Por André Delacerda

 

Bacalhau da Mamãe por Paris NetoNavegar é preciso… Já diziam os versos do poeta Fernando Pessoa. E assim os lusitanos chegaram a terras brasileiras, e em terras cariocas nos presenteando com dezenas de iguarias da culinária portuguesa.

O tradicional bacalhau, doces sensacionais, a sardinha frita, hum que delicia. O azeite que nos traz saúde, e é claro o bom vinho do Porto.

 

Tem o pão, santo pão de cada dia. Que nas mãos de padeiros portugueses ganharam o paladar do carioca.

 

O Rio tem uma grande e simpática colônia portuguesa, que além de inúmeras tradições e costumes que nos foram transmitidas, também enchem nosso paladar de sabor. A forte ligação se consolidou com a chegada da Família Real há 200 anos.

Dizem as boas línguas, que os melhores restaurantes portugueses fora de Portugal estão no Rio de Janeiro, segundo melhor prato de bacalhau do mundo, pois… pois.

 

Vamos tentar desvendar neste post, alguns dos segredos da culinária portuguesa no Rio. Vou começar pelo pão, em quase todo bairro carioca tem uma padaria de um português, quem não conhece uma. Aqui na Zona Sul têm várias. Mas eu destaco uma das inúmeras que conheço, a padaria Eldorado, que não aderiu as modernidades das demais, e continua com seu jeito português de ser, inclusive, um dos seus donos ainda atende no caixa. O pão da Eldorado é de uma fartura que não existe igual, e melhor, com o mesmo preço das demais.

 

Antiquarius Vamos navegar agora rumo aos restaurantes. Segundo o blog da Embaixada de Portugal, o chic restaurante Antiquarius no Leblon é considerado o melhor restaurante de culinária portuguesa do Rio, além das tradicionais receitas da terrinha, tem boa carta de vinhos.

 

Outro destaque, dessa vez no bairro imperial de São Cristóvão, é o restaurante Adegão Português, que nos seus 42 anos, recebeu figuras ilustres como o ex-presidente Juscelino Kubitschek. O forte do Adegão são os pratos à base de peixes e frutos do mar, mas encontram-se carnes de caça como Perna de Cordeiro à Transmontana. Se não me engano, eles têm uma filial na Barra.

 

E quem disse que português não tem ginga, tem sim senhor. Aqui no Rio sabor português dar samba. A prova disso é a querida Escola de Samba Unidos da Tijuca que tem fortes laços portugueses e promove sempre uma bacalhoada na sua quadra. Sim, bacalhau ao invés de feijoada. Lá pode-se provar também o bacalhau da diretoria, quem já comeu diz que é de lamber os beiços.

 

Aprumando a nossa caravela rumo aos mares de Copacabana, aportamos no restaurante Alfaia, localizado em uma simples, mas confortável casa. O destaque vai para o delicioso “bacalhau patuscada”, que é preparado com alho dourado, brócolis cozido, batata cozida, ovos e azeitona preta, ou grelhado com cebola e pimentão vermelho, batata assada, ovos, azeitona e molho de alho. Quem freqüenta a casa, diz que o segredo é pedir sempre o prato do dia, é acerto na certa.

 

Bolinho de Bacalhau por Renata F Oliveira Voltando-se mais para a Zona Norte do Rio, tem-se O Rei do Bacalhau, que possui várias filias espalhadas pela cidade, com destaque a da Tijuca e a casa matriz da rede que fica no bairro do Encantado, também na Zona Norte. A especialidade desta casa de culinária portuguesa, são os tão procurados bolinhos de bacalhau, sem comentários, pois já deu água na boca.

 

Ainda sobre os deliciosos bolinhos, Quintino, em um post nos indicou o Bartekim, um bar na Freguesia (Jacarepágua) que segundo o mesmo tem um excelente bolinho de bacalhau.

 

Para quem curte ir ao Centro do Rio, lá há inúmeros restaurantes portugueses, certamente você vai encontrar um, ainda mais inspirado por prédios que nos remontam a terras lusitanas.

 

Ah! Em outro post aqui no Diário do Rio, comentei quando da nossa ida ao Blog Camp Rio de Janeiro, que ocorreu este ano no bairro da Tijuca; sobre uma pensão de donos portugueses que conheci. A casa é bem simples, mas serve uma fritada de bacalhau nota 10. Para quem quiser dar uma conferida, a casa se chama Flor da Uruguai, acho que é esse o nome que vi pintando em um azulejo na parede.

 

Não poderia encerrar este post, sem falar dos doces português. Estes, nasceram em centenários conventos de Portugal há quase quinhentos anos. Séculos depois atravessaram o mar para encantar nosso paladar. Quem quiser conferir a doçura lusitana no Rio, tem que ir a tradicional Confeitaria Colombo no Centro. Ali o preferido é o famoso pastel de belém, mas também destacam-se toucinho do céu e os ninhos de ovos.

 

Quem tiver alguma dica para que nossos leitores possam desbravar os sabores da tradicional culinária dos nossos patrícios, fica aqui o espaço para deliciosos comentários.

 

Fotos: Bacalhau da Mamãe por Paris Neto

Antiquarius (retirado do Google Images)

Bolinho de Bacalhau por Renata F Oliveira

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui