Imagem meramente ilustrativa - Foto: Divulgação/Seappa

A chegada da primavera, que começa oficialmente na tarde desta quarta-feira (22/09), é cercada de muita expectativa entre os produtores de flores do Rio de Janeiro. E, para quem busca um suporte capaz de aumentar a produção, a Secretaria Estadual de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Seappa) oferece o ”Programa Florescer”, uma das linhas de crédito do Agrofundo, com empréstimos a juros baixos.

O RJ é um dos principais estados na produção de flores no país e ocupa a 2ª posição no ranking nacional da atividade. Com uma produção diversa, abrange vários segmentos, tais como: flores de corte, folhagens, planta forração, plantas de paisagismo, plantas de jardim e grama.

O carro-chefe no estado está na produção de flores de corte, principalmente na Região Serrana. Nova Friburgo, por exemplo, figura, de uma maneira geral, como o maior produtor de flores, enquanto Bom Jardim se destaca como principal produtor de rosas no estado.

”Temos um imenso orgulho de ver nossa produção de flores ocupar o segundo lugar no país, mesmo depois de um ano difícil como foi o ano passado, em função da pandemia. A manutenção ao fomento e a disponibilização de créditos ao nosso produtor segue sendo uma prioridade para seguirmos firmes entre os primeiros do país”, diz o secretário de Agricultura, Marcelo Queiroz.

A Região Serrana, por seus aspectos climáticos e geográficos, é muito procurada para o desenvolvimento da floricultura. Em meio a pandemia, muitas áreas de produção ficaram pelo caminho, mas novas regiões estão sendo renovadas.

”A primavera começa com uma grande explosão de flores no campo. As mais vendidas nesta época são: rosa, gérbera, astromélia, crisântemo-margarida, lírio, entre outras. A oferta e a variedade são muito grandes. O mercado está voltando lentamente para a normalidade, e os produtores conseguem atender a demanda. A expectativa é de um aumento considerável na venda de flores, pois é uma característica bem marcante desta estação”, explica Nazaré Dias, gerente setorial do Florescer.

A produção de rosas tem enorme destaque em Bom Jardim, cidade que possui cerca de 1 milhão de pés plantados. Nova Friburgo vem em seguida, com 300 mil pés. O produtor José Roque Barroso, que vive em de Bom Jardim, cultiva flores há 42 anos e conseguiu dar a volta por cima com a ajuda do Agrofundo.

”Quando comecei era somente o cultivo de palmas; hoje, trabalho com rosa, gérbera, tango e astromélia. Durante a pandemia, trabalhamos sem renda para não deixarmos de produzir. E, naquele momento, o Programa Florescer foi fundamental e nos ajudou muito”, explicou Roque.

Como solicitar o benefício?

Para solicitar o empréstimo, é necessário entrar em contato com os escritórios locais (endereços neste link) da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) ou pelo seguinte e-mail: agrofundo.rio@gmail.com.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui