Foto: Reprodução Internet

O Maracanã entrou na disputa para receber a final da Taça Libertadores em 2020. A decisão de concorrer veio após uma reunião na manhã desta terça-feira (27/08), na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), na Barra da Tijuca, que selou a parceria entre os governos estadual e municipal, para trazer a final do principal torneio interclubes da America do Sul para a Capital Fluminense.

Participaram do encontro representantes das duas esferas do governo, da CBF, da Federação de Futebol do Rio (Ferj), de Flamengo e Fluminense, que juntos administram o estadio, e da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol). No Brasil, além do Rio, São Paulo também está concorrendo, com a oferta de três estádios, Rio Grande do Sul, com dois, e Minas Gerais, com um.

Cada um dos candidatos recebeu um questionário abordando os mais diversos temas, como legado, mobilidade e acomodação, que deve ser entregue até o dia 5 de setembro. As respostas serão analisadas pela comissão da Conmebol, que posteriormente fará a votação. O anúncio do vencedor será no dia 20 de setembro.

Até lá, serão feitas quatro inspeções no estádio escolhido. Este ano, pela primeira vez na história, a Libertadores será decidida em jogo único. A data da final está marcada para o dia 23 de novembro, em Santiago do Chile.

O secretário chefe da Casa Civil, José Luís Zamith se prontificou a ser o representante oficial da candidatura do Maracanã.

Daremos todas as garantias que precisarem para a realização do evento. A política do governo é melhorar as condições do turismo e criar um calendário anual para eventos. Nos colocamos como viabilizador e facilitador” – disse Zamith, que garantiu que o processo de licitação do Maracanã, marcada para março do ano que vem, não atrapalhará o evento.

O secretário de Envelhecimento Saudável, Qualidade de Vida e Eventos Felipe Michel , que representou o prefeito Marcelo Crivella, ressaltou a importância da integração entre Estado e prefeitura.

Para provar como essa parceria está funcionando, o nosso subsecretário (de eventos) Raphael Oliveira foi cedido pelo Estado. O Rio de Janeiro está acostumado a fazer grandes eventos, Olimpíada, Copa do Mundo, essa é a vocação da nossa cidade. Estamos de braços abertos com toda nossa estrutura para esta final, que é importante para o esporte e também para o turismo” – afirmou Felipe Michel.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui