Dizem que debate não se ganha, se faz o máximo é para não perder. E se esse foi o caso, o candidato que está em 1º na pesquisa para governador do Rio, Romário (Podemos) sem dúvida foi o grande derrotado do debate da Band Rio, que aconteceu no fim da noite de quinta. Com uma postura cabisbaixa, com aparência dopada, cometendo deslizes, não conseguia nem responder os outros candidatos, nem fazer perguntas interessantes. o que acabou gerando memes nada abonadores ao senador.

Ele acabou tendo apenas um bom momento, e logo contra Márcia Tiburi (PT) que disse ser a única mulher entre homens brancos, e ele lembro a ela que era negro. E falando em Tiburi, a candidata disse várias vezes que não queria estar ali, que preferia estar na rua pedindo a liberdade de Lula. Na verdade ela só não foi a pior no debate porque ninguém a levava a sério, como disseram no Twitter, era praticamente um Cabo Daciolo, só que não evangélico. Mas isso já era esperado dela, como disse neste vídeo:

No resto do debate, Romário manteve a mediocridade, e quando perguntado sobre uma questão sobre economia, diz que não é especialista no tema e que já tinha escolhido seu economista. Foi um momento deprimente, em que se via claramente a incapacidade do ex-jogador para administrar a cidade.

Como é o primeiro nas pesquisas, é de se esperar que ele venha em uma queda acentuada daqui para frente. Até porque os outros candidatos se apresentaram e nenhum se saiu mal. O que é bom, afinal Romário é o pior candidato a governador:

O destaque fica por conta do juiz Wilson Witzel (PSC), conservador e outsider, é primeira vez que concorre a um cargo eletivo, foi capaz de se mostrar para os Bolsonaristas, órfãos de um candidato ao governo. Se ele conseguir morder essa grande massa de eleitores, Witzel pode ir para o 1º pelotão dos candidatos.

Claro que Eduardo Paes (DEM) foi o principal alvo dos candidatos, lembrando de suas ligações com Cabral, Pezão Picciani, e da corrupção na sua secretaria de obras, com Alexandre Pinto. Apesar disso, ele não escorregou, manteve-se calmo. Lembrou que é o mais preparado, com mais experiência e ainda deu boas respostas.


Tudo sobre as eleições 2018 no Rio de Janeiro

Eu esperava que Indio da Costa (PSD) fosse melhor, é preparado, fez uma boa troca de bola com Garotinho nas batidas a Paes. E tentou fazer o mesmo com Tarcísio Motta (PSol), que não permitiu e lembrou que Indio fez parte, como secretário, dos governos de Cabral, Pezão, Paes e Crivella.

E por falar em Tarcisio, ele deve ser herdeiro de quase a totalidade dos votos da esquerda no Rio, manteve a conhecida coerência, criticou bem os outros candidatos e evitou entrar em temas nacionais, especialmente #LulaLivre e similares. A não ser, claro, para lembrar que seu candidato a presidente é Boulos.

O outro da esquerda, Pedro Fernandes Neto (PDT), também fez um bom debate, se mostrou incrivelmente preparado, citou para felicidade do PDT histórico os nomes de Brizola e Darcy Ribeiro. Mostrou de onde poderia conseguir dinheiro para seus projetos, e caminhou bem sem evitar ataques aos outros

E Anthony Garotinho (PRP), bem, ele é o mais experiente do grupo, acostumado com debates, radialista e fez o papel dele, colou a imagem de Paes a Cabral, lembrou que foi o primeiro a trazer as denúncias contra a gangue de guardanapo e que pagou por isso com perseguições contra ele e a família. Mas não conseguiu o principal, remover parte de sua alta rejeição, mas isso, é um trabalho improvável de ser feito.

Tire suas próprias conclusões

 

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui