Vista aérea do Cristo Redentor e de parte do Rio de Janeiro - Foto: Reprodução/Internet

Apesar de ser muito importante para os passeios turísticos mesmo em tempos tecnológicos, o Rio não tinha muitos mapas turísticos. Pelo contrário, trata-se de um item básico, mas que era raro na Cidade Maravilhosa. Para suprir a falta deste tipo de informativo, o Rio Convention & Visitors Bureau lança, em parceria com a Fecomércio-RJ, o “Mapa Guia da Cidade”. O folheto disponível em inglês e português vai trazer informações sobre lugares e experiências para quem quer explorar diferentes cantos do Rio.

A distribuição começou nesta quarta-feira (28/04) em hotéis, e em breve será feita em restaurantes e espaços turísticos parceiros do Rio CVB, no Centro, Zona Sul e Zona Oeste da cidade. Inicialmente, serão disponibilizados 100 mil mapas gratuitos.

Foto: Divulgação

Por conta da pandemia da Covid-19, o perfil dos turistas passou a ser mais nacional e até mesmo local, com os cariocas conhecendo melhor a própria cidade.

O Mapa Guia da Cidade vai ser fundamental para incentivarmos a circulação desses grupos, seguindo os protocolos de segurança sanitária que o momento exige. A iniciativa acontece em paralelo a outro projeto que estamos retomando, o portal Visit.Rio. Juntas, as duas propostas vão ganhar ainda mais força no pós-pandemia, com a retomada do setor”, afirma Roberta Werner, diretora executiva do Rio CVB.

O folheto reúne informações e contatos de agentes de viagem, locais de hospedagem, espaços para eventos, transportes e prestadores de serviço. Com a reabertura de museus, instituições culturais e parques no Rio, a expectativa é que a distribuição incentive a circulação de turistas por estes espaços, privilegiando atividades ao ar livre e seguindo os protocolos sanitários.

1 COMENTÁRIO

  1. Louvo esta iniciativa do Rio Convention & Visitors Bureau e de sua Direção, a qual deveria ser lançada pela Prefeitura do Rio, porém… acho que seria querer demais, não é? Nem tudo, então, está perdido! Que outras iniciativas positivas assim venham e convirjam num sistema de referência básica para os turistas nacionais e o futuro fluxo de turistas estrangeiros na “pós-pandemia”. Até mesmo por uma questão de segurança dos visitantes, pois mesmo que a constituição de uma infraestrutura moderna e eficiente de turismo receptivo para a cidade do Rio de Janeiro venha a ser uma realidade em breve, a violência na capital e no Estado está muito longe de diminuir, infelizmente…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui