Instituto Nacional de Cardiologia, na Zona Sul do Rio (Foto: Silvana Maciel)

A cidade do Rio de Janeiro voltou a fazer transplantes de pulmão depois de 15 anos. O procedimento neste retorno aconteceu nesta terça-feira (03/08) no Instituto Nacional de Cardiologia (INC), em Laranjeiras, na Zona Sul da cidade.

A paciente que recebeu o órgão é uma mulher de 35 anos, que sofria de linfangioleiomiomatose, uma doença rara conhecida como LAM, que interfere na respiração. O procedimento durou cerca de 10 horas e foi considerado um sucesso pela equipe médica.

Ao portal G1, o diretor-geral do INC, João Pedroso celebrou o transplante.

Hoje a paciente já está extubada, respirando com o pulmão novo. Essa é uma conquista muito importante para o nosso país. Só existiam dois centros que faziam transplante de pulmão: o Incor e o HC em Porto Alegre. Em 2017, colocamos como meta dobrar o número de transplantes de coração, que foi dobrado no no período 2018/2019. E aí fizemos projeto e treinamento de mais de 30 pessoas para sermos o primeiro hospital público certificado em assistência circulatória, Ecmo, e depois todo o treinamento no Hospital Einstein para toda a equipe estar capacitada para fazer esse primeiro transplante de pulmão“, disse Pedroso.

O diretor-geral do INC ressaltou que é fundamental que projetos como esse tenham continuidade e que tenham consistência.

Esse projeto tem uns três, quatro anos sendo desenhado. E agora nós pretendemos fazer de oito a 12 transplantes por ano. Tudo coordenado naturalmente pelo Programa Estadual de Transplantes. Essa paciente inclusive foi referenciada pelo Hospital Universitário Pedro Ernesto, encaminhada ao PET, começou a reabilitação pulmonar em 2020 e 2021 finalmente foi listada e operada. Para nós é uma grande emoção, uma alegria poder estar oferecendo mais um serviço no Sistema Único de Saúde. Acreditamos no SUS“, disse o diretor.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui