Sambódromo do Rio de Janeiro - Foto: Reprodução/Internet

Depois de muito ‘disse-me-disse’, ao que parece, o Governo do Estado vai mesmo assumir o comando do Sambódromo – que atualmente é administrado pela Prefeitura -, e isso acontecerá já para o Carnaval 2020.

Segundo informações do jornal ”O Globo”, o acordo, já firmado entre o prefeito Marcelo Crivella e o governador Wilson Witzel, será assinado na próxima sexta-feira (08/11). Apenas o Setor 11 será mantido sob responsabilidade da Riotur.

Ainda de acordo com as informações, o estado devolverá o montante de R$ 8,1 milhões, dinheiro este que a Prefeitura vai investir numa reforma, que começa na terça-feira (05/11) e deve terminar somente em janeiro. A verba procede das economias da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) e será cedida ao governo estadual.

Apesar do Sambódromo passar para o comando do Governo do Estado, a Procuradoria-Geral do Município (PGM) afirmou que a Prefeitura, como prevê a lei, continuará responsável por administrar o Carnaval carioca.

O cronograma de obras foi definido em reunião realizada nesta quinta-feira (31/10), por representantes de órgãos municipais, como RioUrbe, Rioluz e a Riotur, para que seja ocorra a liberação dos recursos pela Secretaria de Fazenda. As obras serão feitas por empresas licitadas pela Prefeitura.

Segundo licitação da RioUrbe, o Sambódromo passará pelas seguintes intervenções:

  • Restauração de guarda-corpos das arquibancadas, gradis, alambrados e portões;
  • Recuperação dos degraus das arquibancadas (piso e espelho);
  • Aplicação de Sikagrout (tipo de argamassa que precisa somente de adição de água) em trechos deteriorados;
  • Pintura completa das faces superiores (piso e espelho) e parcial das faces inferiores das arquibancadas, pilotis e entre lajes;
  • Pintura antipichação nas áreas de pilotis e entre lajes;
  • Preenchimento das juntas de dilatação das arquibancadas dos 13 setores;
  • Restauração das estruturas das lajes e degraus de todos os setores, com retirada da camada de capeamento das regiões afetadas;
  • Apicoamento (remoção de reboco), tratamento das armaduras com Sikatop-108, aplicação de resina acrílica de aderência, e recomposição das áreas tratadas com argamassa de recuperação estrutural aditivada com resina acrílica e sílica ativa;
  • Confecção de degraus intermediários faltantes de circulação das arquibancadas e eventual recomposição dos degraus existentes;
  • Adaptação de acessibilidade em todas as estruturas do Sambódromo;
  • Adequação às normas de segurança do Corpo de Bombeiros (como rotas de fuga e sistemas de combate a incêndio e pânico);
  • Restauração, feita pela Rioluz, de todo o sistema elétrico;
Sambódromo do Rio – Foto: Reprodução/Internet

De acordo com Marcelo Alves, presidente da Riotur, o Sambódromo é palco não apenas de desfiles de escola de samba, mas também de shows e eventos de porte internacional (já passaram por lá artistas como Bruno Mars, Justin Bieber, Guns N’ Roses, Nirvana, Red Hot Chili Peppers, entre outros).

Na opinião dele, o Sambódromo é uma importante e atrativa área da cidade, que precisa ser modernizada para oferecer mais conforto, segurança e aprimorar a experiência dos espectadores, sempre respeitando e se adequando às exigências do Corpo de Bombeiros e do Ministério Público.

1 COMENTÁRIO

  1. Está aí algo que merecia ser privatizado…
    Quanto de recursos a Prefeitura ganhava? Nenhum tostão, e ainda tinha que colocar os serviços na avenida…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui