Calçadão de Campo Grande | Foto: Reginaldo Pimenta Agência O Dia

Nesta sexta-feira (05/03), o Rio de Janeiro completa 1 ano do primeiro caso confirmado de Covid-19, uma mulher de 27 anos, de Barra Mansa, que chegava da Itália. De lá pra cá, medidas restritivas foram tomadas, unidades de saúde ficaram lotadas e milhares de vidas foram perdidas, 33.466, pra ser mais exato.

Um ano após a chegada da pandemia ao estado, o RJ parece não ter avançado muito na luta contra o Coronavírus. Durante esses 365 dias, a população fluminense teve que se habituar a usar máscara, álcool gel e evitar proximidade com as pessoas. Escolas e empresas foram fechadas, pessoas foram demitidas e a vida segue cercada de incertezas.

Nesta semana, o prefeito Eduardo Paes anunciou novas ações para tentar conter a proliferação do vírus, uma vez que, durante a maior parte do tempo, a maioria das pessoas não seguiu à risca as recomendações de segurança.

Pelo menos até a próxima quinta-feira (11/03), quando haverá uma nova avaliação do comitê científico da prefeitura, a cidade precisará seguirá as seguintes regras:

  • entre 23h e 5h, será proibido permanecer em ruas, espaços públicos e praças; a multa por descumprimento é de R$ 562,42 – a circulação está permitida.
  • bares e restaurantes só poderão abrir das 6h às 17h, e com 40% de ocupação, inclusive em shoppings centers — o take away (retirada) de alimentos também está proibido, mas o delivery (entrega) está liberado, inclusive fora do horário;
  • Praias: estão proibidos quiosques, ambulantes e barraqueiros – banho de mar, exercícios e permanência na areia estão liberados;
  • Eventos, festas e rodas de samba também estão proibidos;
  • Não podem funcionar boates, casas de espetáculo, feiras especiais, feiras de ambulantes e feirartes (artesanato) — feiras livres estão liberadas;
  • atividades econômicas que têm atendimento presencial podem funcionar entre 6h e 20h, mas com circulação de público limitada a 40%. Nesta lista, estão: comércio, shopping center (exceto praças de alimentação, que vão operar até as 17h), academias, salões de beleza, cabeleireiros, supermercados, entre outros.

2 COMENTÁRIOS

  1. Esse Governo Federal está FAZENDO A FESTA! Enquanto isso nosso dinheiro escorre dos cofres públicos sabe-se lá para onde e pessoas vão crescendo sem educação formal e outros vão morrendo de câncer, de transplantes não feitos, etc..

    Sabe o que se toma pra Covid? O mesmo que se toma para gripe: NADA. O vírus é eliminado naturalmente do corpo mais ou menos no 12° dia. Em 15 dias até a falta de ar já passou.

    As pessoas não estão indo para o hospital tratar Covid, estão indo para tratar as consequencias de terem tomado remédios tóxicos como a CQ (cloroquina) ou HCQ (hidroxicloroquina). CQ é comprovadamente genotóxico, mutagênico e possivelmemte carcinogênico e as pessoas só estão apresentando inflamações porque um mísero comprimido do CQ, por exemplo, demora 50 dias para sair do sangue e 36 dias para sair do plasma, portanto, outro comprimido tomado 8 horas depois demora quase o dobro do tempo, imagina tomar de 8 em 8 horas por 7 dias no mínimo! Pode causar diarréia, vomitos, inflamação renal, do fígado, do sistema nervoso central, pulmão, trombose e/ou parada cardíaca. Está na bula para profissionais.

    Já estou enojada de tanta mentira e de um povo louco que cai em armadilhas tão idiotas como essa.

    Bolsonaro merece mais que o impeachment. Merece cadeia.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui