Foto: Febrasgo.org/Divulgação

Um problema que havia ficado no passado, voltou a ser uma triste e preocupante realidade no Rio de Janeiro. De julho deste ano até este mês de novembro, foram confirmados 35 casos de sarampo em residentes do município do Rio. Além de 74 casos em análise. Em 2018, 17 pessoas foram registradas com a doença.

Dos 35 casos confirmados, 20 (57,1%) possuem entre 6 meses a 9 anos de idade, sendo o eixo etário de maior frequência entre 6 meses a 4 anos de idade (15); 19 (54,2%) são do sexo masculino e 16 (45,7%) do sexo masculino.



Siga nossas redes e assine nossa newsletter, de graça

Jornalismo sério, voltado ao Rio de Janeiro. Com sua redação e colunistas, o DIÁRIO DO RIO trabalha para sempre levar o melhor conteúdo para os leitores do site, expectadores dos nossos programas audiovisuais e ouvintes dos nossos podcasts. O jornal 100% carioca faz a diferença.

Os números chamam ainda mais a atenção quando o recorte de tempo é maior.

De 2000 a 2010, não foram registrados casos confirmados de sarampo na cidade do Rio de Janeiro. Entre 2011 e 2014, 6 pessoas tiveram a doença confirmada. Entre 2016 e 2017 não tivemos novos relatos de doentes.

“Com a redução do programa de saúde da família, era óbvio que aconteceria esse aumento nos casos. Para piorar ainda mais a situação, nesta segunda-feira, os profissionais da área entraram em greve”, conta Daniel Soranz, médico professor e pesquisador da Escola Nacional de Saúde Pública da FIOCRUZ.

Os dados desta matéria são de estudos de órgãos subordinados à Secretária Municipal de Saúde.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui