Rio de Janeiro - 442 Anos por Eloisa Bem, se fosse outra cidade teríamos de botar como título que seria cenário, mas o Rio é, sim, personagem. Os atores trabalham junto com a cidade, pega uma cena de "Mandrake", uma excelente série da HBO, a cidade ali está contracenando com o Marcos Palmeira. "Pequeno Dicionário Amoroso" e "Cidade de Deus", filmes completamente diferente, mas que marcam momentos de renascimento do cinema nacional, o Rio de Janeiro é o personagem principal… os atores, excelentes, são coadjuvantes perto da cidade.

E, interessante, a forma de mostrar a violência de filmes como o "Tropa de Elite" e "Cidade de Deus", é diferente da forma que, por exemplo, a novela "Duas Caras" ou mesmo a imprensa, mostam. Há ali no cinema a tonalidade da ficção, da distância, como se dissesse Los Angeles não tem uma gang por esquina, Tóquio não é semanalmente invadida por monstros gigantes e o Rio de Janeiro não tem uma bala perdida por turista. Quando visto na tela grande, o Rio de Janeiro é só lindo, é o Rio do "Bossa Nova".

Bem, isso foi para comentar que começou no Rio, na quinta-feira, as filmagens de "Budapeste", baseado no livro de Chico Buarque, é o que noticia o CCSP.

A história tem como protagonista José Costa, um ghost-writer exaurido por seu próprio talento, que se vê em um impasse criativo e existencial, dividido entre duas cidades – Rio e Budapeste -, duas mulheres e dois idiomas.

José Costa será interpretado pelo paulista Leonardo Medeiros. A brasileira Giovanna Antonelli e os portugueses Ivo Canelas e Nicolau Breyner são outros nomes confirmados no elenco.

As filmagens devem durar oito semanas, entre Rio de Janeiro e Budapeste.

Não li Budapeste, fiquei tão decepcionado com o estilo confuso de Chico Buarque em "O Estorvo" que não me empolguei para ler outros livros dele.

Foto retirada do Flickr de Eloisa.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui