Foto: Divulgação

A Lei nº 6.949/2021, de autoria dos vereadores Ulisses Marins (Republicanos) e Felipe Michel (Progressistas), foi promulgada pelo presidente da Câmara Municipal do Rio, vereador Carlo Caiado (DEM) nesta quarta-feira (16/06), após derrubada de vetos do prefeito Eduardo Paes ao projeto aprovado pelos vereadores. Ela determina que a cidade do Rio deverá criar um sistema de rastreamento e transparência da distribuição e aplicação de doses da vacina contra a Covid-19.

De acordo com o texto, deverão ser divulgadas em uma plataforma centralizada informações sobre as doses recebidas pela Prefeitura e repassadas aos postos de vacinação, identificando lote, fabricante e quantas doses foram aplicadas por unidade. As unidades de saúde farão o cadastramento do cidadão e colocarão no banco de dados.

O objetivo, segundo os autores, é evitar desvios e ‘fura-filas’. Segundo os parlamentares, o controle por meio da plataforma poderá evitar fraudes cometidas por profissionais mal intencionados, levando-os a responder por atos não condizentes aos responsáveis em cuidar da saúde das pessoas.

O vereador Felipe Michel explicou que a ideia é “como se ligasse um GPS na vacina quando a Prefeitura recebe e fica ligado até chegar na vacinação do cidadão“, garantindo mais transparência.

1 COMENTÁRIO

  1. Agora??? Com meses depois de iniciada a vacinação?
    Já andou muito a fila e tiveram muitos que furaram, espertalhões com atestados falsos – quem vai contrariar um papel apresentado? Quem se certifica que não seja falso?
    Enfim…
    Fora jovens e crianças… Essas deveriam ser as últimas. Mas já estão querendo vacinar. Elas pegam e transmitem. Mas tem baixa transmissão.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui