Foto: Marcelo Piu

A Prefeitura lançou nesta semana, o Calendário Oficial das Rodas de Samba Cariocas. Além disso, entregou a certificação desses eventos com o selo “As Rodas do Rio”. Ao todo, 259 grupos de samba foram contemplados. Durante o evento, realizado no Palácio da Cidade, em Botafogo, prefeito Marcelo Crivella assinou a abertura do processo no Instituto Rio Patrimônio Histórico (IRPH) para transformar as rodas de samba em Patrimônio Cultural e Imaterial da cidade.

Na celebração, o Palácio da Cidade foi ocupado pelo samba. Músicos tocaram durante o evento que contou ainda com a apresentação de uma dupla de bailarinos. A solenidade teve a presença dos secretários municipais de Cultura, Adolfo Konder;  Ordem Pública, coronel Paulo Amendola; e Desenvolvimento, Emprego e Inovação, Renato Moura.

O calendário contempla 259 rodas e é parte da resolução conjunta assinada pelas secretarias de Cultura, Fazenda e Desenvolvimento, Emprego e Inovação.  O texto regulamenta o decreto 43.423, de julho de 2017, que dispensa a necessidade de alvará e estabelece locais, datas e horários para esse tipo de evento a cada ano, atendendo cerca de quatro mil músicos, com a realização de mais de mil apresentações.

O documento estabelece ainda uma série de regras para a organização dos eventos, como a estrutura para shows e a utilização de mesas e cadeiras. Os produtores também poderão organizar o Circuito do Empreendedor do Samba Carioca, com barracas para comercialização de produtos historicamente ligados à cultura do samba. Os custos, assim como a montagem e a desmontagem dos equipamentos e da estrutura, serão de total responsabilidade dos produtores.

Hoje é um dia muito importante para a Prefeitura porque nós estamos incentivando uma expressão genuína da nossa cultura. As rodas de samba encantam toda a cidade. A partir de agora, elas têm um sistema, um calendário, e poderão receber recursos incentivados, recursos do ISS destinados à cultura. Eu tenho certeza que o Rio de Janeiro vai ficar ainda mais bonito. O samba é mais que uma expressão popular de música. É alma, força e energia. Ele precisa permanecer. O samba é a expressão mais profunda de gerações e gerações de brasileiros que construíram este país“, afirmou o prefeito.

É uma tradição cultural da Cidade, que, junto ao carnaval de rua, vem crescendo. Estamos diante de um projeto inovador que, além de beneficiar os músicos, os produtores culturais e os frequentadores das rodas de samba, dinamiza os setores da economia criativa. É fundamental para geração de renda e para assegurar a sustentabilidade desse movimento cultural que é a cara do Rio“, explicou Konder.

A Resolução Conjunta das Rodas de Samba foi construída após conversas com produtores culturais de todas as regiões do Rio de Janeiro. Durante o mês de junho, a Secretaria Municipal de Cultura realizou o Circuito Diálogos com as Rodas de Samba Cariocas, que percorreu toda a cidade para ouvir as principais demandas e reivindicações dos profissionais que produzem e atuam nas rodas. Os sambistas comemoraram a iniciativa do prefeito.

O apoio da Prefeitura é sensacional, indescritível. Uma iniciativa que ajuda a manter não apenas essa rede que envolve o samba. Essa medida valoriza os bairros, gera empregos e leva alegria à população“, afirmou Marco Veiga, do grupo Samba da Feira, que reúne até 15 mil pessoas aos sábados no Engenhão.

É um marco. A Prefeitura está legitimando um segmento que rende economicamente muito para o Rio de Janeiro. Agora, faz parte do calendário institucional da Prefeitura. Isso facilita muito para que as rodas de samba se coloquem como um negócio na cidade” , comemorou Wanderson Luna, coordenador da Rede Carioca de Rodas e Samba.

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui