Foto: Silvia Izquierdo

O Riode Janeiro terá um programa itinerante de vacinação contra a Covid-19 para a população em situação de rua. É o que determina o projeto de lei 4.037/21, do deputado Danniel Librelon (Republicanos), aprovado pela Assembleia Legislativa do Estado (Alerj) em discussão única nesta quinta-feira (24/06). A medida ainda será encaminhada para sanção ou veto do governador Cláudio Castro (PL).

O programa pretende vacinar pessoas que fazem parte da população em situação de rua e que não estão cadastradas em nenhum tipo de instituição ou projeto social. O autor da medida, deputado Danniel Librelon, explica que texto prevê que, prioritariamente, sejam usadas vacinas de dose única.

“Grande parte da população em situação de rua no nosso estado vive às margens da pobreza e da total falta de dignidade, além do estado de pobreza extrema: sem documentos, sem teto e sem alimento. Num momento como o que passa o nosso estado, dentro de uma severa pandemia, essa é uma das parcelas da nossa população que mais sofre, e sofre calada, por não ter nenhum amparo do Poder Público”, afirmou o autor.

A medida poderá ser desenvolvida em parceria entre as Secretarias de Estado de Saúde e de Direitos Humanos e Assistência Social. A data do início do programa será definida pelo Governo e, antes de iniciar o procedimento de vacinação, os órgãos responsáveis poderão fazer um mapeamento para definir as regiões mais necessitadas, para início do processo. A norma deverá ser regulamentada pelo Poder Executivo.

Costa do mar, do Rio, Carioca, da Zona Sul à Oeste, litorânea e pisciana. Como peixe nos meandros da cidade, circulante, aspirante à justiça - advogada, engajada, jornalista aspirante. Do tantã das avenidas, dos blocos de carnaval à força de transformação da política acreditando na informação como salvaguarda de um novo tempo: sonhadora ansiosa por fazer-valer!

1 COMENTÁRIO

  1. Estou pensando em colocar aquela fantasia de mendigo e sair para a rua. Quem sabe receberei a vacina…

    Já não aguento aceitar essa bagunça na vacinação que vejo um tanto de gente nova e forte na fila da vacina, segundo imagens dos telejornais, supostamente portadores de comorbidades…
    O que deve ter de gente nos consultórios que nunca fizeram questão de declarar asmático etc. atrás de atestados, alguns até nem no médico tentam atestado…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui