Rio pode cobrar ‘passaporte da vacina’ em hotéis

Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 recomendou à Prefeitura do Rio a cobrança de passaporte da vacina em estabelecimentos de hospedagem

Hotéis ao longo da Praia de Copacabana (Foto: Agência Brasil)

O Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 (CEEC) do Município do Rio, em reunião nesta segunda-feira (29/11), recomendou que a Prefeitura avalie a possibilidade de exigência do passaporte vacinal em estabelecimentos de hospedagem e outros serviços, além de onde ele já é necessário, visando evitar turismo de pessoas não vacinadas.

O CEEC inclui especialistas da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), de universidades, de centros de estudo e da Unicef. A 18ª reunião do CEEC, no Centro de Operações Especiais (COR), tratou de assuntos como a redução de casos e óbitos da doença e a variante Ômicron.

Diante da melhora do cenário epidemiológico da cidade, evidenciada pela queda sustentada de casos, óbitos e outros indicadores de Covid há semanas, o CEEC apontou que não há indicação de alteração nas medidas restritivas. Caso essa tendência permaneça, a orientação é que as celebrações de final de ano no município do Rio poderão ser mantidas. A próxima reunião ordinária do CEEC está agendada para 20 de dezembro.

A nova variante Ômicron, originária da África do Sul, que tem colocado o mundo em alerta mais uma vez, também esteve em debate no encontro do CEEC. Os especialistas reforçaram a importância de a SMS continuar investindo em testagem e no monitoramento de vigilância genômica. Eles ressaltaram também que ainda não há dados suficientes para avaliar a transmissibilidade e virulência da Ômicron, e que a maioria dos casos reportados até então foram leves, de pessoas não vacinadas ou vacinadas somente com primeira dose do esquema vacinal.

Assim, a nova cepa chega para ser mais um motivo para ampliar a cobertura vacinal dos cariocas que, nesta segunda-feira, estava em 76,8% da população total com as duas doses.

Quem for a um posto de saúde para completar seu esquema vacinal contra Covid pode aproveitar também para se imunizar contra a gripe no mesmo dia. Entre os 11 mil sintomáticos respiratórios atendidos na rede de atenção à saúde no Rio nos últimos 15 dias avaliados pelo CEEC, todos testaram negativos para Covid-19, tendo grande destaque para Influenza.

1 COMENTÁRIO

  1. Pergunta: vai poder se hospedar no Rio quem estiver vacinado, porém infectado? Não seria mais racional e científico exigir testes ao invés de vacinação? Gibraltar 100% vacinado e casos explodindo mesmo assim. O mesmo em Vermont e em todo lugar que ainda não tem imunidade natural. Gente, o que garante que uma pessoa não está infectada é o teste e não a vacina! Para vai, já tá dando na cara demais, que isto tudo não se trata mais de saúde ou ciência, mas só defender interesses comerciais da Big Pharma. Tão financiando candidaturas políticas, é isso? Criando no asfalto uma sociedade de hipocondriacos infantilizados dependendentes desta puericultura constante do papai Estado. Enquanto isto na favela e periferias, tudo muito libertário, tudo aberto, baile, aglomeração, vida que segue, afinal quem manda lá é a vida real e não esta hipocrisia ridícula da pseudociência pra inglês ver.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui