Foto Cleomir Tavares / Diario do Rio

Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) apontam que, pelo segundo mês consecutivo, o Estado do Rio de Janeiro apresentou saldo positivo entre admissões e demissões. No mês de março, o saldo de empregos foi de 13.097. No mês anterior, fevereiro, o saldo foi de 15.807. Demonstram que há uma recuperação econômica, que reflete no aumento do número de postos de trabalho.

Evolução do saldo por mês dos dados da CAGED dos últimos 12 meses do Estado do Rio de Janeiro. Fonte: CAGED. Análise: Instituto Rio21

Apesar dessa recuperação, tomando como referência o saldo acumulado nos últimos 12 meses até março de 2021, o saldo de empregos é negativo, de -60.904. Os meses de março, abril e maio de 2020 foram os que apresentaram os piores saldos, com um balanço de demissões significativamente maior do que admissões.

O setor de atividade que tive o melhor resultado no mês de março de 2021 foi o de serviços, com saldo positivo de 7.595 empregos. Apesar disso, todos os setores apresentaram resultados positivos: indústria e construção, 3.033; comércio, 2.270; agropecuária, 199. No setor de serviços, chama atenção o saldo positivo de 1.604 novos postos de emprego no setor da educação, seguido pelos serviços para edifícios e atividades paisagísticas (1.297) e atividades de atenção à saúde humana (1.167).

Por outro lado, as atividades que mais perderam empregos foram o do setor de restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas (-1.117), transporte rodoviário coletivo de passageiros com itinerário fixo, municipal e em região metropolitana (-630) e comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios (-566).

Na cidade do Rio de Janeiro, capital do Estado, o cenário de recuperação se mantém. Pelo segundo mês consecutivo, a cidade do Rio de Janeiro apresentou quase 5.000 novos postos de trabalho, no saldo de demissões e admissões. O saldo acumulado nos últimos 12 meses até março de 2021 segue negativo, de -55.414, influenciado pelos meses de março, abril e maio de 2020, assim como no Estado.

Evolução do saldo por mês dos dados da CAGED dos últimos 12 meses da cidade do Rio de Janeiro. Fonte: CAGED. Análise: Instituto Rio21

Entre os setores de atividade, três apresentaram resultados positivos. O setor de serviços apresentou saldo de 3.439, seguido pelo comércio (811), indústria e construção (504). Por outro lado, o setor agropecuário apresentou saldo negativo de 32 postos de trabalho.

Entre os destaques, as atividades que geraram mais empregos foram de limpeza em prédios e em domicílios (1.269), atividades de atendimento hospitalar (379), locação de mão-de-obra temporária (377), comércio varejista de produtos alimentícios (362) e desenvolvimento e licenciamento de programas de computador não customizáveis (350). Em contrapartida, os setores que mais perderam postos de trabalho foram de restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas (-1.088), comércio varejista de artigos de vestuário e acessórios (-415), atividades de teleatendimento (-325), transporte rodoviário coletivo de passageiros, com itinerário fixo, municipal e em região metropolitana (-281) e construção de edifícios (-263).

Segundo o Diretor de Pesquisa do Instituto Rio21, Pilippe Guedon, “os dados têm demonstrado a retomada da economia, nesse caso, a partir do mercado de trabalho formal. Ainda que seja possível perceber a retomada no Estado e no município, ainda está longe de recuperar o passivo do ano anterior, como mostra o saldo negativo de mais de 55.000 empregos no município do Rio nos últimos 12 meses. Nesse mês de março, são perceptíveis, na capital, as dificuldades que enfrentam o setor de restaurantes e bares, como também do comércio varejista de vestuários e acessórios, dois dos mais afetados pela pandemia de Coronavírus”.

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui