O comércio no Rio de Janeiro sofreu com a crise financeiro que atingiu o país em 2020. Entretanto, a esperança para o final do ano, principalmente com o feriado de Natal, é crescente. Segundo pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o estado fluminense aparece como uma das regiões que mais deve abrir vagas de emprego durante o mês de dezembro. Isso significa um alento para o mercado de trabalho carioca.



Toda manhã o resumo do Rio de Janeiro

Com a esperança de bons números durante o feriado, o CNC calcula que no Rio de Janeiro serão abertas 6,9 mil vagas de emprego temporárias para o Natal. É o terceiro estado brasileiro com mais oportunidades neste período, ficando atrás apenas de São Paulo e Minas Gerais, e à frente do Rio Grande do Sul. Essas quatro regiões vão concentrar 55% das vagas temporárias que costumam acontecer na época de Natal.

Esse período no final do ano costuma ser o mais importante para o comércio nacional. Em 2019, por exemplo, o faturamento no Natal das lojas teve uma alta de 9,5% e ultrapassou os R$ 169 bilhões. Isso explica o motivo de alguns comércios investirem tanto nesta época, seja com funcionários temporários ou então com enfeites e propagandas voltadas para o tema e o clima de Natal.

Até mesmo o mundo digital se adapta para entrar no espírito natalino. Algumas lojas virtuais, como a Lojas Americanas e o Mercado Livre, além de realizar promoções para o período, costumam enfeitar o site com efeitos visuais que lembram o feriado de fim de ano. O tema de Natal também ganha espaço com as slot machines de plataformas de cassino, como a Secret Santa e a Xmas Magic, para agradar os fãs de apostas online. Os adeptos dos jogos de última geração, como Overwatch e Fortnite, não ficam de mãos vazias, pois costumam receber conteúdo temático natalino no final do ano.

Shoppings investem no feriado

Os centros comerciais costumam ser os que mais lucram durante o Natal, principalmente no Rio de Janeiro. Além de atrair as pessoas com enfeites e até apresentações de música, os shoppings também oferecem promoções exclusivas e sorteios de carros ou qualquer outra premiação. Em 2020, essa ação será necessária para conseguir superar o início ruim do ano e a crise enfrentada nos últimos meses.

Alguns centros comerciais na Zona Oeste do Rio de Janeiro, como o BarraShopping e o NewYorkCityCenter, apresentaram os enfeites escolhidos para o Natal, e que devem ficar até o início de janeiro. Esses dois shoppings também anunciaram a distribuição de R$ 1,8 milhão em prêmios. Esse forma de marketing mais agressiva é normal durante o fim de ano. Outros centros comerciais devem atuar da mesma maneira, seja na capital ou em outras cidades cariocas.

Fora do Rio de Janeiro, o cenário é parecido, e isso explica porque o final do ano é tão importante para o comércio brasileiro. Além das festas de fim de ano, dezembro também marca o 13º salário para muitos funcionários, e isso significa um maior consumo. Por conta disso, os shoppings e lojas por todo o Brasil devem investir ainda mais forte neste fim de ano, justamente para recuperar o tempo perdido em 2020.

Mais vendas no e-commerce

Quem vive uma situação diferente é o e-commerce brasileiro, que bateu recordes em 2020 e espera vender ainda mais no final do ano. O crescimento no comércio online atingiu uma taxa de 47%, se comparado com o ano passado, durante os nove primeiros meses deste ano. Isso significa que, até o final de dezembro, o faturamento do e-commerce deve quebrar ainda mais recordes de vendas online.

O resultado foi ainda mais investimento desse setor nos estados brasileiros. A Magazine Luiza, por exemplo, inaugurou um centro de distribuição em Duque de Caxias, justamente para conseguir lidar com as entregas para o Rio de Janeiro de maneira mais efetiva. Outras lojas virtuais, como a Amazon Brasil, também realizou ações parecidas, justamente pensando no fim de ano e nas vendas de 2021. A chegada do Natal significa um alento para alguns comerciantes e, principalmente, para as pessoas que estão em busca de um emprego. As 6,9 mil vagas temporárias podem não parecer muito, mas serão importantes para reaquecer a economia do Rio de Janeiro durante o final do ano. A esperança é que os números melhorem para que, em 2021, o estado volte a crescer economicamente e sem qualquer crise no meio do caminh

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui