Com as medidas de isolamento social adotadas para impedir o avanço do Coronavírus, as operações policiais tem sido cada vez menos constantes na Capital Fluminense. Com isso, a quantidade de tiroteios registrados, e, também, o número de mortos em função da queda dos confrontos armados dimuniu.

Um estudo feito pelo Observatório de Segurança do Rio de Janeiro sobre as operações policiais durante o período da pandemia, aponta que, antes do decreto, do dia 01/03 até o dia 15/03, foram monitoradas 58 operações e 81 ações de patrulhamento na cidade. Depois do isolamento social as operações caíram mais de 70% e os patrulhamentos tiveram redução de 49%.

Uma outra pesquisa, feita pela plataforma Fogo Cruzado, aponta que durante o mês de março, foram registrados 446 tiroteios/disparos de arma de fogo na região metropolitana do Rio. Ao todo, 146 pessoas foram baleadas no mês, destas, 54 morreram. No mesmo período de 2019, foram 795 tiroteios que resultaram em 357 baleados – sendo 129 deles mortos. Houve uma queda de 44% no número de tiroteios entre este ano e março de 2019, também houve uma queda de 58% no número de mortos.

Desde que que tiveram início as medidas de isolamento social, a região metropolitana do Rio teve 253 tiroteios/disparos de arma de fogo no período de quarentena (14 e 31 de março), contando com uma média de 14 tiros por dia. Ao todo, 58 pessoas foram baleadas entre esses dias – 21 delas morreram. Houve uma queda de 5% em comparação com a média de tiros por dia durante o período pré-quarentena (1 e 13 de março): foram 193 tiroteios que deixaram 32 mortos e 55 feridos, registrando uma média de 15 tiroteios por dia.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui