IED assina a programação visual, que combina as diferentes peças da mostra (foto: João Pequeno)

Essencial para a o desenvolvimento da engenharia e da arquitetura desde 2.000 a.C., o aço é material que liga os trabalhos de três artistas na exposição recém-inaugurada pelo Museu de Arte Moderna. Franz Weissmann (1911-2005), Amilcar de Castro (1920-2002) e Waltercio Caldas (1946) têm como ponto comum, nessa mostra, a liga metálica de ferro e carbono, tão essencialmente relacionada às grandes cidades e fábricas da indústria pesada.

“Força precisão leveza — Aço e criação artística”, reúne cerca de 30 esculturas desses três artistas no espaço 2.4 do MAM (2º andar).

Como o nome da mostra destaca, a subversão do caráter pesado do aço é um dos grandes desafios a que eles se propuseram, ao utilizar diferentes processos para moldar o duro aço em esculturas, bem de acordo com a versatilidade e a criatividade a que o espírito da arte instiga, junto com o espírito do tempo: no caso, de transformar os elementos correntes de sua época em matéria-prima para as obras artísticas – tal como se passou a fazer posteriormente com a eletrônica e, mais recentemente, com a informática e até com a tecnologia quântica.

“Todas as obras aqui reunidas tiveram origem naqueles elementos brutos e primários que, submetidos à ação transformadora da ciência e da indústria, resultaram em um elemento chamado aço, ao qual cada um desses três artistas conferiu nova e diferente significação através de seus respectivos processos cria”, aponta o curador Franklin Espath Pedroso, na apresentação da mostra. 

Ele ressalta que a exposição reúne “três artistas de diferentes gerações”, mas guardadas as pequenas diferenças de período – especialmente entre os quase contemporâneos Franz Weissmann e Amilcar de Castro –, todos desenvolveram seus trabalhos ao longo do período histórico que marcou a transição do Brasil de rural para país de maioria urbana. Momento em que o aço se tornou elemento mais presente na vida brasileira, especialmente após a industrialização a partir de meados do século XX, o que contribuiu, inclusive, para os trabalhos apresentados no MAM, graças à “versatilidade e o desenvolvimento deste material neste período da história da arte brasileira”, como acrescenta o curador.



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

Pedroso ainda divide o projeto expográfico com o IED (Istituto Europeo di Design), que desenvolveu a programação visual das peças, distribuídas pelos 1.800 m² do espaço 2.4.

Artistas e obras

Franz Weissmann

Artista com maior número de obras em espaços públicos do país, do Parque da Catacumba ao Memorial da América Latina (SP), o arquiteto, pintor e escultor nasceu na Áustria e veio aos 11 anos para cá, onde se tornou “um dos grandes nomes do projeto construtivo brasileiro”, segundo o curador de“Força precisão leveza”. Na exposição, elas vão da “Torre” (“Coluna Neoconcreta I”), de 1957, ao Espaço Circular”, iniciado por ela em 2004 e cujo projeto foi concluído de forma póstuma, em 2011. 

‘Torre’, de 1957 (foto: Wilton Montenegro)

                                                                                                              

Amilcar de Castro

Doada ao MAM pelo poeta Ferreira Gullar (1930-2016), a escultura “Sem título”, de 2000, já se encontra exposta no jardim do museu. Ao todo, Amilcar tem, na mostra, 11 obras, nas quais “quase sempre utiliza placas densas e grossas de açoe simplesmente as dobra com tamanha suavidade como se fossem simples folhas de papel”, como ressalta Pedroso. 

Sem título’ doada por Gullar (foto: Vicente de Mello)

 

Waltercio Caldas

Único ainda vivo entre os três artistas, Waltercio tem, no MAM, obras pouco conhecidas no Brasil, como “Mar de Exemplo”, em aço inoxidável e acrílico, vista apenas quando foi criada, no Sesc Belenzinho, em São Paulo, em 2014, e  “O Incidente” – feita em 1995, com fios de lã e aço inoxidável, nunca antes exposta no Brasil.                

‘O Incidente’, de 1995 (foto: divulgação)

+Mais!

Favelagrafia

No 2º andar do Museu de Arte Moderna, uma câmara escura expõe 53 fotografias, de nove artistas, de diferentes favelas do Rio, em diversos focos de interesse e cada qual com técnica e estilo e próprios. Em duas paredes, nove vídeos contínuos mostram o processo criativo de cada artista.

MAM. Av. Infante Dom Henrique, 85, Aterro do Flamengo (altura do Castelo). Tel.:3883-5600. Terça a sexta, das 12h às 17h30; sábados, domingos e feriados, das 11h às 17h30.Entrada: R$ 14 (inteira) / R$ 7 (meia). Ingresso-família (aos domingos): R$ 14, para cinco pessoas. Grátis às quartas-feiras. Até 8 de dezembro

Zanine 100 anos – Forma e Resistência

Reúne 18 móveis, como poltronas, rede e até uma namoradeira, todos feitos com madeira pelo artista considerado um dos pais da arquitetura moderna brasileira.

Museu de Arte Moderna. Av. Infante Dom Henrique, 85, Aterro do Flamengo (altura do Castelo). Tel.: 3883-5630. Terça a sexta, das 12h às 18h. Sábados, domingos e feriados, das 11h às 18h. Até 17 de novembro. Entrada: R$ 14 (inteira) / R$ 7 (meia). Grátis às quartas-feiras.

Carlos Vergara – Prospectiva

O artista compõe o ambiente do segundo andar do MAM com traços e cores de monotipias (gravuras tiradas de uma só impressão) feitas em Santa Teresa, onde mora; no Cais do Valongo, na Zona Portuária, e durante viagens, de grandes quadros a pequenos sudários que, lado a lado, formam painéis e mosaicos.

Museu de Arte Moderna. Av. Infante Dom Henrique, 85, Aterro do Flamengo (altura do Castelo). Tel.: 3883-5630. Terça a sexta, das 12h às 18h. Sábados, domingos e feriados, das 11h às 18h. Até 12 de janeiro de 2020. Entrada: R$ 14 (inteira) / R$ 7 (meia). Grátis às quartas-feiras.

Egito Antigo – do Cotidiano à Antiguidade

Cerca de 140 peças, sendo 89 do Museu Egípcio de Turim, trazem para os dias de hoje tumbas, sarcófagos, desenhos e objetos pessoais que ajudam a entender a cultura, a ciência e a vida cotidiana no Egito dos faraós, de 4.000 a.C a 30 a.C.

CCBB. Rua Primeiro de Março, 66, Centro (em frente à Candelária). 

Tel.: 3808-2000. Quarta a segunda, das 9h às 21h. Até 27 de janeiro. Entrada gratuita.

Exposição cultural e tecnológica Brasil-China

Painéis com dados históricos e vídeos mostram a chegada dos chineses ao Brasil no século XIX até a atualidade das relações entre os dois países, na exposição, que ainda terá haverá atividades como oficinas de chás e de máscaras.

Memorial Getúlio Vargas. Praça Luís de Camões, Glória. Tel.: 2205-8191. Terça a domingo, das 10h às 17h. Até 5 de janeiro. Entrada gratuita.

Santo Antônio de Sá: primeira vila do Recôncavo da Guanabara

A exposição reúne 65 peças arqueológicas encontradas na região então conhecida como Recôncavo da Guanabara, em torno da Baía, onde hoje ficam partes de Magé, Guapimirim e Itaboraí. Dentre as peças, 11 foram resgatadas dos escombros do Museu Nacional. 

Caixa Cultural

Av. Almirante Barroso 23, Carioca. Tel.: 3980-3815. Terça a domingo, das 10h às 21h.  Até 8 de dezembro. Entrada gratuita.

Rona Neves – Nódoa

Pinturas e instalações, além de objetos como cadernos de poesias compõem a mostra individual deste artista carioca.

Centro Cultural Municipal Hélio Oiticica

Rua Luís de Camões 68, Praça Tiradentes. Tel.: 2242-1012. Segunda a sábado, das 12h às 18h. Entrada gratuita.  Até 30 de novembro.

Luiz Aquila – 3º Milênio

O orientador artístico da Geração 80 expõe 30 pinturas feitas por ele nos últimos dez anos. 

Museu Nacional de Belas Artes. Av. Rio Branco 199, Cinelândia. Tel.: 3299-0600. Terça a sexta-feira, das 10h às 18h. Sábados, domingos e feriados, das 13h às 18h. Ingressos: R$ 8 (entrada gratuita aos domingos). Até 1º de dezembro.

Teatro

Entre cinzas, ossos e elefantes

Dentro de uma instalação, os espectadores escolhem o percurso desta  peça de criação coletiva, dirigida por Renato Rocha, com Claudia Wer, Dani Barbosa e Daniel Bouzas, sobre o que citam como o desmoronamento de uma sociedade.

Casa da Glória. Ladeira da Glória 98, Glória. Tel.: 98849-7853. Domingo, segunda e terça, às 20h. Entrada: R$ 40 (inteira). Até 3 de dezembro.

 

Estranho

A fim de superar sofrimento e alucinações após o suicídio da mãe, Gan (Mateus Tiburi), cria um espaço virtual onde tenta entender sua existência e a relação dela com o mundo.

Casa de Cultura Laura Alvim. Avenida Vieira Souto 176, Ipanema. Tel.: 2332-2016. Terças, às 20h. Até 26 de novembro. Entrada: R$ 40 (inteira) / R$ 20 (meia). 

 

A vida passou por aqui

Claudia Mauro atua na peça de sua autoria, em que narra a amizade entre um faxineiro bem-humorada e uma professora e artista plástica que se sente solitária.

Teatro Petra Gold – Sala Marília Pêra. Rua Conde Bernadotte 26, Leblon. Tel.: 2529-7700. Terças, às 20h. Até 17 de dezembro. Entrada: R$ 60 (inteira) / R$ 30 (meia). 

A mão na face

A prostituta Mara e a travesti Gina confabulam sobre desejos e frustrações, no camarim, entre shows.

Espaço Fluir .Rua Visconde de Caravelas 176, Botafogo. Tel.: 2235-4821. Quartas, às 20h. Até 4 de dezembro. Entrada: R$ 50 (inteira).

Maratona de Nova York

Walter Lima Junior dirige a peça de Edoardo Erba, em que Ricardo Martins e Roger Gobeth vivem dois corredores que conversam sobre suas vidas, enquanto se preparam para a maratona em Nova York.

Teatro Gláucio Gill. Praça Cardeal Arcoverde s/nº, Copacabana. Tel.: 2332-7904. Quartas e quintas, às 20h. Entrada: R$ 50 (inteira) / R$ 25 (meia). Até 21 de novembro.

Ricardo Martins e Roger Gobeth, como os dois corredores na ‘Maratona de Nova York’  (Edu Rodrigues/Divulgação)

Música

Casuarina

O grupo de samba da Zona Sul comemora sua maioridade. Emanuelle Araújo e Moska fazem participações especiais na festa de 18 anos.

Fundição Progresso. Rua dos Arcos, 24, Lapa. Terça (19), às 21h. Entrada: R$ 80 (inteira) / R$ 40 (meia)

Flavia Dantas

Acompanhada pelo violonista Bernardo Dantas, a cantora homenageia João Gilberto e Nara Leão.

Beco das Garrafas. Rua Duvivier 37, Copacabana. Tel.: 96800-8683. Terça (19), às 21h. R$ 30. 

Lizza Dias

A cantora gaúcha lança o EP “Caboclinhas”, em que mistura coco, jongos e maracatus.

CCJF (Centro Cultural Justiça Federal). Av. Rio Branco 241, Cinelândia. Tel.: 3261-2565. Terça (19), às 19h. Entrada: R$ 30 (inteira) / R$ 15 (meia).

Orquestra de Atabaques Alabê Funfun

O grupo percussivo toca músicas religiosas de umbanda e candomblé.

Sala Cecília Meireles. Largo da Lapa 47, Lapa. Tel.: 2332-9223. Terça (19), às 20h. Entrada: R$ 2 (inteira) / R$ 1 (meia).

Pedro Luís

Com participações especiais de Ney Matogrosso, Rubel, Jade Beraldo e Bianca Ramoneda, através de projeções, o compositor faz apresentação única do show “Macro”. O compositor e multi-instrumentista Yuri Queiroga o acompanha ao vivo, no show, que ainda tem a concepção visual de Batman Zavareze.

Teatro Casa Grande. Av. Afrânio de Melo Franco 290, Leblon. Tel.: 2511-0800. Quarta (20), às 20h. Entrada: R$ 40 (inteira) / R$ 20 (meia).

Cinema

O Irlandês

Robert De Niro protagoniza o novo filme sobre a máfia de Martin Scorsese, que também traz de volta Joe Pesci e Harvey Keitel a sua famiglia, sempre com a pós-produção de Thelma Shoomaker, além de dirigir Al Pacino pela primeira vez. Baseado no livro em que o matador profissional Frank Sheeran (De Niro) assume, três décadas depois, o assassinato do líder sindical Jimmy Hoffa (Pacino), a quem fora apresentado pelo capo Russell Bufalino (Pesci).

Invasão ao Serviço Secreto

Morgan Freeman volta a viver um presidente dos EUA no thriller dirigido por Ric Roman Vaugh. Se, em “Impacto Profundo”, um meteoro ameaçava a Terra, neste longa, o presida, em si, é o alvo de terroristas. Eles invadem o sistema do serviço secreto americano para pôr a culpa em de seus agentes,  Mike Banning (Gerard Butler), o qual precisa salvar o governante e provar sua inocência.

As Panteras

Kristen Stewart, Ella Balinska e Naomi Scott vivem s Charlie’s Angels 

Sabina Wilson, Jane Kano e Elena Houghlin neste novo filme. Desta vez, a missão do trio de felinas para salvar a humanidade é impedir que um novo programa de energia se transforme uma ameaça nuclear.

Adam

Representante do Marrocos para concorrer a melhor filme internacional do Oscar, conta uma reviravolta na vida de Abla. Viúva, que vende pães e doces sonhando com um futuro para filha de dez anos, ela é obrigada a se readaptar para ajudar uma jovem grávida.

A Camareira

Gabriela Cartol é Eve, uma jovem mãe solteira que, para melhorar de vida, se inscreve  no programa de educação para adultos do hotel de luxo onde trabalha como camareira, na Cidade do México. A partir, se depara com obstáculos até então inesperados.

Diz a Ela Que Me Viu Chorar

Confinados dentro de um prédio em São Paulo, dependentes de crack tentam reconstruir suas vidas, enquanto vivem as dificuldades da desintoxicação.

Estaremos Sempre Juntos

Comédia dramática francesa sobre amizade e meia-idade. Max (François Cluzet) vai passar o final de semana em sua casa de praia, mas os Eric (Gilles Lellouche), Marie (Marion Cotillard), Vincent (Benoît Magimel), Isabelle (Pascale Arbillot) e Antoine (Laurent Lafitte) decidem fazer uma festa-surpresa de aniversário para ele e acabam com seu sossego.

Azougue Nazaré

Um grupo de pessoas vive suas vidas e tensões, enquanto aguarda a chegada do Carnaval em uma cidade fictícia do interior.

Dora e a Cidade Perdida

Na Amazônia Peruana, com a ajuda do macaco Botas, de um explorador e de amigos da escola adolescente Dora (Isabella Merced) precisa salvar seus pais de mercenários. Para isso, tem que descobrir um segredo sobre Paratapa, antiga cidade perdida dos Incas.

Ford vs. FerrariCinebiografia em que Matt Damon interpreta Carroll Shelby (1923-2012), ex-piloto contratado, na década de 1960, pela Ford, que tentava concorrer contra a Ferrari no automobilismo. Com o piloto e engenheiro Ken Miles (Christian Bale) como braço direito, antes da própria Ferrari, Shelby precisa enfrentar a própria diretoria da Ford – mais preocupada com a imagem da empresa do que com o esporte em si.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui