O deputado estadual Rodrigo Amorim (PSL) deve estar querendo acabar com os universitários do Rio. De acordo com o Blog do Berta, o deputado que rasgou a placa da Marielle Franco (lembrando, não era placa, mas uma homenagem a vereadora assassinada), apresentou um projeto na ALERJ que pretende submeter alunos e professores das universidades estaduais do Rio a testes toxicológicos.

No texto, 3 estudantes por turma seriam sorteados a cada semestre para passar pelo teste. O mesmo teria que ocorrer com um professor, no universo de todo o corpo docente.

O teste teria que verificar se houve consumo de maconha, cocaína ou anfetamina nos últimos seis meses. Caso dê positivo, o estudante perderia automaticamente a sua vaga na instituição. O mesmo valeria para o professor.

Bem, ele deve estar achando que pegaria muito aluno de humanas… mas se passar pela faculdade de medicina…

Bem, Berta diz que Amorim também quer autorizar a entrada da PM nos campi das Universidades Estaduais para averiguar o uso de drogas. Provavelmente porque nossa polícia não tem nada melhor para fazer. Caso haja algum flagrante de drogas, o aluno terá sua matrícula suspensa.

Não tem a mínima chance de vingar, mesmo que passe pela ALERJ, tamanha a invasão dos direitos pessoais. Mas, bem, em tempos que STF censura revistas e deputado processa, e juiz manda prender, humoristas, tudo é possível.

1 COMENTÁRIO

  1. Primeiro seria muito mais importante perguntar:
    – O Estado já tem prestado bem os serviços públicos básicos à população antes de se criar mais uma obrigação?
    – Já se combateu todos os funcionários fantasmas da ALERJ?
    – Todos os assessores dos deputados estão batendo ponto eletrônico, ou existe, por parte dos parlamentares, em acumpliciamento uns com os outros e os designados para chefia/supervisão de gabinete (cargo criado para dar uma gratificação extra) fiscalizar o ponto, o favorecimento de assessores?

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui