Rio de Janeiro tem potencial para receber R$ 54,8 bilhões em concessões e PPPs

https://www.accorhotels.com/B215

O Rio de Janeiro apresenta um potencial de R$ 54,8 bilhões em investimentos via concessões e Parcerias Público Privadas (PPPs) distribuídos em 142 oportunidades espalhadas por todas as regiões do estado. Os destaques são nos setores de saneamento, rodovias, coleta de lixo, iluminação pública, unidades de educação infantil e sistema prisional. O estudo ‘Oportunidades para concessões e PPPs no estado e municípios do Rio de Janeiro’ foi apresentado nesta quinta-feira (15/05) durante o 91º Encontro Nacional da Indústria da Construção (ENIC), que ocorre na cidade do Rio.

<

O gerente de Sustentabilidade e Infraestrutura da Firjan, William Figueiredo, discorreu sobre o assunto durante o painel:“Oportunidades para projetos em municípios” da Comissão de Infraestrutura do ENIC. De acordo com o gerente, há oportunidades em todas as cidades brasileiras. “No entanto, é necessário que haja projetos bem estruturados para que as obras saiam do papel”, acrescentou Figueiredo.

Para Figueiredo é fundamental que os estados e municípios sigam seis pilares fundamentais para atração do agente privado para um investimento: segurança jurídica, capacidade técnica, gestão fiscal, legislação, financiamento e garantias.

Segundo o estudo, no Rio de Janeiro quatro setores estão consolidados para a participação do setor privado e que podem gerar investimentos para o estado e municípios: Rodovias (R$ 23,4 bi), Resíduos Sólidos (R$ 18,2 bi), Água e Esgoto (R$ 7,6 bi) e Iluminação Pública (R$ 1,4). Há oportunidade também em duas áreas consideradas tendências: Unidades de Educação Infantil (R$ 2,2 bi) e Sistema Prisional (R$ 2,1 bi).

Marcelo Kaiuca, presidente do Induscimento (Sindicato das Indústrias de Artefato de Cimento Armado, Ladrilhos Hidráulicos e Produtos de Cimento no Estado do Rio), destacou a importância da promoção de concessões e PPPs no estado do Rio e no país. “Para cada real aplicado na indústria da construção é gerado um número significativo de empregos em toda a cadeia produtiva da construção. Quando se realiza um empreendimento habitacional, por exemplo, há investimentos em mão-de-obra, equipamentos, fornecedores, no mercado de revestimentos, entre outros”, afirmou Kaiuca, que integra o grupo Setorial de Construção da Firjan.

Principal fórum de debates da agenda nacional da indústria da construção, a 91ª edição do ENIC reúne até amanhã (17/5) a cadeia produtiva, especialistas, pesquisadores, estudantes, representantes de entidades e do governo, que estão debatendo temas e tendências que vão impactar as empresas e profissionais do setor da construção nos próximos anos.

O ENIC tem a promoção da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Rio de Janeiro (Sinduscon-Rio), da Ademi-RJ e Seconci-Rio. Patrocinadora oficial do evento, a Firjan SESI levou para o seu estande diversos serviços da entidade nas áreas de promoção social e de saúde para a indústria e seus colaboradores.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here