Rio de Janeiro por Germania RodriguesQuem acompanha o Diário do Rio já conhece o pessoal da NeghaRio/UERJ que faz belíssimos passeios a pé por nossa cidade. E como não podia deixar de ser eles farão alguns no dia 1o de Março em comemoração aos 446 anos da Cidade Maravilhosa.

 

O evento começa às 00:01 do dia 1o, terá um 2o passeio às 10 da manhã e outro às 20 hs, na agenda ainda há para outras datas de março.  As inscrições podem ser feitas pelo email roteirosgeorio@uol.com.br ou pelo cel: (21)8871 7238.

Celebrando de Madrugada o Aniversário do Rio a Pé

Encontro: 1 de março de 2011 – terça-feira  – 1º minuto da madrugada do dia 1º de março,   aniversário  da cidade do  Rio  de  Janeiro  junto  à  Porta Principal  da  Igreja da Candelária.

Itinerário: Igreja Nossa Senhora da Candelária, Fonte de Luz e de Fé – Os eventos espirituais e políticos em torno do santuário da Candélária – Praça Pio X – Luminoso Centro Cultural Banco do Brasil – Alfândega/Casa França-Brasil do Rio Joanino – O iluminamento do Centro Cultural dos Correios – Rua Primeiro de Março – O foco de luz distante e permanente do Antigo Senado e da Catedral de Benedito e da Senhora do Rosário – O diálogo do Rio Colonial com a Cidade Maravilhosa – O Varandão do Centro Cultural da Justiça Eleitoral – Rua do Ouvidor, logradouro inicial da iluminação a gás e da energia elétrica no espaço coletivo Carioca, de Machado de Assis e Chiquinha Gonzaga, bem como dos primeiros acordes do Carnaval Carioca, das lutas pelo abolicionismo e a República e das Confeitarias e loja s elegantes – O brilho das estrelas Carmen e Aurora Miranda no sobrado da Travessa do Comércio – O iluminamento da antiga Catedral da Sé/Igreja do Carmo – De volta à claridade do Convento dos Carmelitas – Paço Imperial e da Luminar Isabel de Bourbon e Bragança – Os refletores sobre Tiradentes e ALERJ – Esplanada do Castelo – O brilho e o requinte dos antigos Ministérios da Fazenda, do MEC e a austeridade do Ministério do Trabalho – Luzia dos Santos e Geográficos olhares – A Academia Brasileira de Letras -  As novas Torres da Esplanada do Castelo – O Universo de extrema luminosidade da Cinelândia e seus Majestosos Prédios – A iluminância  do toporreabilitado  Theatro Municipal e da Biblioteca Nacional, o Boêmio Amarelinho, a Câmara dos Vereadores/Palácio Pedro Ernesto, o Centro Cultural da Justiça Federal, o eterno e resplandescente Cine Odeon – Metrô, uma sentinela luminosa a nos conduzir por lunares e ensolaradas Geografias, Avenida Treze de Maio, Esplanada de Santo Antônio, iluminação mutante da Catedral Metropolitana de São Sebastião do Rio de Janeiro

 

As Catedrais de São Sebastião do Rio de Janeiro

Encontro: 1 de março de 2011 – terça-feira – 10 horas da manhã, em frente à Igreja de São Benedito e Nossa Senhora do Rosário, na rua Uruguaiana
Itinerário: Igreja das Irmandades Negras de Rosário e Benedito  (abrigou a Catedral de São Sebastião entre 1737 e 1808), templo no qual a Corte Portuguesa agradeceu a viagem bem sucedida em março de 1808 e, mais tarde, tornou-se sede da Câmara – Rua da Vala/Rua Uruguaiana (metrô do Rio de Janeiro) – Rua do Rosário – Igreja de Santa Cruz dos Militares (abrigou a Catedral de São Sebastião de 1734 a 1737) – Rua 1º de Março – Igreja de Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé, da Aclamação de Dom João VI  e do batizado de Isabel de Bourbon e Bragança (abrigou a Catedral de São Sebastião de 1808 a 1976) – Rua Sete de Setembro (antiga Rua do Cano) – a requalificação da Rua da Quitanda – Rua São José – Largo da Carioca – Esplanada de Santo Antônio – Catedral     Metropolitana de São Sebastião do Rio de Janeiro (sagrada ao final dos anos setenta) – Visitas às referidas Catedrais de São Sebastião do Rio de Janeiro.

 

Roteiro Noturno no Centro do Rio a Pé

Encontro: 1 de março de 2011 – terça-feira – 20 horas, no adro da Catedral Presbiteriana (Praça Tiradentes com Rua da Carioca).

Itinerário: Iluminados prédios da Catedral Evangélica do Rio de Janeiro e Real Gabinete Português de Leitura  – Centro Cultural Carioca – Igreja Nossa Senhora da Lampadosa e da última missa de Tiradentes em vida –Av. Passos – Território da “Daspu” – Praça Tiradentes dos teatros seculares e dos modernos hotéis – Rua da Constituição – Gomes Freire dos hotéis de alta rotatividade – Lavradio dos antiquários e casas de shows de iluminação mutante – Quarteirão Cultural e do Rio Scenarium – Esplanada de Santo Antonio – Largo Braguinha – Mem de Sá dos sobrados exuberantes,  samba de raiz, marchinhas, mambo, funk, rock, travestis  e mitológica malandragem que não mais existe– Seculares e simbólic os Arcos da Lapa – Rua Joaquim Silva – Escadaria Selaron – Igreja Nossa Senhora do Carmo da Lapa – Sala Cecília Meireles.

 

Ecos da Cultura na Cidade Nova e na Praça Onze dos Bambas do Samba

Encontro: 3 de março de 2011, 5ª. Feira, 9 horas da manhã, na estação do metrô Estácio/ Rio Cidade Nova (em frente à Prefeitura)

Itinerário: Metrô Rio – Cidade Nova (os aterros sobre o  mangal de São Diogo, o surgimento da Cidade Nova, o bairro do Mangue e da zona do baixo meretrício, a memória simbólica da prostituição nos logradouros e torres do centro administrativo da Cidade Nova), a monumental Avenida Presidente Vargas, Praça Onze (berço do samba e lugar de diversas manifestações religiosas e culturais dos negros da “Pequena África do Rio de Janeiro”), monumento a Zumbi dos Palmares, Passarela do Samba/ “Sapucaí” /Avenida Darcy Ribeiro (visita),  Terreirão do Samba/palco João da Baiana,  vista para o morro da Favela/Providência,  Escola Tia Ciata,  Igreja de Santana (visita), Casa da Moeda/Arquivo Nacional (visita), Campo de Santana, da Abolição da Escravatura e da Proclamação da República.

 

Caminhando Entre Luzes no Centro do Rio à Noite

Encontro:  23 de março de  2011 – quarta-feira  – 20 horas  nos degraus da Casa França Brasil.

Itinerário: Luminoso Centro Cultural Banco do Brasil – Alfândega/Casa França-Brasil do Rio Joanino –– Igreja Nossa Senhora da Candelária, Fonte de Luz e de Fé – O  iluminamento do Centro Cultural dos Correios – Rua Primeiro de Março – O foco de luz distante e permanente do Antigo Senado e da Catedral de Benedito e da Senhora do Rosário – O diálogo do Rio Colonial com a Cidade Maravilhosa – O Varandão do Centro Cultural da Justiça Eleitoral – Rua do Ouvidor, logradouro inicial da iluminação a gás e da energia elétrica no espaço coletivo Carioca, de Machado de Assis e Chiquinha Gonzaga, bem como dos primeiros acordes do Carnaval Carioca, das lutas pelo abolicionismo e a República e das Confeitarias e loja s elegantes – O brilho das estr elas Carmen e Aurora Miranda no sobrado da Travessa do Comércio – O iluminamento da antiga Catedral da Sé/Igreja do Carmo – De volta à claridade do Convento dos Carmelitas – Paço Imperial e da Luminar Isabel de Bourbon e Bragança – Os refletores sobre Tiradentes e ALERJ – Esplanada do Castelo – O brilho e o requinte dos antigos Ministérios da Fazenda, do MEC e a austeridade do Ministério do Trabalho – Luzia dos Santos e Geográficos olhares – A Academia Brasileira de Letras -  As novas Torres da Esplanada do Castelo – O Universo de extrema luminosidade da Cinelândia e seus Majestosos Prédios – A iluminância  do toporreabilitado  Theatro Municipal e da Biblioteca Nacional, o Boêmio Amarelinho, a Câmara dos Vereadores/Palácio Pedro Ernesto, o Centro Cultural da Justiça Federal, o eterno e resplandescente Cine Odeon – Metrô, uma sentinela luminosa a nos conduzir por lunares e ensolaradas Geografias.

 

(Re)Conhecendo o Centro do Rio a Pé

Encontro: 27 de março de 2011 – domingo – 9 horas e 55 minutos no alto do Morro de São Bento -  Rua Dom Gerardo, 42 5º andar

Itinerário: Mosteiro de São Bento (assiste-se a cinco minutos da missa com cantos gregorianos), Vista Panorâmica da Praça Mauá, Área Portuária e Baía de Guanabara, Av. Rio Branco, Largo de Santa Rita/ Largo da Sardinha, Rua Teófilo Otoni (e de Lamartine Babo), Av, Presidente Vargas, Igreja Nossa Senhora da Candelária (visita), Centro Cultural Banco do Brasil (intervalo de 15 minutos), Centro Histórico Beira-Mar, Rua Buenos Aires, Beco das Cancelas, Rua do Ouvidor, Travessa do Comércio/ sobrado de Aurora e Carmen Miranda, Praça XV, Paço Imperial e de Isabel de Orleans e Bragança (somente maquete do Centro do Rio e janela da anunciação da assinatura da Lei Áurea), Palácio Tiradentes/ALERJ,  Rua São José, Largo da Carioca, o diálogo do Rio Colonial com a Cidade Maravilhosa

 

Foto: Rio de Janeiro por Germania Rodrigues

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui