Imagem meramente ilustrativa - Foto: Reprodução

Teve início nesta terça-feira (15/06), ainda em fase de testes, o embarque através de reconhecimento facial no Aeroporto Santos Dumont, na região central do Rio de Janeiro. Por ora, a novidade está restrita à ponte-aérea entre o referido aeroporto e o de Congonhas, em São Paulo, por meio de voos da companhia Azul.

O projeto (confira abaixo o passo a passo), intitulado oficialmente de ”Embarque + Seguro 100% Digital”, foi idealizado pelo Ministério da Infraestrutura (MInfra) e desenvolvido pelo Serpro, empresa de tecnologia do Governo Federal. O objetivo é tornar mais eficiente, ágil e seguro o processo de embarque nos aeroportos.

”O projeto na ponte-aérea une duas vertentes essenciais para agilizar os processos de embarque, que são segurança e facilidade para o passageiro e todo o sistema de aviação civil”, diz o presidente da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), tenente-brigadeiro Hélio Paes de Barros.

Como funciona o embarque biométrico

No momento do check-in, o passageiro é convidado a participar do projeto e, caso dê resposta positiva, recebe uma mensagem, no celular informado por ele, solicitando autorização para a obtenção de seus dados, incluindo CPF e uma foto.

Com o consentimento, o atendente da companhia aérea, utilizando o aplicativo do Serpro desenvolvido para este fim, realiza a validação biométrica do cidadão, comparando os dados e a foto, tirada na hora, com as bases governamentais.

A partir da validação, o passageiro fica liberado para ingressar na sala de embarque e na aeronave passando pelos pontos de controle biométricos, que fazem a identificação por meio de câmeras, sem a necessidade de o usuário apresentar documento e cartão de embarque.

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui