Foto: Reprodução/TV Globo

Com praticamente toda a rede pública de saúde lotada, a maioria com casos de Coronavírus, os hospitais do RJ têm visto os pacientes internados por outros motivos acabarem sendo infectados pela Covid-19 e acabarem morrendo.

Segundo relatos obtidos pelo jornal ”RJ2”, da ”Rede Globo”, algumas pessoas contraíram o vírus após serem internadas com outros motivos de saúde.

Em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, Roberta, de 41 anos, foi internada no Hospital Municipal Dr. Moacyr Rodrigues do Carmo devido a um tiro de bala perdida, mas acabou sendo infectada pelo Coronavírus no local e não resistiu.

Já na capital fluminense, Mário Arrais conta que seu pai, que tinha 82 anos, sofreu uma queda em sua casa, fraturou a perna e foi levado ao Hospital Universitário Pedro Ernesto, em Vila Isabel, na Zona Norte. Lá, passou por uma cirurgia e, quando já estava em recuperação, acabou contraindo a Covid-19 e também faleceu.

”Na época, até a família cogitou a possibilidade dele operar depois que isso tudo passasse, mas não podia. O quadro clínico era realmente pra cirurgia, e aí ele consegue a internação um pouquinho antes do hospital se fechar pra outros casos, né”, disse Mário.

E não é somente pacientes internados devido a outros motivos de saúde que acabam infectados pelo Coronavírus. Os profissionais de saúde do RJ que estão na linha de frente no combate à pandemia também vivem situação assustadora.

Ao todo, no Rio, até o momento, cerca de 1.900 enfermeiros já foram afastados do trabalho devido à contaminação pelo vírus.

No Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, na Zona Norte, maqueiros não estão querendo trabalhar, com medo de serem infectados. Vale lembrar que, nesta sexta-feira (01/05), um vídeo circulado pela internet mostrou o subsolo da unidade sendo ”improvisado” como necrotério, com diversos corpos guardados por lá.

Hospital Salgado Filho tem ”necrotério improvisado” – Foto: Reprodução/TV Globo

De acordo com o infectologista Fábio Chaperman, não são todas as unidades de saúde do RJ que estão adequadas à garantia de que tanto pacientes quanto funcionários estão seguros em relação a não-contaminação pela doença. Para que isso aconteça, é necessário áreas de isolamento, triagens ágeis e equipamentos de proteção.

Em contrapartida, a Secretaria Municipal de Saúde diz que adotou estratégias adequadas, como, por exemplo, a suspensão de visitas aos pacientes internados, diminuindo, assim, o fluxo de pessoas nos hospitais e, consequentemente, a chance de contaminação.

4 COMENTÁRIOS

  1. Estão morrendo pessoas (pacientes e funcionários), pelo simples motivo, no hospital falta tudo para salvar vidas. Nos hospitais públicos não há equipamentos de proteção para pacientes e funcionários, não há aparelhos para salvar vidas( exemplo respiradores, cânula, oxímetro, aparelho para verificar a pressão, luvas, remédios, gazes, sabão, água, álcool……). Nós sabemos os motivos de tantos caos. Não é nenhuma novidade, que o Brasil é um país de formatura de corruptos. E está corrupção ocorre há muito tempos atrás. Tudo começou quando os portugueses roubaram nosso ouro, açúcar….e este roubo continua até hoje. De táticas diversificadas é tirado do Brasil matérias primas, transformadas em tecnologias e depois compramos as mesmas. O Brasil precisa de uma verdadeira faxina. Os lixos que estão na gestão tem que serem eliminados, exterminados. Parecem pragas de lavouras. Estas latrinas que comandam o país, deixou o Brasil no fundo do poço. O povo brasileiro está cansado, esgotado, esfolado. Sentem escravos do século XXl. Infelizmente não há esperança de futuro melhor.

  2. Onde estão os hospitais de campanha que deveriam cumprir seu papel, evitando o trânsito de pacientes covid-19 em hospitais para outras finalidades?

  3. Isso era esperado à medida que os Governos não destinaram hospitais e UPA’s exclusivas para atendimento de causas não relacionadas ao Covid-19.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui