Largo da Carioca - Foto: Rafa Pereira / Diário do Rio

No final de agosto a Câmara de Vereadores do Rio aprovou o insólito projeto de lei 47/2021 do vereador Chico Alencar (PSol) que proibiria o que passaram a chamar de arquitetura hostil“, que seria o uso de pedregulhos, pedras, cacos de vidro e outras construções feitas com a finalidade de impedir que um determinado local público seja usado por moradores de rua para dormir ou habitar de forma mais permanente. A tal lei, caso tivesse sido sancionada por Eduardo Paes (PSD) daria virtualmente, ao Rio o título de CAPITAL MUNDIAL DA MENDICÂNCIA.

O DIÁRIO DO RIO que nasceu como veículo a favor do Rio de Janeiro, sabedor que lugar de gente não é na rua, não poderia ser a favor de uma lei que dificultaria ainda mais o trabalho da assistência social, e fizemos um editorial pedindo o veto de Paes à tal lei. O prefeito vetou e nesta quinta-feira(07/10), a Câmara de vereadores manteve o veto, com 22 votos a favor e 18 contra: 12 vereadores não quiseram meter a mão na cumbuca.

O veto é uma vitória de quem ama o Rio e não acredita em soluções fáceis para problemas difíceis. Entendo perfeitamente que seja Chico Alencar apresentar o projeto, pois ele é um defensor dentro e fora da Câmara destas pautas e o faz com afinco. A cidade que lute. Mas foi estranho ver a direita e centro votando contra o veto, inclusive é o caso de 3 DEMistas, Cesar Maia, Jorge Felippe e Prof. Luparelli. E o vereador Cesar Maia foi prefeito do Rio, responsável (ainda bem!) por algumas obras que incluem o que chamam hoje de “arquitetura hostil” e sempre foi forte defensor da ordem pública. Jorge Felippe Neto – o deputado estadual neto do vereador de mesmo nome, curiosamente, esteve dentre os que mais se mobilizaram na cidade para que o projeto de lei fosse engavetado.

Já vivemos numa cidade em que tudo que é formal é desprezado em relação à bagunça. Ministérios Públicos e privados atuam diariamente para que haja cada vez mais invasões a imóveis, camelôs ilegais, depredação de monumentos, roubo e furto de cabos, proliferação de ferros velhos ilegais e a transformação das calçadas – até mesmo de áreas turísticas – em verdadeiras latrinas, gordurosas, fedorentas e utilizadas por quem defeca literalmente na cara da sociedade organizada. Tudo com o beneplácito do quarto poder, que deixa o poder executivo de mãos atadas.

A verdade é que ninguém aguenta mais o volume de mendigos, adictos e mais todo o tipo de criminosos que circulam por nossas ruas, sujam-nas e as transformam em ícone de uma cidade que não quer mais ser decadente e nostálgica de um passado que às vezes parece cada vez mais distante Se ninguém quer pronunciar esta verdade, por conta do “politicamente correto”, não há problema. O DIÁRIO DO RIO está aqui para falar o que quer que seja necessário em defesa do Rio.

Felizmente a força da sociedade organizada foi grande e triunfou. O carioca poderá contar com o DIÁRIO DO RIO para continuar sua defesa do melhor para o Rio de Janeiro. Diversas associações de moradores de toda a cidade trabalharam ativamente pra jogar na lixeira este projeto que acabaria por ocasionar a ruína do nosso turismo, a destruição do nosso comércio, o aniquilamento do nosso bem-estar e a destruição cada vez maior dos patrimônios público e privado.

77 COMENTÁRIOS

  1. Faz como o carlos Lacerda botou na cicade de deus e cortou todos os transportas para que não voltassem…Só faltou bombardear..Eugenia com Mito e Milicianos pensam assim

  2. A melhor parte da matéria são os comentários!
    Vocês q leram e quase não conseguiram terminar, salvaram minhas retinas! Meu muito obrigada!!
    Quanto ao veículo que se compromete em ajudar, ainda não disse como, gostaria de algo….como é? “Menos simplista”, e de preferência, menos elitista, menos sensacionalista, e se vcs conseguirem, com um pouco mais de efetividade e relevância!
    Se quiserem tenho uma lista de institucoes, projetos e pesquisadores que gostariam desse empenho do jornal em tirar a cidade da mendicância.
    Tem algumas coisas chatas na vida que quem passa costuma ser o último a saber…espero q já tenham se tocado.

  3. Que nojo desse jornalzinho de merda. Incrível como eu esporadicamente seguia esse lixo há tempos e ainda não tinha me inteirado desse chorume a fundo. Higienistas, vis, cruéis e hipócritas.

  4. PERGUNTA-SE. PORQUE E PARA QUÊ O VEREADOR RECEBE? FAÇA IM LEVANTAMENTO E VEJA O QUE DE PRODUTIVO SAI DE LÁ DESDE A FUNDAÇÃO DA CÂMARA.

  5. Se não vivêssemos uma política econômica baseada na exclusão e tivéssemos investido em PLANEJAMENTO FAMILIAR (tabu para alguns) talvez não tivéssemos chegado a esse estado…Simplista o artigo que joga nas costas de quem já está na situação de abandono toda culpa do problema…O Rio JÁ É Capital da Mendicância…O Povo Brasileiro já está comendo ossos e nem tem dinheiro para pagar gás…Fazer o que? Criar campos de extermínio? Dizem que no governo Lacerda, com Sandra Cavalcante, matavam mendigos e jogavam em Guandu…Bem…nem assim deu resultado né? Entendo a raiva e frustração de todos…Em copacabana não podemos nem tomar café em padaria sem ser abordado por uns 5 moradores de rua..Ir em agência bancária nem pensar…PORÉM FAZER O QUE? Nada dá certo se não fecharmos as “fábricas” de futuros moradores de rua…Planejamento familiar e educação pública de qualidade para que os jovens tenham qualificação e TRABALHO…As politicas assistencialistas são necessárias mas não podem resolver tudo…Dê o peixe mas ensine a pescar..Não existe solução simples para o problema ….entendo os 2 lados

  6. Qual a solução? Filantropia é diferente de política pública. O jornal também deveria propor soluções e sugerir aos senhores deputados e vereadores, que deveriam ser representantes do povo, pois a pobreza e a miséria e a fome vão continuar existindo independente de onde as pessoas vão passar as noites e depositarem seus dejetos. Ninguém é a favor de que existam pessoas nessas condições de vida Esse país é uma vergonha! Cada um olhando para seu umbigo, esquecendo que existe o todo em sua volta, enquanto houver pessoas assim, o País vai continuar nessa miséria, com muitos moradores de ruas, e suas fezes incomodando. Lamentável!

  7. Faltou apenas o Diário do Rio contribuir com alguma idéia, sugestão ou outra forma qualquer sobre como atenuar ou solucionar o problema da mendicância.
    Querendo ou não essas pessoas também fazem parte da sociedade constituída.

    • Exatamente…Imagino que a solução (não dita aqui) seria jogar os mendigos em outras áreas já que o extermínio de pessoas já foi até condenado mundialmente…joguem em algum lugar “bem longe da minha vista” deve ser o lema do jornal e manteremos o título de “cidade maravilhosa”…como dizia o lema ” fezes nas caras DOS OUTROS” é perfume

  8. Isso que vcs escreveram, é a cara dessa cidade: escravocrata. Coerente com o que ela é. Parabéns. Quando vão sugerir usar o aparato da cidade pra “limpar” “ur mindingu”?
    Mostra pra gente a verdade da qual essa cidade é feita…

  9. Parabéns pelo posicionamento firme em defesa do RJ. Eu abandonei a cidade por não mais aguentar tamanha decadência e constatar o esforço dos nossos “representantes”, seja através da inércia ou do desinteresse em defender a sociedade organizada pagadora de impostos e cumpridora de sua obrigações. O Rio está uma bagunça, dá medo andar pelo Centro da cidade tamanho o número de desocupados e dos defensores do “politicamente correto”. Que o Diário do Rio permaneça firme nessa luta inglória contestando essa turma do quanto pior melhor. Que o carioca os ajude elegendo pessoas preparadas defendendo os reais interesses da população ordeira e que preza pelo bem da cidade.

  10. Matéria lixo e irresponsável!
    Não considera nem as pessoas que estão na degradante situação de rua nem a importância da manutenção da história da cidade por meio de sua arquitetura.

    Estão preocupados em acabar com a mendicância e os riscos que nela podem vir a estar envolvidos? Lutem pelo investimento em projetos sociais verdadeiros e não eleitoreiros.

    Já vinha gostando a cada dia menos das matérias rasas e sensacionalistas deste suposto veículo de informação. Agora foi a derrocada final. Vou configurar minhas preferências para deixar de receber esta porcaria.

  11. Entre tantas bobagens que li nos diversos comentário quero destacar o pior, um cidadão, que não sei o nome, escreveu que a esquerda nunca governou o Rio de Janeiro. Provavelmente ela não conhece o Brizola foi governador por duas vezes; também não conhece a Benedita da Silva, que também governou o Rio de Janeiro. Ele tambem não sabe que o ex prefeito César Maia também é esquerda e foi prefeito por duas vezes da cidade do Rio de Janeiro e hoje é um vereador medíocre e que tem um filho que atravancou, travou o Brasil por dois anos quando era presidente da camara dos deputados. Esse pessoal comunas gostam tanto de pobre que fazem tudo para mantê-los na miséria que se encontram, para darem um assistencialismo/paternalismo barato para sugarem dinheiro em ONGs e ter discurso em época de eleições com suas já manhadas narrativas nojentas.

    • Ainda tivemos os terríveis Garotinho e Rosinha que são filhotes de Brizola. Garotinho quando se candidatou a presidência defendia uma política econômica mais heterodoxa do que o PT. Coisa que só se vê no Psol e PSTU. A ideologia esquerdista vitimista infelizmente conseguiu fazer do RJ sua sede nacional. Por isso há relativização e até promoção de tudo o que não presta: malandragem, favelização, mendicância, boca de fumo, contrabando, receptação de roubo nos trens e nos camelôs, camelô montando barraca onde quiser…

  12. O Diário do Rio conquistou minha afeição. Certamente, num mundo do politicamente correto e mar de hipocrisia, poucos tem a decência de defender com tamanha eficácia e responsabilidade as mazelas oriundas de um podridão burguesa fantasiosa que nada mais é fingir se preocupar com mendigos, drogados que defecam nas ruas e assaltam cidadãos do bem. Como citado no texto, ninguém merece a rua. Àqueles que são contra, que os levem para o conforto das suas casas. O Rio precisa andar. Parabéns!

    • Isso deveria ser política federal e estadual…não faltam verbas para auxilio moradia, cartoes corporativos, auxilio paletó etc…quem devia estar recebendo auxilio moradinha é essa parcela da população e não deputados que fazem rachadinhas e ainda nos roubam…É para isso que serve o estado e não fazer passeios na ONU em missoes oficiais nos fazendo passar vergonha…Quer o Sr queira ou não (para sua infelicidade) essas pessoas são brasileiros (como nós) desprovidos de cidadania…Não falta muito para surgirem grupos de exterminio…O Brasil poderia virar o paraiso da caça humana, tipo o filme “o albergue”…deve ter muita gente nesse governo que ia amar…TRISTE TRISTE TRISTE

  13. “Hail Rio” levante o braço e conduza os medingos, viciados e qualquer um à margem de qualquer política pública realmente efetiva dentro de vagões ou ônibus para fora da cidade… Lembrando que no Centro do Rio há a contraditória situação de pessoas com empregos (ou subempregos) que na impossibilidade de arcar com custos habitacionais “moram” nas ruas. É ruim o tanto de gente largada nas ruas, é, mas vai fazer o quê com essa análise superficial e simples ou melhor simplória da situação? Nada que preste. É a mesma coisa que culpar o assaltado que deu mole e não o assaltante. Tenta ir na raiz do problema e não no sintoma além de simplista é um tanto cruel e desumano. “Hail Rio”

  14. Sempre fui militante dos direitos humanos e continuo defendendo estas pautas com o mesmo afinco! Fui daqueles militantes que se jogavam na rua e paravam o transito da Av. Paulista na luta contra o descaso com os portadores de HIV. Mas depois que vim morar na Rua Teófilo Otoni (trecho entre Rua Uruguaiana e Rua dos Andradas – atrás da Secretaria de Estado de Fazenda do Rio de Janeiro), minha visão das pessoas em situação de rua mudou. Eles são empoderados e sabem de seus direitos, mas poucos aceitam serem cobrados por seus deverem. A “RUA DO COCÔ” como é chamada, precisa ser lavada todos os dias pela Coomlurb. Essas mesmas vítimas da sociedade, por não terem banheiro público, defecam diariamente atrás dos carros. Eu que moro em cima da minha gráfica (Teófilo Otoni, 164) não tenho liberdade nem pra sair na janela, pois tenho vergonha de olhar para fora e ver alguém com a genitária exposta, defecando atrás dos carros. Tive que começar a fazer terapia, pois já não estava mais aguentando. Quando reclamava com os que repetidamente vinha defecar em frente a minha casa, era ameaçado. Já tive até que chamar a polícia militar, pois os vários protocolos do 1746 pedindo assistência social sempre eram respondidos dizendo que não encontraram a situação descrita no local. Ontem mesmo acordei e tive que lavar a frente da loja que estava cheia de marcas de cocô. Os cliente pisam e quando entram loja, empesteia tudo com o mal cheiro de fezes humanas. Tenho vergonha de chamar minha família para me visitar e eles verem a situação da rua em que moro. Fico indignado com tanta roupa boa que certamente foi doada com o maior carinho sendo utilizada para a higiene pós evacuação. Agora com o novo governo, pelo menos estão lavando a rua toda noite e a situação tem melhorado. Mas sim, a assistência social tem que fazer alguma coisa! As ONGs e bem feitores tem que entender que 500gr de quentinha não desaparece no corpo humano. Vira pelo menos 300gr de fezes que precisam ser evacuadas em algum lugar. E isso não pode ser na Rua. Na frente das casas das pessoas. Do comércio dos trabalhadores que lutam para pagar as contas em dia. É tão injusto pra nós quanto para eles! Tenho documentado com fotos e vídeos tudo que tenho passado nesses dois anos. Arquitetura hostil ou não, QUERO É UM PL QUE PROPICIE BANHEIRO PARA A POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA, para que eles e nós tenhamos dignidade de trabalhar e morar no centro do Rio de Janeiro. Quem quiser ver o que temos feito entra na nossa página do facebook: https://www.facebook.com/amecentro. Nos unimos e criamos a Associação de Amigos, Moradores e Empresário do Centro do Rio de Janeiro – AME CENTRO. Todo apoio será bem vindo. Fotos mais chocantes do que já presenciamos é só chegar na gráfica que mostro o dossiê impresso. Do mais só tenho a agradecer a nova gestão que verdadeiramente tem se empenhado para tornar o centro um local mais habitável!

  15. Pois bem, mas qual a solução para a miséria, a pobreza, o desalento, o desabrigo? Por que um jornal resolve apostar num editorial reacionário e apoiar atitude tão desumana e elitista? O Brasil segue em profunda crise e a maioria do povo vivendo no maior caos, enquanto este jornal prefere de forma míope culpar justamente os mais pobres e desabrigados. O fato é que seguimos sem soluções concretas, e os mendigos, moradores de (ou na) rua seguirão aonde estão, a despeito do veto do prefeito à um projeto de lei assistencialista. O que esse jornal deveria ter feito, desde seus princípios, era estimular o debate, propostas, projetos, que avancem os paliativos assistenciais para políticas de proteção e promoção social. Não se trata se o Rio de Janeiro será ou não a “capital dos mendigos”, mas o que de fato, e de direito, faremos coletivamente para avançarmos o nosso país para uma nação do bem-estar social, justa economicamente e efetivamente desenvolvida, onde não se necessitará mais sobreviver pelas ruas.

  16. Impressionante é a quantidade de pessoas que levantam a bandeira da humanidade achar que lugar de pobre é no meio da rua estas pessoas são as mesmas que defendem favelas . Defendam o que é certo, recolhimeto de pessoas em condição vuneravel e criação de centros de abrigo e encaminhamento à sociedade normal. Hipocresia puraé o que esta reinando hoje em dia. Pergunta se algum deles ajuda alguma entidade seria que faça alguma coisa por eles. Eu ajudo, desde muito tempo, uma entidade internacional que apoia as familia necessitadas a manterem seus filhos em casa e com estudo, pois ninguem ediuca e cria melhor que os pais, este é o caminho, não esmola e apoio a mendicancia . Isto só serve para limpar sua conciencia burguesa , se informe sobre Visão Mundial ( https://visaomundial.org.br/) é simples, com 100 reais ( ou menos) por mes voce ja ajuda uma familia a educar seus filhos dignamente.

    • Nenhuma pessoa sã acha que lugar de mendigo é no meio da rua ou favelas…SOFREMOS TODOS, os que dormem na rua e os que convivem com sujeira, barulho e violência.. Tenho medo de ir em banco….Entretanto acho que não há solução rápida e mágica..isso pode ser resolvido em 20 anos com planejamento familiar e investimento em saude publica

  17. Não me interessa exatamente o projeto do Vereador Chico Alencar. O que é um assombro, refiro-me ao artigo descarado, objeto deste meu comentário, é a falta de empatia com aqueles que estão lançados ao léu! Um dia o juízo virá sobre os tais insensíveis aos sofrimentos dos pobres miseráveis, muitos são doentes da alma e da mente! Deus é juiz! E fará justiça contra esses monstros que tripudiam sobre os desgraçados! A covid tá aí, morre o pobre e morre o rico todos são iguais na hora da morte! Deus dará o fruto que daquilo que cada um plantou!

  18. Não me interessa exatamente o projeto do Vereador Chico Alencar. O que é um assombro, refiro-me ao artigo descarado, objeto deste meu comentário, é a falta de empatia com aqueles que estão lançados ao léu! Um dia o juízo virá sobre os tais insensíveis aos sofrimentos dos pobres miseráveis, muitos são doentes da alma e da mente! Deus é juiz! E fará justiça contra esses monstros que tripudiam sobre os desgraçados! A covid tá aí, morre o pobre e morre o rico todos são iguais na hora da morte! Deus dará o fruto que cada um plantou!

  19. Que matéria degradante e irresponsável! Pior, é ler de alguns aqui informando ser culpa de esquerda, quando na verdade, está nunca governou o Rio, aliás, diga-se de passagem, eis aí um dos principais motivos pra desordem social. A matéria acha que quem tá na rua está porque quer, não falta emprego, os imóveis não são caros… Imagina… Mas depois quer acabar com favelas ao mesmo tempo. Ué, não quer que more na rua e nem nas favelas? Então dê o seu salário pra que eles possam se sustentar. Se aumentou o número de pessoas nas ruas, significa que antes não estavam e, consequentemente, ninguém queria estar. Se estão é porque não tem condições. Querem fazer o que!? Matar elas ou esconde-las de longe das suas vistas? Péssima redação, se é que se pode chamar isso de redação. E prepare-se, pois VAI PIORAR! Pensamentos primitivos como estes não trabalham o problema, tão logo, este piora. Desigualdade social afeta a segurança. Ninguém vai esperar o milagre cair do céu, enquanto tem burguesinhos achando feio gente morar na rua, só porque essas não tem condições de sustento ou preferem priorizar a alimentação.

  20. Se eu fosse o redator, teria vergonha. Mas gente desse tipo não sente vergonha por escrever uma matéria dessa. Eles dormem quentinhos em suas casas compradas pela sua meritocracia de quem teve um papai pra pagar os melhores colégios do RJ para morarem “na zona sul”. Pra eles o problema não é social. Se os mendigos se mudarem pro subúrbio, pra longe dos seu olhos e dos turistas, tudo bem. Pensar no próximo virou discurso de esquerda. Cambada de playboy FDP.

  21. Diário do Rio, faltou profundidade e sensibilidade ao abordar um tema que é complexo e de solução que necessita englobar políticas sociais, econômicas e de saúde pública. Há necessidade de maior diálogo sobre o tema de moradores de rua, que é complexo.
    Vocês do Diário do Rio já pesquisaram sobre as condições dos abrigos e o número de vagas?
    Esse diálogo deve ser feito com a participação da sociedade civil que atua diretamente com a população de rua, bem como defensoria e saúde pública.

    Ficarei na torcida por uma abordagem mais profunda e educativa em suas notícias.

  22. Vocês da Zona Sul são a escória dessa cidade. Vão para as igrejas, rezam para um Deus e não irão para o céu. Graças a Deus. O Crisro de vocês não chegaria nem perto de vocês. O Reino dos Céus graças a Deus deve ser melhor do que a convivência de vcs.

  23. A esquerda ama tanto os pobres que faz questão de multiplicá-los. E como ainda não têm poderes plenos de arrasar com a economia e deixar quase todos igualados na miséria (quase todos, menos a nomenklatura e seus políticos de estimação!), tratam de aumentá-los de uma maneira ou de outra.
    E enganam-se aqueles que imaginam uma suposta direita votando a favor de tal projeto tragicômico do psolista. Machado de Assis testemunhou em uma de suas obras há mais de um século que nem sempre um parlamentar é o que declara. É só conferir algumas páginas de Esaú e Jacó que encontram um personagem com espírito liberal, mas que vivera a vida política quase toda no partido Conservador. Bela analogia com os dias atuais!

  24. O redator em nenhum momento aborda qualquer outra possível solução para a resolução da problemática. Ok, eles não ocuparão mais espaços públicos, porém eles ocuparão algum lugar, que local é esse? O texto do início ao fim só prega esconder o problema e nunca propõe uma solução. Não queria cair no clichê de chamar de elitista, mas meu deus, em um contexto em que nos últimos 2 anos o número de famílias na rua aumentou vertiginosamente, escrever um texto desse só mostra uma falta de contato com a realidade e empatia. Matéria completamente desumana, nunca tinha lido a página e nem faço ideia de como isso apareceu para mim, mas com certeza nunca irei sequer dar mais qualquer atenção do que venha daqui.
    Deveriam buscar uma cidade que não proporcione uma vida de mendicância, não simplesmente esconder.

  25. PEÇO QUE AQUELES, QUE ESTÃO ACUSANDO O JORNAL, lLEIAM O PROJETO NA ÍNTEGRA E NÃO FALEM SEM CONHECIMENTO DE CAUSA!
    É por isso que nossa cidade se encontra cada vez mais degradada. Falam, opinam sem nem saber do que estão falando! Pegaram o bonde andando!!! LEIAM TODO O PROJETO DO SR. CHICO ALENCAR E DEPOIS VOLTEM A DAR OPINIÃO.
    Vou gostar de saber se ainda pensam o mesmo!
    Parabéns ao jornal que nos informa, mostrando que cumpre o seu papel: informar o que se passa nos bastidores do poder, para que a população possa manifestar-se. ???

  26. Trocar o problema de lugar não resolve. Vão cercar com grades e colocar cacos de vidro nas calçadas entulhadas de pessoas sem moradia? O Diário do Rio mostrou uma visão simplista e irresponsável que somente tira o problema das praças e viadutos, o trazendo pra porta da casa do contribuinte. Cobrem o que realmente está faltando, políticas públicas.

  27. Então, a solução é deixar fazer o que quiser na cidade. Tem um comentário acima pedindo banheiros público químicos para a mendicância . O Rio pra mim não tem mais jeito. Enquanto tivermos esses esquerdista disfarçados de direita, igual a FHC, nunca conseguiremos dar um passo a frente. Só andaremos de marcha ré

  28. Esse tipo de opinião se tornou maioria no estado do Rio. É o típico “cidadão de bem”.
    Eu não sei como o povo fluminense ficou tão conservador e “defensor da moral e bons costumes”.
    Justamente o povo fluminense? Aquele mesmo povo que vive dando “jeitinho”? Aquele mesmo povo que dá R$ 50 pra se safar de uma multa de trânsito?
    Nasci no Rio e sempre vivi aqui, mas não me identifico mais com o estado, o município e o povo.

  29. Lamentável a falta de compaixão do redator da matéria. Agora cubram as calçadas de pedras pontudas, talvez resolva o problema de mendigos nas calçadas. As soluções mágicas nunca irão resolver um abandono social de séculos.

  30. Vereadores demagogos como esse Chico Alencar são a chaga que a população do Rio precisa combater. Se depender deles, o mendigo pode morar debaixo de seu prédio, fazendo todas as suas necessidades – inclusive sexo- sem ser importunado. Veja Copacabana, virou uma grande favela, com lixo espalhado por todo lado e lotado de mendigos. Com a leniência da prefeitura, acabaram com o comércio de rua, desvalorizaram os imóveis e emporcalharam o bairro.
    NÃO VOTEM EM CANDIDATOS DA ESQUERDA JAMAIS. SÃO POPULISTAS E NAO QUEREM RESOLVER O PROBLEMA.

  31. Concordo que nenhuma pessoa quer seu prédio ou calçada suja, mijada ou cagada por mendigos,
    menores abandonados ou pessoas em situação de rua. Mas onde estão os banheiros públicos do Rio? Eles não existem. E são essas famílias e pessoas abandonadas que precisam de ajuda do governo para sair da rua. Elas estão morando nas marquises porque não podem pagar um aluguel. Será que ninguém entende isso? Elas precisam de ajuda. Isso sim seria ordem pública. Espantar ou expulsar os pobres não resolve nada. Culpa do presidente que só quer criar conflitos em vez de criar um plano de governo, um plano econômico eficaz de desenvolvimento e de país. Os mendigos são os que sofrem pelos erros do governo, não são os causadores de nada. Parem de inverter a lógica da realidade cruel da vida.

  32. Quer dizer que depois desse veto, o prefeito decretou também que não haverá mais pessoas em situação de rua! Ele também vai fazer um “plin plin” com sua varinha mágica e todos irão desaparecer? Os vereadores do Rio se preocuram também em propor medidas para resolver essa situação, acabar de vez pela raiz com a miséria em que vivem milhares de cariocas e garantir o direito à moradia, ou deram um de Maria Antonieta “se o povo não tem pão, que comam brioche”?
    Seus oportunistas. Se gostassem tanto da cidade que moram não a saqueariam.

  33. Panfleto sem vergonha e de baixo nível. Distorce o propósito maior de um vereador que é acolher morador de rua e não priorizar expulsão e maus tratos.

    Seguia essa porcaria, agora não sigo mais. Colocar pessoas em situações de vulnerabilidade social como bandido e responsável pela miséria da cidade é de uma desonestidade intelectual impressionante.
    Mais um folhetim nazista defensor de higienização social.

  34. Uma lei absurda dessas só poderia ser proposta pelo PSOL… O Estado querendo determinar como as pessoas podem construir suas próprias casas é o cúmulo do autoritarismo. E esses caras que você citou como “centro e direita” não são direita não, são socialistas que tem vergonha de se declararem.

  35. Nossa que matéria sensacionalista!, estou lendo uma notícia ou o caderno de opiniões? Pois impedir um morador de rua de se abrigar é desumano, queria ver se fosse com ele

    • Tb estou chocada com esta “reportagem”, tratam esses seres humanos pior do que lixo. Desumano. Ainda bem que achei seu comentário, pq, tem horas que perco minhas esperanças num mundo mais humano e de empatia e sidariedade…..

      • Joguem os mendigos bem longe da vista deles que tá ótimo..Só não morram antes das eleições pois seus votos de cidadão são muito importates para eles…depois…se virem

  36. Impressionante as pessoas acharem normal ter mendigo s brigando ,hostilizado ,gritando de madrugada, enchendo a cara, defecando na rua, fazendo a rua de depósito de objetos, dormindo dentro dos bancos e vc pedir licença pra entrar. Pago um iptu absurdo na zona sul e tenho q aturar isso. Essa esquerda quer o fim do Brasil. Não só eles mas os políticos politicamente corretos. Arrumem então um local para essas pessoas bem próximo de vcs

  37. Ainda bem, este pessoal da esquerda, defensores de bandidos em geral, do caos e do quanto pior melhor. Sofreu mais uma derrota. A população de rua, não pode existir, tem que ser retirada e tratada, a maioria absoluta são pessoas destruídas pelas drogas ou doenças mentais, pais irresponsáveis que geraram filhos sem condição nenhuma de cuidar e etc. O que não tem como é as Cracolândias tomarem conta do Rio de Janeiro e com isso junto os assaltos, estrupos e agressões aos transeuntes, fora a imundície e desordem pública ….

  38. Excelente posicionamento do Diário. Não há solução fácil. As políticas públicas devem ser voltadas para a ordem pública, sem a qual não há sociedade orgqmizada.

  39. Quero ver todo esse afinco para bater de frente com a milícia, esta que mantém todo tipo de comércio ilegal e contribui com a verdadeira desordem dessa cidade. Peguem essa paixão para combater mendigos, levantem a bunda do sofá que usam para fingirem que trabalham em um editorial e façam alguma coisa de verdade pelo problema que assola o Rio de Janeiro.

  40. Quem foi o eugenista que escreveu essa reportagem. Eu achava que jornalistas pesquisavam antes de escrever e não saiam escrevendo qualquer imbecilidade ignorante que passasse pela cabeça. Lamentável!

  41. Para aqueles que são defensores do caos urbano, a situação que está aí vai bem. Só que para os pagadores de impostos, em dia, vêem seus imóveis desvalorizando com com o que está acontecendo. Culpa da PMRJ? SIM. Culpa do MPRJ? Sim. Mas não são eles que pagam meus impostos, que tenho que arcar ano a ano e ter um monte de mendigos fazendo o que querem e roubando os portões do meu condomínio… Tá com pena, leva eles para sua casa.

    • Sinceramente não entendi o propósito desta “matéria”. O fato deste projeto de lei ter sido vetado vai acabar com os mendigos? Os “cracudos” serão reintegrados a sociedade? Acho que sancionar ou vetar esse projeto de lei não mudaria em nada este problema. Se ações sérias não forem tomadas, o Rio ainda pode se tornar a ‘Capital Mundial da Mendicância’.

  42. Importante que se encare o problema, que está recorrente em todos os bairros do Rio. A prefeitura não pode mais fazer vistas grossas, que em sua grande maioria são viciados, transformando as ruas do Rio em várias Cracolândia s, que só crescem no dia a dia.

  43. E a solução para quem não tem onde morar?
    Desaparecer?
    Tirar da vista dos incomodados por qur “é feio” ou “desagradável” não resolve o problema…
    Lamentável essa reportagem.

      • Concordo plenamente Com o Sr. Há soluções diferentes dessa proposta indecente do Sr. Chico Alencar, Basta usar a massa cinzenta e não ser populista, tirando o sossego de quem paga altos impostos para ter seu dinheiro aplicado em melhoria para a cidade e proteção para seus moradores que têm de conviver com permanente cheiro de urina, fezes, lixo, além do risco de sofrerem estupros e/ ou assaltos! Àqueles que leram o projeto do “ilustríssimo” vereador e concordam com a aberração que ele escreveu, convido-os a circularem à noite pelas ruas do centro da cidade, pelas ruas de Copacabana e da Zona Sul em geral e sentirem na pele o medo ao ouvirem os gritos de pessoas sendo assaltadas ou estupradas por essas almas perdidas pelo vício.
        Façam-nos o favor, “populistas bonzinhos”! Vão pensar em soluções que minorem o sofrimento dessas almas e não achar mais espaço nas calçadas para juntar mais almas perdidas e desabrigadas ou então, levem essas almas/pessoas para suas calçadas (esse é o projeto engavetado, para quem não leu e fica dando opinião sem saber de que se trata!), mas sem esquecer de aumentar o espaço das suas calçadas, para caberem mais mendigos, moradores de rua, cracudos etc. Sejam mais solidários!!!
        Pimenta nos olhos dos outros é refresco??? Encontrem o que fazer, que seja útil e que ajude os necessitados, em vez de deixá-los ao relento, apenas com mais espaço livre, que é o que propõem!!!
        Envergonhem-se desse projeto nefasto todos que o apoiam! Pensem em SOLUÇÕES, porque de PROBLEMAS a ex-Cidade Maravilhosa está cheia. ???

      • Concordo plenamente Com o Sr. Há soluções diferentes dessa proposta indecente do Sr. Chico Alencar, Basta usar a massa cinzenta e não ser populista, tirando o sossego de quem paga altos impostos para ter seu dinheiro aplicado em melhoria para a cidade e proteção para seus moradores que têm de conviver com permanente cheiro de urina, fezes, lixo, além do risco de sofrerem estupros e/ ou assaltos! Àqueles que leram o projeto do “ilustríssimo” vereador e concordam com a aberração que ele escreveu, convido-os a circularem à noite pelas ruas do centro da cidade, pelas ruas de Copacabana e da Zona Sul em geral e sentirem na pele o medo ao ouvirem os gritos de pessoas sendo assaltadas ou estupradas por essas almas perdidas pelo vício.
        Façam-nos o favor, “populistas bonzinhos”! Vão pensar em soluções que minorem o sofrimento dessas almas e não achar mais espaço nas calçadas para juntar mais almas perdidas e desabrigadas ou então, levem essas almas/pessoas para suas calçadas (esse é o projeto engavetado, para quem não leu e fica dando opinião sem saber de que se trata!), mas sem esquecer de aumentar o espaço das suas calçadas, para caberem mais mendigos, moradores de rua, cracudos etc. Sejam mais solidários!!!
        Pimenta nos olhos dos outros é refresco??? Encontrem o que fazer, que seja útil e que ajude os necessitados, em vez de deixá-los ao relento, apenas com mais espaço livre, que é o que propõem!!!
        Envergonhem-se desse projeto nefasto todos que o apoiam! Pensem em SOLUÇÕES, porque de PROBLEMAS a ex-Cidade Maravilhosa está cheia. ???

    • Impressionante as pessoas acharem normal ter mendigo s brigando ,hostilizado ,gritando de madrugada, enchendo a cara, cagando na rua, fazendo a rua de depósito de objetos, dormindo dentro dos bancos e vc pedir licença pra entrar. Pago um iptu absurdo na zona sul e tenho q aturar isso. Essa esquerda quer o fim do Brasil. Não só eles mas os políticos politicamente corretos. Arrumem então um local para essas pessoas bem próximo de vcs

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui