Por André Delacerda 

Estes dias, estou com uns amigos de fora do Rio aqui passando férias na cidade. Então, estou fazendo as honras da casa carioca, os levando para conhecer e vivenciar o Rio em sua plenitude. Um dos meus amigos todo o verão está aqui. Sempre buscamos sair para comer em um lugar diferente quando resolvemos comer fora de casa.

 

Certa vez, no último verão, fomos a um quiosque no Posto 10 no Recreio após o surf, e pedimos uma picanha. Quando o prato foi servido, foi um susto, pois era só um pouco de picanha na chapa, com acompanhamento de feijão, arroz e farofa, uma salada e o vinagrete.

 

Quando estávamos nos preparando para pedir mais, pois estávamos em um grupo de quatro pessoas e aquela porção não saciaria a nossa fome, fomos pegos de surpresa, com mais uma chapa repleta de picanha. Foram três chapas, e o melhor. Adivinhem o preço? Menos de 30 reais. Espero que o preço ainda esteja o mesmo lá.

Na última quinta-feira saímos para procurar um restaurante aqui em Ipanema, não queríamos nem boteco, nem repetida comida a quilo, nem os formais que se encontram em quase todos os quarteirões do bairro.

Foi quando meu amigo se lembrou de um galeto que comera da última vez.

 

Fomos caminhando pela Rua Visconde de Pirajá até a Rua Farme de Amoedo, e ali estava o restaurante de esquina com suas mesas na calçada repletas de gente.

 

Só nos restou comer no balcão. A principio você pode pensar, melhor seria comer nas mesas com maior conforto. Também pensei assim.

 

Porém, pude constatar que o charme do local era comer no balcão, solicitar ao atendente e ver as comidas passando a sua frente no vai e vem. E o balcão estava muito disputado. Por sorte um rapaz topou trocar de lugar conosco, sentando um pouco mais a frente na seqüência do balcão, o que possibilitou acomodarmos o grupo todo junto. A boa gentileza carioca.

 

Gallito  No cardápio, pratos econômicos, que tem como carro chefe um galeto, que dar nome ao local – Galitos Grill -; que é servido com complementos que podem variar desde o arroz branco, farofa e fritas, também há opção de talharim e arroz com brócolis.

 

Minutos depois os atendentes já estavam trazendo nossos pratos. Ah! Ia me esquecendo, você diz ao atendente o código que consta no cardápio, exemplo 504, 506, etc…quando você solicitar o prato. Eu pedi o 506, se não me engano, que é galeto com arroz, farofa e fritas, e para beber, um suco de mamão, já que carioca é assim, presa a saúde.

 

O galeto é bem macio, gostei muito, a farofa estava muito bem feita, não estava gordurosa, as fritas também no ponto. A porção de arroz que não é tão grande, mas dá, quando se somar aos demais complementos.

 

O restaurante tem um comprido e sinuoso balcão vermelho, que remete a algo bem despojado, bem a cara e o jeito de ser carioca.

 

Para quem procura um bom preço em Ipanema, que tem a fama de ser um bairro caro, certamente aquele balcão, ou melhor, restaurante é o local. Pois, pode-se comer os pratos mencionados por 9 reais e alguns centavos durante a semana.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui