O centro informal de reciclagem de lixo da Dias da Rocha impressionava. Ocupava toda a rua, de um lado a outro, e a quantidade de caminhões que vinham apanhar o lixo todas as madrugadas impressionava os moradores. Após nossa matéria, a Prefeitura foi ao local e realizou uma grande operação. Até o momento, não retornaram.

Os moradores de Copacabana, desde o mandato do ex-prefeito Marcelo Crivella, vêm convivendo com uma crescente situação de abandono. A maioria esperava que com a posse do prefeito Eduardo Paes, as coisas começassem a mudar, para melhor. Paes nomeou para a suprefeitura da Zona Sul Ana Ribeiro, assistente social e moradora do bairro, o que, inicialmente, gerou muita esperança; se não se esperava um retorno aos gloriosos anos 60, ao menos que o bairro voltasse à situação que estava antes da posse do bispo da Universal.

Apesar de uns acertos aqui e ali, os moradores de Copacabana não vêem a mudança esperada. Algumas vias do bairro estão completamente entregues às baratas. A outrora nobre rua Dias da Rocha é uma das que experimenta dias de terror, independente das inúmeras chamadas e protocolos abertos todos os dias por seus moradores e freqüentadores no manjado serviço 1746. A via, fechada para pedestres num trecho que já foi seu mais aprazível, é o epicentro do mais completo caos.

Apesar da abertura de mais de 30 novas lojas nos últimos meses em Copacabana, nada parece ser capaz de desacelerar sua transformação na nova cracolândia carioca. “Copacabana virou uma lixeira, total abandono”, diz Gilsonete Silva, moradora do bairro. As informações do vizinho Fernando Bonel são assustadoras: “Ando da Siqueira [Campos] até a Raimundo Corrêa pela Nossa Senhora, às 21hs, durante a semana. Já vi vários arrastões. Quem não anda armado sugiro que fique em casa depois das 21hs.” O DIÁRIO ouviu diversos moradores, e vem acompanhando os grupos de discussão sobre a princesinha do mar há cerca de 30 dias, para a confecção desta reportagem. Os relatos fariam inveja a Sodoma e Gomorra.

Pela manhã, tudo está mais “bonito e arrumado”. Apenas os restos do caos noturno diário causado pelo “centro de reciclagem a céu aberto” que funciona na Dias da Rocha permanecem. E ai de quem mexer nas “ferramentas” dos “empresários”.

A Dias da Rocha se tornou uma espécie de “polo industrial” na Zona Sul. Lá, funciona um verdadeiro centro de reciclagem de lixo, a céu aberto, com um odor de chorume que contamina a vizinhança e chega a ser sentido dos andares mais altos dos prédios. Durante toda a noite, moradores de rua descarregam lixo de todo o tipo na rua de pedestres, e caminhões e caminhonetes recolhem todo este “lixo”. As aspas são por uma razão nada legal: como “lixo”, são receptados e levadas tampas de bueiros, fios arrancados de postes por viciados em drogas, grades roubadas de edifícios, hidrômetros arrancados de imóveis vazios, pedaços de portas de enrolar, e tudo o mais que os moradores de rua e criminosos arrancam. Esta semana, o “recolhimento” de “recicláveis” foi além do normal: levaram todas as grelhas dos ralos da ‘praça’. Em outras levas, já levaram bancos de praça inteiros, e às vezes ripa por ripa.

Na última leva, os moradores de rua entregaram aos receptadores que todas as noites retiram o suposto lixo recolhido pelos moradores de rua e criminosos que atuam no furto de metais pelo bairro nada menos que todas as grelhas dos ralos da própria Rua Dias da Rocha.

A moradora Rosana A. parece ter chegado a um nível de revolta grande, compreensível tamanho o abandono do bairro. Em um dos grupos do bairro no Facebook, sentencia: “Mas a culpa é nossa! Um monte de gente apoia, dá comida, dinheiro e mantém o povo na rua. Sugiro aos apoiadores que hospedem em suas casas.” Mariana Bernardo complementa: “Praça Dias da Rocha nesse momento lixo, lixo, lixo! Cheiro insuportável q sobe p os apartamentos.

A moradora de Copacabana Mariana Bernardo é uma das que repetidamente vem postando nos grupos de Facebook do bairro, chamando atenção para o caos e a imundície que se tornou a rua Dias da Rocha. Suas mensagens geraram grande debate, e diversos moradores se mostram revoltados com a falta de ação das autoridades.

Administrador de um edifício no bairro, Adriano do Nascimento diz que a Dias da Rocha se tornou um foco de furtos e consumo de drogas durante o dia, e um verdadeiro centro industrial de reciclagem à noite. “O barulho é tão grande que se escuta dos andares mais altos, pois eles gritam, fazem uma espécie de pregão de troca de materiais, gritam valores por quilo, e por vezes há brigas e berros a noite inteira”. O local se tornou um depósito de lixo, mas também uma hospedaria de viciados em todo tipo de drogas. A pracinha que fica no entroncamento da Dias da Rocha com a Avenida Copacabana (onde antigamente havia a via de automóveis) é um ambiente hostil. Quem olha, fotografa ou passeia com seus cachorros reclama do assédio dos moradores de rua. “Faturam a noite com a reciclagem e a receptação de tudo que furtam durante o dia, mas não contentes com isso ameaçam a gente e se impõem até darmos dinheiro pra eles“, disse uma idosa que se identificou como dona Isaura, enquanto nossa equipe tirava fotografias.

O Centro de Reciclagens informal é hospedaria de moradores de rua e viciados em tóxico durante o dia. Chegam a colocar camas de casal nas calçadas, e fazem suas necessidades junto das vitrines de uma agência bancária.

Todas as noites, o que já foi apelidado pelos moradores de Centro de Reciclagem da Dias da Rocha, funciona a noite inteira. Moradores de rua de todos os pontos do bairro trazem carroças, carrinhos de supermercado, sacos, e é feita, a céu aberto, a seleção deste lixo, que inclui tampas de bueiro, pedaços de poste, gradis e tudo o mais que é furtado na região e pode ser vendido a peso.

A fotografia demonstra o nível grandioso do “centro de reciclagem” criado em plena rua Dias da Rocha em Copacabana, nas barbas da subprefeita Ana Ribeiro, moradora do Bairro.

Caminhões passam (na foto, um azul) e recolhem tudo o que é separado, aos berros, durante a noite. A seleção conta com o barulho de latas e garrafas quebrando, entulho sendo mexido, e tudo o mais capaz de transformar a rua Dias da Rocha, de uma das melhores ruas do bairro, numa das mais desvalorizadas. Especialistas consultados dizem que nos últimos 2 anos, tem sido muito difícil vender imóveis na rua, por conta do cheiro de lixo e do barulho que, todas as noites, atormenta a vizinhança. “Nas barbas da prefeitura, nossa rua se tornou praticamente uma área industrial“, disse ao DIÁRIO José Euztáquio, morador da região, inconformado com a situação.

A transformação da Dias da Rocha em caos e latrina a céu aberto não é o único problema de Copacabana, que sofre de todas as formas com o vandalismo e a presença de moradores de rua. O canteiro central da Avenida Atlântica, cartão postal da cidade, tem sido outro problema sem solução, apesar das sucessivas incursões do pessoal da Secretaria de Ação Social.

A questão principal é que o espaço público está sendo usado sabe-se lá por quem com finalidade econômica. Alguém está lucrando muito com a miséria desses catadores, com o descaso da subrefeitura da Zona Sul, e com o inferno que diariamente vivem os moradores da Dias da Rocha. Caminhões e mais caminhões retiram o lixo todas as noites. Qual a razão para não tomarem providências? Quem estará lucrando com isso?” pergunta o síndico de um edifício da Dias da Rocha, que pediu para não ter seu nome citado, mas cujas dúvidas, certamente, são as mesmas de outros cidadãos.

60 COMENTÁRIOS

  1. O bispo maldito amigo do Bozo , acabou com o Rio de Janeiro . A igreja Universal alimenta os moradores de rua pq vive da pobreza dos mesmos .

  2. Isso não vem da administração anterior, muitos moradores de rua e roubo desde quando eu era criança, saída dos restaurantes… Sempre era costume dos meus avós dar comida desde pequeno.

  3. Isso é a administração do mauricinho PAES, um enganador, que se preocupa em fazer pesquisa divulgada pela midia podre q ele PAGA …administrar a cidade q é bom…nada. E quero saber porque quando eu digo isso O meu comentário é excluído dessa midia aqui. Por que será ?????????????

  4. Eu fico impressionado com o viés ideológico e preconceituoso das matéria desse site. Jornalistas que não conhecem a realidade nem da cidade em que moram. O Rio de Janeiro já convive com esses problemas, mas com o agravamento da crise social econômica que o país vem passando nos últimos anos as pessoas em situação de rua aumentaram, e o que sempre foi realidade de bairros ditos pobres migrou para Copacabana.

  5. Moro em Jacarepaguá e há uns 3 anos fui em copa é tinha gente de rua morando na calçada do copa-Palace e arredores e o ” dudu-prostituta ” foi flagrado +1 vez num bar curtindo um samba e 2 ou 3 ele fez um discurso hipócrita e foi pego na mentira outra vez, eita vagabundo… Bem feito pra quem escolheu ele pra ser o síndico dessa cidade …

  6. Morador de rua, o nome já diz , toda rua é pública , agora se eles gostam de ficar aí perto de vocês , bando de merdas metido a rico, a mundo não è de vocês não seus merdas, gosta de humilhar os outros , bando de merda com marra de rico !!

  7. Nada contra o povo que ajuda moradores de rua com alimentação. Mais a cidade virou um lixão à céu aberto, aonde eles descartam restos de alimentos e as próprias embalagens das quentinhas. O centro da cidade também está um verdadeiro lixão.
    As autoridades precisam reverter essa situação, senão com as chuvas de verão a cidade vai sofrer mais ainda com enchentes e proliferação de animais que transmitem doenças. Imagina o caos.

  8. Parabéns Sr Marcos Paulo Valeriano de Brito.
    Que bela descrição e educação para alertar os que estão e os que estão chegando a este Caos

    ‘”não reedificarmos o respeito, a convivência, a solidariedade, o senso comunitário, sobretudo, a EDUCAÇÃO, nada dará jeito a degradação da espécie humana, em todas as classes econômicas, sociais, o que seja, pois se tornará inviável a habitabilidade neste planeta Terra, nosso lar, e a vida humana desaparecerá”.

  9. Copacabana sempre foi um lixao a ceu aberto, sempre cheio de moradores de rua e muitos assaltos..nao tem nenhuma novidade nisso..luxo mesmo so no imaginario das pessoas hheueu

    • Não é bem assim, eu moro aqui a 35 anos, sempre teve morador de rua, mas de 2 anos pra cá a situação piorou bastante, e não é só na Dias da Rocha, são várias ruas que estão do mesmo jeito. A pobreza aumentou muito, e com isso aumentou também os delinquentes.

  10. O Rio de Janeiro precisa de ser evacuado. Depois de ser evacuado, precisa que deitem umas bombas atómicas em diversos bairros e por fim terem que construir tudo de novo.

    Rio de Janeiro é bonito até à página 2. Cidade caríssima para se viver, casas maioritariamente pequenas e velhas a precisar de remodelações/reformas, mesmo na zona sul.

    Carioca paga muito caro e não tem uma vida de qualidade.

  11. Isso é o governo do mauricinho PAES !!!!! E ainda faz pesquisa falsa e divulga na mídia PAGA CUSTEADA POR ELE pra dizer q vem sendo muito bem avaliado. Hipócrita. Já pensou Se fosse no governo Crivella isso ? um escândalo só…. demonizado….. mas Paes é aclamado pela mídia podre q ele paga, modus operandu já mais do q conhecido no país. E por isso esse tipo de mídia perdeu totalmente credibilidade. E querem CALAR quem fala a verdade.

  12. Ainda não vi a promessa de campanha que o IPTU irá baixar.
    A ZS foi onde o atual Prefeito teve o maior número de votos.
    Não reclamem. Votaram em político de longa data.
    Esperava mais do atual Prefeito mesmo votando em branco pq não cometo o mesmo erro duas x.
    O parquinho do parque dos patins na lagoa está abandonado.
    Minha referência na cidade é este parquinho pois ali sempre foi um brinco.
    Abandono total com o IPTU nas alturas.
    Até agora só promessa……….

  13. Parece que o outro lado do túnel está descobrindo o que é o Rio de Janeiro enfim… ZS finalmente entrando no mapa da realidade. Pq não se mudam pra ZN, ZO ou Baixada? Por aqui é “mó paz e prosperidade”…

    • Boa Jefferson! Nasci nas Laranjeiras, em 1958. De lá para cá cresci vendo as desigualdades sociais se aprofundando, as pessoas perdendo educação, consideração, respeito, uns pelos outros, e obviamente pelas cidades. O Rio de Janeiro, que nunca foi só a Zona Sul, vem se degradando há décadas, acelerada pela ida da capital do país para Brasília, se transformando nesse puxadinho da balbúrdia que é nossa cidade. Até os 6 anos morei no Largo do Machado, dali meus pais foram “empurrados” para Bonsucesso, que foi completamente destruído, sem quaisquer preocupações dos vizinhos da ZS. Novamente, meus pais, eu já com meus 16 anos, “migraram”, para Jacarepaguá, um oásis à época, quantas saudades da Praça Seca, da Vila Valqueire, da Freguesia, das dunas da Barra da Tijuca… Vai lá hoje! Pois bem, aos 23 anos me casei, e mudei de novo, fui visionário do “inferno” que transformariam o belo Jacarepaguá, e vim para os pés da Serra dos Órgãos, bem em um dos limites da Baixada Fluminense, na fronteira de Duque de Caxias com Petrópolis, nos fins dos anos de 1980. Aqui cheguei, era quase uma roça, para os meus padrões cariocas, e me estruturei, criei meus dois filhos, hoje graduados, e já se vão cerca de 37 anos aqui. Vejo o desenvolvimento desta região, em comparação com a ‘desafortunada’ degradação e favelização de toda a cidade do Rio de Janeiro, o que não significa que por aqui não hajam degradações, sim tem, mas numa escala bem menor se compararmos com a cidade do Rio de Janeiro. O fato é que o Balneário Carioca está saturado. São 7 milhões aglomerados, nesse espaço geográfico, imprensados entre o mar e os morros. Como se acha que não iria chegar neste ponto uma cidade que explodiu de habitantes, em pouco mais de meio século? Eu saí daí em tempo de formar e desenvolver minha família com relativa paz. Paz total só no Céu. Paraísos os Seres humanos destroem ou são expulsos. Daqui pra frente, se não reedificarmos o respeito, a convivência, a solidariedade, o senso comunitário, sobretudo, a EDUCAÇÃO, nada dará jeito a degradação da espécie humana, em todas as classes econômicas, sociais, o que seja, pois se tornará inviável a habitabilidade neste planeta Terra, nosso lar, e a vida humana desaparecerá. Cuidemos mais de nós, saiamos de nossas individualidades, retomemos nossa coletividade, e se conseguirmos Copacabana quiçá volte a ser a princesinha do mar, e o Rio de Janeiro a Cidade Maravilhosa. Pura retórica? Pode ser, sei lá, mas não posso viver sem sonhos e utopias! Paz e Bem, cariocas, fluminenses, brasileiros!

  14. NAO SE ESQUEÇAM DE VOTAR COM CUIDADO NAS PROXIMAS ELEICOES. ENQUANTO ISSO, CONVOQUEM OS MORADORES PARA UM MANIFESTO NA PROPRIA DIAS DA ROCHA, SE, NAO DER RESULTADO, CONTRATEM VIGIAS NOTURNOS, QUE IMPECAM A ENTRADA DOS CAMINHOES PARA O RECOLHINENTO DOS RECICLÁVEIS E MESMO A PERMANENCIA DOS MORADORES DE RUA.

  15. Copacabana não tem uma Associação de Moradores pra mandar representantes até a Prefeitura do Rio e exigir providências do prefeito Eduardo Paes? Um povo Desunido é um Povo Vencido…! Affs!

  16. Vem aí novas eleições! Cabe aos cariocas votar bem. NAO votem em pessoas indicadas pelos atuais administradores! Examinem seriamente a vida política pregressa dos futuros candidatos. Parem de dar esmolas ou comida aos chamados moradores de rua, visando aplacar suas próprias consciências! Nós não somos culpados pela situação deles, eles próprios é que são!!!

  17. Morei 30 anos no prédio ao lado do banco Santander,me mudei há um ano. saí de Copacabana amo esse bairro mas já estava perigoso,imagina agora.Estamos abandonados.Vergonha desses politicos.

  18. As pessoas tem que entender uma coisa; político está c*g4ndo e andando para com a população. Quando o povo entender que político não faz nada e sim quem faz é o povo, aí quem sabe esse país evolui. O povo daqui ainda vive uma escravidão/prisão, só que pior, é aquela psicológica.

  19. Não é só Copacabana, a Tijuca é um dormitório à céu aberto em várias ruas.Lixo por toda parte.À noite não podemos sair de casa.Os moradores de rua armados de facas, um verdadeiro caos.E os governantes nada fazem.Quando reclamamos dizem que não podem recolher essas pessoas porque elas tem documentos e a Comlurb não pode tirar o lixo deles porque os funcionários são atacados.À quem apelar?

  20. Como sempre, descaso !!!!
    E é daí pra pior.
    A culpa é nossa, enquanto estivermos dando dinheiro, comida e água pros moradores de rua, eles nunca sairão do bairro, pelo contrário, chegarão ainda em maior quantidade, qdo fazemos isso, estamos contribuindo para que não busquem seu próprio sustento ou arrumem um trabalho……pedir é mais fácil, trabalhar pra quê????

  21. É muita hipocrisia, se fosse um caminhoneiro ou qualquer trabalhador honesto, trabalhando a noite produzindo barulho, rapidamente apareceria um brabo de arma em punho para ameaçar o coitado, quando digo brabo eu me refiro a morador, um policial aposentado, da ativa ou até mesmo um morador que não é porra nenhuma mas é metido a brabo, pergunta que não quer calar, por onde andam esses ” BRABOS” moradores que se sentem a vontade em “ESCULACHAR” honestos trabalhadores?
    Eles não tomam atitudes com esses moradores de rua porque eles estão ali todos os dias e ficam com medo de replesarias, os trabalhadores vão uma vez ou outra , nem sempre são os mesmos.
    E tenho dito!!!

  22. Infelizmente isto é a ineficiência do “poder público”,sem contar o descaso com o pagador de impostos que paga um IPTU mais caro do estado, e tem em troca um bairro sitiado por marginais.
    Enquanto tivermos gestores que só pensam em politicagens e vantagens teremos um estado fraco e desorganizado.
    É muito simples resolver essa situação: primeiro com o controle dos materiais reciclados gerados pelo comércio local; onde a COMLURB venha recolher nós próprios estabelecimentos seus resíduos.
    Segundo a aplicações de multas para os mesmos em caso de descartes em vias públicas (tudo isso com fiscalização séria).
    Terceiro ação intensiva da guarda municipal +polícia para reprimir assaltos,flanelinhas, arrastões,etc.
    Tem como fazer ,mas como ouço há muitos anos… Isto não gera voto .A maior resposta que se pode dar a tudo isso é nas urnas , é o morador e eleitor cobrar com afinco as autoridades e os políticos.

  23. É inacreditável o que está acontecendo há 5 anos , em Copacabana. ABANDONADA! Muito triste a má gestão incompetente de todos os setores.
    Reciclagem de lixo na esquina da Av Nossa Senhora de Copacabana !!! Inacreditável ! Isso é criminoso com todos nós que pagamos caríssimo por tantos impostos!
    Rua Dias da Rocha tão agradavel …o que fizeram… e por que tanto descaso ? Por que ?????

  24. É sempre assim, em todo lugar. Os moradores vêm a primeira barraca ser montada, o primeiro metro quadrado ser desmatado, a primeira parede ser levantada, a primeira casa ser inadida e… não se pronunciam, não se movimentam, não cortam o mal pela raíz. Qdo a coisa toma proporções absurdas é que se dão conta do resultado de sua inércia, de sua, digamos, conivência com tais absurdos. Sim, conivência, pq quem cala, consente.

  25. Está assustador,andar em copacabana virou terra de ninguém, um bairro que vive do turismo em que os moradores pagam caro pra morar,deveriam ter o mínimo de zelo.Os moradores viraram refém dentro de suas casas,a barata Ribeiro da medo a noite.Falaram tanto do crivela, nenhuma melhora atual,ou seja Deus por todos e cada um por si.A avenida Brasil só obras inacabadas,muito triste por uma cidade tão linda.

  26. Não sei hoje. Mas no meu tempo ali morava Fux, família da vereadora Berger, Stanislau Ponte Preta, dezena de artista de TV, o General Lott morava ao lado da agencia do Jornal O GLOBO, foi a rua mais central e de elite na parte de dentro do bairro. Em frente tinha o Cine Copacabana, Cine Art-Palácio, Cine Metro, Lojas Polar calçados, enfim uma rua nobre e limpa. Não sei que ideia idiota foi essa de fechar a rua e criar um calçadão.

  27. Desculpa, mas Isso ai começou ainda c o Paes da primeira vez q assumiu a cidade e só veio piorando, lembro q eu comentava q nunca tinha visto o Rio tão largado como naquela época!! Mas agora tá pior do q nunca!!!

  28. Acredito plenamente que Copacabana sofre muito com tudo isso, porém, no Rio de Janeiro existem inúmeros bairros mais afastados do Centro, da Zona Sul e Barra da Tijuca que já sofriam e muito mais que Copacabana com isso e muito mais a anos e “ninguém” fala nada.
    Ouvi e vi muitas postagens na época das eleições municipais “saudades do meu ex” numa clara alusão ao que era o trabalho do então ex-prefeito Eduardo Paes, vieram as eleições municipais, Paes ganhou e a Paz não voltou. A culpa não era do Crivella? Vamos precisar ver acontecer mais o que pra acordarmos como povo e pedirmos seriedade no tratamento com nossa cidade? Até quando prefeitos, vereadores e outras “autoridades” vão fazer o povo de idiota? Até quando vamos ficar aceitando esmolas no lugar de serviços e melhorias de verdade? Até quando vamos nos comportar como os índios no início do nosso país, trocando riquezas por coisas fúteis?
    Acorda povo meu! Desperta Rio.

    • Verdade, Sr. Glauco. Esta degradação o subúrbio já viu há décadas e ninguém fala nada. Mas, como agora chega aos pés dos bacanas, vira esse auê. Quando chegar na Gal. Urquiza, na Borges de Medeiros ou na Delfim Moreira.. aí veremos o pessoal espumar pela boca.

      O ponto é que desordem urbana é assim: uma vez que ela começa, o gasto de energia para consertar é MUITO MAIOR que o gasto de energia necessário para ter mantido a área em ordem.

  29. Todos os bairros da zona sul estão sofrendo com esses descasos, principalmente Copacabana, Ipanema, Botafogo, Leblon… A questão dos moradores de rua e usuários de droga está insuportável, mas isso, é também culpa dos moradores pagadores de impostos que incentivam alimentando esses ‘desprivilegiados’ que se usam até de crianças e agora também de animais para tentar sensibilizar suas vítimas. Sim, somos vítimas disso tudo.
    E a administração municipal, incompetente, que deixa nossos bairros no abandono, quer revitalizar a região central com a promessa de tornar a área agradável para se morar. Qual seria o real interesse por trás dessas ações?
    O cheiro horrível que se dispersa pelas ruas do Rio também reflete a imundície do sistema!

  30. Triste realidade de um estado que a anos vem sendo saqueado por governantes corruptos que utilizam de nossos para benefício próprio . Quem paga por toda essa má administração são todas as classes e seria uma hipocrisia dizer para qualquer pessoa seja da classe que for ( pessoas pagadoras de seus impostos ), que elas tem que , aceitar e ou não reclamar pois o lixo que essas pessoas pegam ,são produzidos por eles .Eles produzem os lixos como todos nós produzimos, devemos reclamar sim, pois somos pagadores de impostos caros , pagamos taxa de lixo , taxa de iluminação pública ,pagamos salários milionário para políticos corruptos. E em troca recebemos o quê? Falta de uma boa administração pública, cadê o recolhido do lixo público, aonde estão os assistentes sociais que não tiram essas pessoas da rua . Ah ! Minha gente são tantas as mazelas que dá até tristeza e revolta de falar . Porque nesse país tudo pode , o cracudo está certo, aquela que te mata é uma vitima da sociedade…

  31. Isso é POLÍTICA,minha gente.Briga de cachorro grande.
    O Atual Prefeito do Rio.Inaugurou uma nova Construçao na Zona Portuária do Rio.Na maior alegria.
    Mas como Copacabana,está abandonada??Se o centro do Rio,está sendo revitalizado???
    É o ditado né…
    Destapa um Santo e tampa o outro…
    Mais ou menos assim…Amo meu Rio.
    Tristeza em ver essa situaçao.
    Copacabana linda e maravilhosa entregue as moscas.

  32. Falavam tanto do Crivela, e agora o Rio e Janeiro está largado, na época dele as ruas eram mais limpas , aqui na Ilha do governador a rua era limpa dia sim dia não, agora tudo sujo é raro ver ruas limpas e os buracos muitos , a tijuca está largada, avenida Brasil, nem se fala, o Rio está largado de vez, é o IPTU,IPVA, para onde foi???

  33. Porque vocês não resolvem o problema? Bolsonaro deu a chance de quem quiser se defender poder fazê-lo de igual pra igual mas a esquerdice do caralho entranhada nas suas mentes politicamente imbecilizadas não permite a defesa do patrimônio privado que dirá a rua que é publica.

  34. Então as classes C, D e E defecam com cheirinho de eucalipto (ou não defecam, porque não comem)? É isso? Não sei se rio ou se choro com essa postagem… Talvez fosse bom você conversar com um amigo ou familiar. Na boa! Boa

    • Atingi o objetivo! Irritar ignorantes elitistas como você que tem um cognitivo tão primitivo que não consegue interpretar o que lê. Gente como você é que ajudam a multiplicar essas fétidas desigualdades sociais. Fez em mais que o cheiro do chorume que exalam pelas nossas veredas e cidadelas.

  35. Nada mais é do que os próprios dejetos das classes privilegiadas, A – B, que ao serem processados pelos trabalhadores, das classes desfavorecidas, D – E, para serem reciclados e reindustrializados pela classe trabalhadora especializada, C, exalam os odores ocultos de suas origens penetrando ardilosamente em seus seletivos narizes.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui