Com a inelegibilidade de Garotinho declarada pelo TSE baseada na Lei da Ficha Limpa semana passada, era esperada algumas mudanças no processo eleitoral, mas tirando o óbvio, a subida de Romário (Podemos) e aumentar as suas chances de ir ao 2º turno, não houve grandes mudanças no quadro eleitoral. Garotinho tinha 16% de acordo com o último Ibope com seu nome.

O líder continua Eduardo Paes (DEM) que subiu de 25% para 26%, já o ex-jogador Romário, chegou ao melhor percentual de intenção de votos e foi o maior beneficiado com a saída de Garotinho, chegando a 19%, mas tinha 16% no Ibope de 25/9. O que acontece é que ele estava em viés de queda, e já estava sendo superado pelo não mais candidato do PRP. Se for ao 2º turno, vai ter de agradecer muito ao TSE.



Indio da Costa (PSD) subiu 4 p.p. com a saída de Garotinho e chegou a 10%, mas manteve-se na mesma posição, só que agora em 3º. Ouso dizer que se não tivesse ido tão mal no debate da Globo, onde virou alvo dos outros candidatos, poderia aproveitar que Romário voltou a mostrar sua incapacidade e subir nas próximas pesquisas. Como não foi esse o caso, é torcer que o eleitorado tenha enxergado a inabilidade política e, provavelmente, administrativa do ex-jogador.

Talvez o ex-juiz federal Wilson Witzel (PSC) tenha sido, depois de Romário, o maior beneficiário da saída de Garotinho e subiu de 4% para 7% e passou Tarcísio Motta (PSol) que manteve seus 6%, indo para o 4º lugar. Infelizmente par ao candidato a conservador, é quase inviável que ele consiga ganhar o número de votos necessários para ir ao 2º turno.

Outra má notícia para Tarcísio, é que viu a candidata do PT, Marcia Tiburi, subir e encostar nele, ela saiu dos 3% e chegou aos 5%. Claro que isso não é nada, mas se passar mostra que o PSol ainda não pode fazer no estado o mesmo que fez no Rio, substituir o PT no espectro da esquerda.

Enfim, ao que parece, a inelegibilidade de Garotinho só beneficiou realmente Romário, que mesmo indo mal em todos os debates e na entrevista do RJ Tv, pode conseguir ir para o 2º turno. Mas, se manter a mesma forma de fazer campanha e de falar, sorte de Eduardo Paes, que vê o Palácio Guanabara cada vez mais próximo, já que o resultado seria de Paes 40% x Romário 33% (branco/nulo: 23%; não sabe: 3%)

O resultado completo:

  • Eduardo Paes (DEM): 26%
  • Romário Faria (Podemos): 19%
  • Indio (PSD): 10%
  • Wilson Witzel (PSC): 7%
  • Tarcísio Motta (PSOL): 6%
  • Marcia Tiburi (PT): 5%
  • Pedro Fernandes (PDT): 3%
  • Marcelo Trindade (Novo): 2%
  • André Monteiro (PRTB): 1%
  • Dayse Oliveira (PSTU): 1%
  • Luiz Eugenio (PCO): 0%
  • Brancos/nulos: 15%
  • Não sabe/Não respondeu: 5%

Apenas com os votos válidos:

  • Eduardo Paes (DEM): 33%
  • Romário Faria (Podemos): 24%
  • Indio (PSD): 13%
  • Wilson Witzel (PSC): 9%
  • Tarcísio Motta (PSOL): 7%
  • Marcia Tiburi (PT): 6%
  • Pedro Fernandes (PDT): 3%
  • Marcelo Trindade (Novo): 2%
  • André Monteiro (PRTB): 1%
  • Dayse Oliveira (PSTU): 1%
  • Luiz Eugenio (PCO): 1%

Rejeição:

  • Eduardo Paes: 34%
  • Romário Faria: 33%
  • Indio: 22%
  • Marcia Tiburi: 19%
  • Tarcísio Motta: 14%
  • Pedro Fernandes: 11%
  • Marcelo Trindade: 10%
  • André Monteiro: 10%
  • Dayse Oliveira: 10%
  • Luiz Eugenio: 9%
  • Wilson Witzel: 8%
  • Poderia votar em todos (esp.): 4%
  • Não sabe/não respondeu: 14%

E o histórico:

Ibope (20/8)Datafolha (22/8)Datafolha (6/9)Ibope
(10/9)
Ibope
(19/9)
Datafolha (20/9)Ibope
(25/9)
Datafolha
(28/9)
Ibope
(3/10)
Eduardo Paes12%18%24%23%24%22%24%25% 26%
Romário14%16%14%20%18%14%16%14%19%
Garotinho12%12%10%12%12%12%16%15%
Indio da Costa3%5%5%4%4%6%6%8%10%
Wilson Witzel1%1%1%1%2%4%4%4%7%
Tarcísio Mota5%5%7%5%4%7%4%6%6%
Marcia Tiburi2%2%2%2%2%3%3%3%5%
Pedro Fernandes2%3%3%2%2%2%2%2%3%
Marcelo Trindade1%2%1%1%1%1%2%1%2%
André Monteiro1%1%1%1%1%1%1%1%1%
Dayse Oliveira1%1%1%1%1%1%1%0%1%
Luiz Eugênio1%1%1%0%1%0%0%1%0%

A pesquisa Ibope, contratada pela TV Globo e pelo GLOBO, ouviu 2002 eleitores fluminenses entre os dias 30 de setembro e 2 de outubro. A margem de erro é de 2%, e tem Registro no TRE: RJ-04634/2018 e Registro no TSE: BR-02726/2018. O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro. 0% significa que o candidato não atingiu 1%.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui