VLT carioca

O Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) ligará Centro e Região Portuária em 28 Km e 32 paradas. A ideia do projeto é fortalecer o conceito de transporte público integrado no Rio de Janeiro. O VLT funcionará 24h por dia, sete dias por semana. O sistema terá capacidade de transportar 300 mil passageiros por dia. Isso são informações gerais. Entre outras novidades.

Para início de conversa, uma “fixa” do Veículo: Os trens do VLT possuem 3,82 metros de altura, 44 metros de comprimento por 2,65 metros de largura, com capacidade para 420 passageiros. Os trens serão bidirecionais e compostos, cada um, por 7 módulos articulados. Cada VLT é equipado com 8 portas por lateral. As primeiras cinco unidades do VLT foram construídas na França. Os demais 27 trens serão construídos no Brasil, a partir de transferência de tecnologia do fornecedor. As primeiras unidades em construção são essencialmente iguais às que estão em atividade hoje em Bordeaux, na França, contando com tecnologia mais moderna.

Entre as citadas novidades está a forma como será cobrada a passagem para andar no VLT. O pagamento da passagem, no valor de R$ 3,80, será feito por cartões que serão validados voluntariamente pelos passageiros em máquinas instaladas no interior do VLT. O consórcio VLT Rio terá equipes de fiscalização no transporte com máquinas que vão consultar a validação do bilhete dos usuários. Está prevista multa de R$ 170 para quem for flagrado no VLT sem pagar passagem. Agentes públicos darão apoio à fiscalização na aplicação de multas. Esse tipo de sistema é inédito no Brasil.
Pao-do-Ouvidor

Quem não precisa ser apresentado para a população carioca é o Shopping Paço do Ouvidor. A qualidade do local já é conhecida de todos. Passa no Paço! É sempre uma grande escolha.

De acordo com informações oficiais, o Veículo Leve sobre Trilhos terá muitos pontos positivos, sobretudo considerando a mobilidade urbana, o conforto da população:

Em operação plena, o VLT será um importante legado para a população carioca. O novo modal disponibilizará à população e aos visitantes uma alternativa de mobilidade urbana inovadora e moderna no Centro e na Zona Portuária, regiões com grande vocação turística (cultural e gastronômica), além de criar um sistema que integra o centro financeiro e o corredor cultural aos demais modais. A região possui centro histórico, museus, teatros, bares, restaurantes, hotéis, prédios comerciais e casas de shows nos bairros da Gamboa, Santo Cristo, Saúde e Centro. Com a facilidade de acesso, tais estabelecimentos poderão ter seus negócios impulsionados, além do estímulo ao desenvolvimento residencial da localidade. No que se refere à acessibilidade, o novo sistema terá estações e pontos de parada dotados de plataformas acessíveis a todos os usuários de forma fácil, segura e confortável. As plataformas contarão com linha de piso tátil (próprio para portadores de deficiência visual) em toda a sua extensão e rampas de acesso suaves e antiderrapantes”, informou Angélica Fernandes, da assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Transportes.

VLT Rio

O transporte público no Rio de Janeiro é frequentemente criticado. Sempre há o que melhorar. Em alguns casos, muito deve ser feito. O VLT também precisa de alguns ajustes, principalmente na consolidação de algumas tecnologias que serão usadas na versão carioca desse meio de transporte existente em outras cidades.

O VLT Carioca foi inspirado em modelos de outras cidades, como Barcelona, Montpelier, Valencine e Bordeaux. No entanto, o VLT do Rio é um dos primeiros do mundo sem uso das catenárias, que são os cabos aéreos para captação da energia elétrica. O fornecimento se dará com a Alimentação de energia Pelo Solo (sistema APS). É uma alternativa considerada limpa, já que utiliza um sistema próprio de transmissão, contribuindo para a redução da emissão de poluentes. A energia é proveniente de um terceiro trilho, instalado entre os trilhos de rolamento do veículo, cuja alimentação ocorre apenas no trecho sob o trem. Além disso, as composições dispõem de um supercapacitor embarcado (como se fosse uma bateria), que recebe energia da rede e pode ser recarregado por meio da energia absorvida no processo de frenagem do trem”, contou Angélica Fernandes.

VLT

Essa troca com cidades estrangeiras também está sendo aplicada aos condutores do VLT. Para guiar os trens, atualmente há 28 profissionais em fase final de treinamento e habilitação. Alguns, inclusive, conduzindo durante os testes já iniciados. Outras duas turmas em início de treinamento formarão mais 40 profissionais. O curso de formação tem duração total de sete meses. As duas turmas iniciais realizaram treinamento na França, no centro da RATP, empresa responsável pela operação do metrô e VLT em Paris.

Segundo a prefeitura, o primeiro trecho do VLT – que vai ligar a Rodoviária Novo Rio ao Aeroporto Santos Dumont – terá 18 paradas, uma estação e será entregue neste primeiro semestre, visando as Olimpíadas.

Mapa do VLT do Rio

Esse primeiro trecho terá as seguintes paradas: Rodoviária, Equador, Cordeiro da Graça, Pereira Reis, Vila Olímpica, Santo Cristo, Cidade do Samba, Gamboa, Utopia, Navios, Museus, São Bento, Candelária, Sete de Setembro, Carioca, Cinelândia, Antônio Carlos, Santos Dumont e uma estação (também chamada de Rodoviária). Já o segundo trecho, com 12 paradas, será entregue no segundo semestre.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui