Rock in Rio anuncia line-up completo da NAVE totalmente composto por artistas da Amazônia

Fafá de Belém, Mestre Solano, Roberta Carvalho, Aíla, Rafael BQueer, Uyra, Guitarrada das Manas, Nic Dias, Victor Xamã, Pantera Black, Keila, DJs do Surreal Crocodilo, Nelson D e Patrícia Bastos são alguns dos confirmados na atração cocriada com a Natura.

Falta pouco para a NAVE aterrissar no maior festival de música e entretenimento do mundo. Após compartilhar o novo conceito para a edição do reencontro, que vai aproximar o público de uma Amazônia contemporânea, a atração cocriada entre o Rock in Rio e a Natura tem seu line-up completo revelado. Composta totalmente por nomes da Amazônia, a NAVE apresenta artistas expoentes e consagrados da região como Fafá de Belém, Mestre Solano, Roberta Carvalho, Aíla, Rafael BQueer, Uyra, Guitarrada das Manas, Nic Dias, Victor Xamã, Pantera Black, Keila, DJs do Surreal Crocodilo, Nelson D e Patrícia Bastos, Suraras do Tapajós, além dos DJs Will Love, DJ Waldo Squash e DJ Méury. A atração do festival tem direção artística de Roberta Carvalho, direção musical de Aíla e argumento da Acreana Karla Martins.

Em 2022, a NAVE ocupa a Arena 3 durante os 7 dias do Rock in Rio, iniciando às 14h30 com sessões que combinam experiências audiovisuais, momentos musicais e performance. Durante a programação, nas exibições que acontecem às 16h30, haverá encontros especiais e inéditos entre artistas e o público que, a cada dia, assistirá uma apresentação musical inédita no espaço. Os shows presenciais acontecerão nos dias 2, 3, 4, 10 e 11 e os shows virtuais, com conteúdo audiovisual que será projetado na arena olímpica, nos dias 8 e 9 de setembro. 


“A Nave propõe se conectar com as diversas Amazônias. Temos a presença de artistas dos nove estados da Amazônia brasileira, em um line-up que demonstra essa multiplicidade, de uma cultura tão rica e de uma região que é mais de 60% do território do país”, comenta Roberta Carvalho, diretora artística da NAVE.

No primeiro dia de festival, 2 de setembro, os DJs residentes Will Love e Waldo Squash se intercalam durante as apresentações da programação. Na sessão de 16h30, o público acompanhará um show emocionante de Guitarrada das Manas e Mestre Solano, encontro inédito no barco-aparelhagem da NAVE. Já em 3 de setembro, além de Will Love e Waldo Squash, a exibição especial, das 16h30, recebe as apresentações de Nic Dias, Victor Xamã e Pantera Black, representando toda a potência do rap amazônico. Fechando o primeiro fim de semana de festival, os DJs residentes comandarão a festa durante o dia: às 16h30 é a vez de Keila e DJs do Surreal Crocodilo Neto Mt e Marlon Beat e, em seguida, Rafael BQueer mostrará toda a sua potência, em uma performance sensorial envolvendo corpo, cores e musicalidade.

Iniciando o segundo final de semana do festival, na 5ª feira dia 8 de setembro, o DJ residente Will Love retorna à NAVE, dessa vez com o DJ Méury, se intercalando durante as apresentações. Às 16h30, o público se deliciará com a apresentação especial de Janelas Sonoras das Amazônias, com Dona Domingas, Eliakin Rufino, vozes ancestrais Yawanawa, Dona Onete e Sereia do Mar, apresentando um trecho do filme “Terruá Pará”, e a musicista indígena Parixara Macuxi, apresentando “A Música das Cachoeiras”. Já no dia 9 de setembro, além dos DJs Will Love e DJ Méury, às 16h30 os fãs do Rock in Rio assistirão a um show virtual do grupo Suraras do Tapajós, criado especialmente para a NAVE e, encerrando a quinta e sexta sessão do dia, uma performance de Uyra Sodoma, a drag queen amazônica, performer artística e ponte entre mundos, ou como ele mesmo descreve, uma árvore que anda.


No dia 10 de setembro, penúltimo dia de festival, os DJs residentes Will Love e DJ Méury se revezam realizando suas performances Treme-Terra e, às 16h30, na sessão musical especial, uma apresentação presencial inédita de Nelson D e Patrícia Bastos, que traz toda a potência do resgate ancestral indígena conectado a música contemporânea. No último dia de festival, dia 11 de setembro, a performance especial das 16h30 será realizada por uma dupla de mulheres incríveis, fechando o “Dia Delas”, Aíla e Fafá de Belém, em uma apresentação romântica, pop e eletrônica, com hits de sucesso das artistas.

Em todos os dias do festival, os artistas visuais Denilson Baniwa, Elisclésio Makuxi, Gabriel Bicho, Gê Viana, Keila Sankofa, PV dias, Rafael Bqueer, Roberta Carvalho, Uýra Sodoma e Yaka Hunikuin terão suas obras projetadas de forma imersiva na experiência inédita e multissensorial da NAVE. A experiência imersiva propõe um mergulho em uma narrativa criada a partir das obras dos artistas visuais da NAVE, cada um com seu universo. São artistas da cidade, de dentro da floresta, performers, cada qual falando de uma Amazônia, dentre muitas. 

As ativistas, Zélia Amador, Dona Nice, Angela Mendes, Samela Saterá Mawé e Beka Munduruku também participam das projeções imersivas com falas sobre a importância da floresta em pé, da valorização da identidade e diversidade amazônicas e dos povos originários. São vozes ativistas, de dentro da floresta e de suas cidades. Tudo isso, acompanhado de uma trilha sonora arrebatadora, sob direção musical de Aíla, que promete fazer o público se balançar, sentir e ser atravessado pelas diversas Amazônias. A trilha foi composta tendo como base matrizes rítmicas da região amazônica, do carimbó ao marabaixo, passando pela música indígena, o batuque e a diversidade de sons e tambores da floresta. Além disso, conteúdos visuais de Lucas Mariano e o coletivo Abacaxi Urbano Crew vão dialogar com os grandes encontros musicais que acontecerão no espaço.

“A NAVE da edição do reencontro vai proporcionar um verdadeiro mergulho em uma Amazônia contemporânea. Não tenho dúvidas que o público vivenciará um grande espetáculo, com diversos artistas potentes da região que vão trazer um lado da diferente do que estamos acostumados a ouvir sobre a Amazônia” afirma Luis Justo, CEO do Rock in Rio.

“Há 20 anos começamos a descobrir a Amazônia e nos encantamos com essa riqueza e abundância. Desde então, desenvolvemos produtos, conceitos, cadeias, inovações que contribuem para o desenvolvimento socioeconômico e para a valorização do território. Também temos investido na cultura da região há mais de 10 anos, principalmente por meio de Natura Musical. Por isso, ficamos entusiasmados em reunir, em uma atração, tantas facetas dessa cultura tão rica e pulsante. Entendemos que nesse momento, a Amazônia é uma chave, ainda mais urgente, para a construção de um mundo mais bonito, fazendo escolhas que impactam positivamente no futuro do planeta. Nosso desafio é mobilizar mais gente nessa rede pela Amazônia Viva” explica Maria Paula Fonseca, diretora global da marca Natura

Formado em administração, Alan Victor é carioca apaixonado pelo Rio de Janeiro. Em 2016 criou o Rio Fácil, onde aborda temas como gastronomia, hotelaria, turismo e eventos. Ele também é responsável pela assessoria de imprensa e relações públicas de grandes eventos e empresas.
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui