Casa de Cultura Laura Alvim. Avenida Vieira Souto 176, Ipanema. Tel.: 2332-2016. Terças, às 20h. Até esta quinta, 26 de novembro. Entrada: R$ 40 (inteira) / R$ 20 (meia).


Ópera Pânica

Dirigido por  Judson Feitosa, o texto de Alejandro Jodorowsky reúne personagens surreais e patéticos, como uma professora que canta ópera para entreter os alunos.

Teatro Candido Mendes. Rua Joana Angélica 63, Ipanema. Tel.: 2523-3663. Quarta e quinta, às 20h. Até 19 de dezembro. Entrada: R$ 50 (inteira) / R$ 25 (meia).

Arigó

Dirigido por Marcelo Morato, Ezequiel Vasconcelos faz espetáculo solo, em texto de sua própria autoria, na qual interpreta Lázaro. Com o nome do personagem bíblico que renasce, ele assume a missão de cuidar da família após a morte do irmão mais velho e, contra a vontade dos pais, embarca do Sertão para a Amazônia, onde vai trabalhar na extração de borracha para a 2ª Guerra Mundial.

Teatro Municipal Maria Clara Machado. Planetário – Av. Padre Leonel Franca 240, Gávea. Tel.: 2274-7722. Quarta e quinta, às 20h. Entrada: R$ 40 (inteira) / R$ 20 (meia). Até 5 de dezembro.

As açucenas

Atores do Nuviar (Núcleo de Vivências em Arte), Davi Cunha, Marcos Rangel e Rodrigo Carinhana compartilham textos adaptados do espanhol Federico Garcia Lorca (1898-1936). Cunha também dirige.

Sesc Copacabana (Sala Multiuso). Rua Domingos Ferreira 160, Copacabana. Tel.: 2547-0156. Quinta a domingo, às 18h. Entrada: R$ 30 (inteira) / R$ 15 (meia, válida também para quem levar 1kg de alimento não perecível). Até 15 de dezembro.

Um dia a menos

Leonardo Netto adaptou o texto de Clarice Lispector, pelo qual dirige o espetáculo solo de Ana Beatriz Nogueira sobre a rotina de uma mulher em casa e seu esgotamento.

Teatro Petra Gold — Sala Marília Pêra: Rua Conde de Bernadotte 26, Leblon, Tel.: 2529-7700. Sábado e domingo, às 17h. Até 8 de dezembro Entrada: R$ 60 / R$ 30 (meia).

Shows 

Alma Thomas e Thiago Trajano

Comemoração de sete anos do duo formado pela cantora americana radicada no Rio com o guitarrista carioca. Inspirados no emblemático repertório de Ella Fitzgerald com Joe Pass, eles fazem um show intimista, a partir do fim da tarde. Na sequência da programação, o vibrafonista Lourenço Vasconcellos comanda um sexteto que ainda tem flauta, violino, piano, baixo e bateria. Ele toca de rock a música de concerto, passando por jazz e MPB, além de músicas próprias, como “Apaixonado” e “Abrigo para Descansar”. 

Triboz. Rua Conde de Lages 19, Lapa. Tel.: 2210-0366. Quinta (28). Couvert artístico: R$ 15 (1º show, das 18h às 20h30) / R$ 30 (2º show, das 21h à 1h).

Guilherme Arantes

Show mais intimista do o cantor, compositor e pianista. No palco do teatro, Guilherme Arantes ressalta melodias marcantes como as de “Uma Dia, Um Adeus”, “Cheia de charme”, “Coisas do Brasil” e, espera-se, “Deixa Chover”.

Theatro Net Rio . Rua Siqueira Campos 143, sobreloja, Copacabana. Tel.: 3247-8060. Quinta, às 21h. Ingressos de R$ 65 a R$ 150. 

Raul Mascarenhas e Conexão Rio

Com passagens por bandas de músicos que vão de Gilberto Gil e Milton Nascimento a George Benson, o saxofonista encerra a temporada de novembro do Jazz +, convidando a banda composta por André Cechinel (piano), Fernando Barroso (baixo), Fernando Clark (guitarra) e Zé Mário (bateria).Baretto-Londra.  Hotel Fasano. Avenida Vieira Souto, 80, Arpoador. Quinta, a partir das 21h. Tel.: 3202-4000. Entrada: R$80 (inteira) / R$40 (meia).


Dilma Oliveira

A cantora revisita standards da bossa nova e sambas clássicos.

Beco das Garrafas. Rua Duvivier 37, Copacabana. Tel.: 96800-8683. Flavia Dantas: Terça (19), às 21h. R$ 30. Dilma Oliveira: Quarta, às 20h30. R$ 40. 

Almério

O cantor e compositor pernambucano lança CD e DVD “Desempena – Ao vivo”.

Caixa Cultural. Av. Almirante Barroso 25, Carioca. Tel.: 3980-3815. Quinta (28), às 19h. Entrada: R$ 30 (inteira) R$ 15 (meia).

Marcos Sacramento

Uma das vozes masculinas mais poderosas da música brasileira atual, o cantor e compositor apresenta as músicas de seu novo disco, “Drago”, no Baixo Gávea.

Dumont Arte Bar. Praça Santos Dumont 116, Gávea. Quinta (28), às 21h30. Entrada: R$ 40. 

 

Zanna

Autora da música de fundo do metrô, a cantora, compositora e violonista spresenta pertinho da estação Cinelândia, com Guilherme Gê (teclados/direção musical), Beatriz Lima (baixo), Janaína Salles (violoncelo), Michel Nirenberg (sopros) e Junior Moraes (percussão). Marcos Suzano, no pandeiro, e a DJ dinamarquesa Fefe Life, fazem participações especiais.

Teatro Rival. Rua Álvaro Alvim 33/37, Cinelândia. Tel.: 2240-9796. Quinta (28), às 19h30. Entrada: R$ 60 (inteira) / R$ 30 (meia). 

Sexteto Sucupira

Com participação especial  Julia Vargas, o grupo formado por Rudá Brauns (bandolim), Alexandre Flautas (sopros), Felipe Chernicharo (guitarra), Max Dias (baixo), Lucas Videla (percussão) e Cláudio Lima (bateria) faz seu Forró Jazz Cigano Tropical, em que dialoga música brasileira com internacional. Egil DJ toca nos intervalos.

Fundição Progresso. Rua dos Arcos, 24, Lapa, a partir das 22h. Entrada: grátis, até 21h, para quem for fantasiado ou com nome na lista amiga (com inscrição até as 18h) / R$ 15 (na lista amiga, se chegar após as 21h) / R$ 20 (preço normal).

Antecipando o finde…

Mimo Rio 2019

Jards Macalé, o bandolim de Hamilton de Holanda, a guitarra portuguesa de Marta Pereira da Costa, o pandeiro de Marcos Suzano, a voz de Xenia França e a dupla Amadou e Mariam, de Mali, são algumas das atrações do festival, no Parque das Ruínas e na Fundição Progresso. O Mimo ainda traz filmes musicais sobre temas que vão de Ary Barroso ao mangue beat, no Cine Odeon, palestras e workshops, com algumas das atraçoes. O site traz a programação completa, mas ainda falaremos mais dele.

Victor Biglione Trio

Acompanhado por Jorge Pescara (baixo) e Fábio Cezanne (bateria), o guitarrista faz versões para clássicos do jazz, de compositores como Paul Desmond e John Coltrane, além do blues e do rock de pares como Santana e Jimi Hendrix.Centro Cultural dos Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Candelária. Tel.: 2253-1580. Sexta (29) às 19h. Entrada: R$ 30 (inteira) / R$ 15 (meia).


Elza Soares – Planeta Fome

Com forte produção, aos 89 anos a cantora lança novo álbum de gravações inéditas, cujo título é tirado de sua resposta, em 1953, a Ary Barroso. “De qual planeta você vem, minha filha?”, debochou, em 1953, o compositor e radialista, à aspirante que se apresentaria em seu programa de calouro. “Do Planeta Fome”, respondeu a Mulata Assanhada, na lata.

Circo Voador. Rua dos Arcos s/nº, Lapa. Tel.: 2533-0354. Sexta (29), com abertura dos portões às 22h. Entrada: R$ 120 (inteira) / R$ 60 (meia, válida também para quem levar 1kg de alimento não perecível) – 2º lote, online. R$ 140 (inteira) / R$ 70 (meia, válida também para quem levar 1kg de alimento não perecível), 3º lote, no dia.

Baia

O músico, que tenta um rock/MPB raulseixista, se apresenta junto à festa Da Lata e recebe a participação de Gabriel Moura, seu ex-colega no 4 Cabeça. Outro ex-integrante, Luiz Carlinhos faz o show de abertura.

Circo Voador.  Rua dos Arcos s/nº, Lapa. Tel.: 2533-0354. Sábado (30), com abertura dos portões às 22h. Entrada: R$ 100 (inteira) / R$ 50 (meia, válida também para quem levar 1kg de alimento não perecível)

Tiago Iorc

A MTV quase nem toca mais música há muito tempo, mas ainda lança o formato “Acústico MTV”. O mais recente é de Tiago Iorc, que a borde de hits melosos, como “Amei Te Ver”,  lança o álbum sexta (29), às 22h, no Km de Vantagens Hall, (Via Parque. Av. Ayrton Senna 3.000, Barra. Tel.: 2430-5100), e sábado, no Vivo Rio (Av. Infante Dom Henrique 85, Aterro do Flamengo, altura do Castelo. Tel.: 2272-2901). Ingressos de R$ 50 a R$ 320.

Exposições

Luiz Aquila – 3º Milênio

O orientador artístico da Geração 80 expõe 30 pinturas feitas por ele nos últimos dez anos. 

Museu Nacional de Belas Artes. Av. Rio Branco 199, Cinelândia. Tel.: 3299-0600. Terça a sexta-feira, das 10h às 18h. Sábados, domingos e feriados, das 13h às 18h. Ingressos: R$ 8 (entrada gratuita aos domingos). Até 1º de dezembro.

(Divulgação)

Egito Antigo – do Cotidiano à Antiguidade

Cerca de 140 peças, sendo 89 do Museu Egípcio de Turim, trazem para os dias de hoje tumbas, sarcófagos, desenhos e objetos pessoais que ajudam a entender a cultura, a ciência e a vida cotidiana no Egito dos faraós, de 4.000 a.C a 30 a.C.

CCBB. Rua Primeiro de Março, 66, Centro (em frente à Candelária). 

Tel.: 3808-2000. Quarta a segunda, das 9h às 21h. Até 27 de janeiro. Entrada gratuita.

Favelagrafia

No 2º andar do Museu de Arte Moderna, uma câmara escura expõe 53 fotografias, de nove artistas, de diferentes favelas do Rio, em diversos focos de interesse e cada qual com técnica e estilo e próprios. Em duas paredes, nove vídeos contínuos mostram o processo criativo de cada artista.

MAM. Av. Infante Dom Henrique, 85, Aterro do Flamengo (altura do Castelo). Tel.:3883-5600. Terça a sexta, das 12h às 17h30; sábados, domingos e feriados, das 11h às 17h30.Entrada: R$ 14 (inteira) / R$ 7 (meia). Ingresso-família (aos domingos): R$ 14, para cinco pessoas. Grátis às quartas-feiras. Até 8 de dezembro

Força Leveza Precisão

A mostra temática reúne esculturas modernas, todas feitas em aço, com diversas técnicas, estilos e conceitos, por Franz Weissmann (1911-2005), Amilcar de Castro (1920-2002) e Waltercio Caldas (1946). 

MAM. Av. Infante Dom Henrique, 85, Aterro do Flamengo (altura do Castelo). Tel.:3883-5600. Terça a sexta, das 12h às 17h30; sábados, domingos e feriados, das 11h às 17h30.Entrada: R$ 14 (inteira) / R$ 7 (meia). Ingresso-família (aos domingos): R$ 14, para cinco pessoas. Grátis às quartas-feiras. Até 8 de dezembro

Carlos Vergara – Prospectiva

O artista compõe o ambiente do segundo andar do MAM com traços e cores de monotipias (gravuras tiradas de uma só impressão) feitas em Santa Teresa, onde mora; no Cais do Valongo, na Zona Portuária, e durante viagens, de grandes quadros a pequenos sudários que, lado a lado, formam painéis e mosaicos.

Museu de Arte Moderna. Av. Infante Dom Henrique, 85, Aterro do Flamengo (altura do Castelo). Tel.: 3883-5630. Terça a sexta, das 12h às 18h. Sábados, domingos e feriados, das 11h às 18h. Até 12 de janeiro de 2020. Entrada: R$ 14 (inteira) / R$ 7 (meia). Grátis às quartas-feiras.

Exposição cultural e tecnológica Brasil-China

Painéis com dados históricos e vídeos mostram a chegada dos chineses ao Brasil no século XIX até a atualidade das relações entre os dois países, na exposição, que ainda terá haverá atividades como oficinas de chás e de máscaras.

Memorial Getúlio Vargas. Praça Luís de Camões, Glória. Tel.: 2205-8191. Terça a domingo, das 10h às 17h. Até 5 de janeiro. Entrada gratuita.

Santo Antônio de Sá: primeira vila do Recôncavo da Guanabara

A exposição reúne 65 peças arqueológicas encontradas na região então conhecida como Recôncavo da Guanabara, em torno da Baía, onde hoje ficam partes de Magé, Guapimirim e Itaboraí. Dentre as peças, 11 foram resgatadas dos escombros do Museu Nacional. 

Caixa Cultural

Av. Almirante Barroso 23, Carioca. Tel.: 3980-3815. Terça a domingo, das 10h às 21h.  Até 8 de dezembro. Entrada gratuita.

Rona Neves – Nódoa

Pinturas e instalações, além de objetos como cadernos de poesias compõem a mostra individual deste artista carioca.

Centro Cultural Municipal Hélio Oiticica

Rua Luís de Camões 68, Praça Tiradentes. Tel.: 2242-1012. Segunda a sábado, das 12h às 18h. Entrada gratuita.  Até 30 de novembro.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui