Foto: Chokniti Khongchum - Pexels

O secretário de Saúde do Rio, Daniel Soranz, informou por sua conta no Twitter que a cidade do Rio de Janeiro já tem 23 casos confirmados da variante Delta do Covid-19. Foram 15 confirmados em 1 tweet;

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que após o recebimento dos novos resultados, a vigilância genômica realizará a investigação epidemiológica de cada confirmação. A pasta reforçou que independente da variante, as medidas preventivas são as mesmas. A população deve manter o distanciamento, usar máscaras e higienizar as mãos com álcool 70 ou, quando possível, água e sabão.

A Variante Delta é mais transmissível, mas ainda não se sabe se ela causa casos mais graves da doença. A maior preocupação dos especialistas é que ela seja resistente a vacina, apesar de, até o momento, as aplicadas no Brasil – CoronaVac, Pfizer, AstraZeneca e Janssen — são eficazes contra todas as novas cepas do coronavírus.

Em todo o estado do Rio são 74 casos confirmados da variante delta, sendo o Rio de Janeiro a cidade com mais confirmados, seguido por Nova Iguaçu, com 11; Mesquita e São João de Meriti, com 7 casos cada um, Duque de Caxias com 5; Japeri com 4; Maricá, Queimados e Seropédica com 3 casos cada um; Itaboraí, Itaguaí, Niterói e Campos, com um caso cada município. 

Os dados recentes do monitoramento mostram a presença da variante Delta (B1.617.2), contudo, a linhagem P.1 (Gama/Brasil) continua sendo a mais frequente no estado. Além disso, há registro em baixa frequência da VOC B.1.1.7 (Alfa/Reino Unido), além do declínio da P.2, desde novembro do ano passado.

3 COMENTÁRIOS

  1. Governantes não vem sendo questionados se os infectados com a cepa Delta já tomaram vacina, quantas doses, e portanto, se estariam com a imunização completa?
    É esse o jornalismo do Brasil?

  2. Há dúvidas sobre a eficácia de todas as vacinas citadas em especial pelo fato de que, além do Brasil, outro país que vem tendo especial aumento de casos, principalmente graves, foi a Inglaterra, que vacinou em peso com Astrazeneca, depois veio a Pfizer, mas que no primeiro momento adotou previdência similar ao Brasil com período entre doses maior que a recomendação original das fabricantes.

    • E q cepa Delta tomou a frente sendo a principal na Inglaterra.
      Se isso também vir a ocorrer no Brasil, então será o caos porque em proporção da população temos muito menos vacinados com segunda dose.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui