Foto: Reprodução/Internet

O Setor de Estudos e Pesquisas do Procon Estadual do Rio de Janeiro está lançando um conjunto operacional de informações, com o intuito de orientar e prestar educação financeira aos consumidores. Dando início a esse projeto, o setor realizou uma pesquisa sobre taxas de juros pré-fixadas para pessoas físicas nos principais bancos no período de 3 a 7 de junho de 2019.

A coleta de dados foi obtida com o Banco Central, que disponibiliza os estes dados de variadas instituições financeiras, como Santander, Safra, Itaú, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e Bradesco.

As taxas de juros pré-fixadas são aquelas que possuem definição prévia do valor, ou seja, ela permite que o consumidor tenha conhecimento, em sua data de contratação, sobre o exato valor de todas as parcelas a serem pagas, pois elas permanecem fixas por todo o contrato.

Os juros médios do cartão de crédito estão entre os que são afetadas pelas taxas de juros pré-fixadas. Segundo divulgado pelo Banco Central, o juro médio do cartão de crédito rotativo para pessoa física já iniciou 2019 com aumento. De dezembro de 2018 para janeiro de 2019, ele subiu de 285,4% ao ano para 286,9% ao ano. Também foi observado aumento na taxa média de cheque especial. Em dezembro de 2018, a taxa anual foi de 312,6%, enquanto que em janeiro de 2019 a taxa foi para 315,6%. Um dos motivos apresentados para influenciar esse aumento de juros cobrados pelos bancos é a taxa de inadimplência.

É importante ressaltar que o Comitê de Política Monetária do Banco Central (COPOM) realizou reunião nos dias 18 e 19 de junho, decidindo pela manutenção da taxa Selic em 6,5% ao ano, que permanece nesse valor desde março de 2018.

Nesse contexto, durante o período de 3 a 7 de junho de 2019, foram encontradas variações de até 351,94% entre os menores e maiores valores de uma mesma taxa de juros pré-fixada para pessoa física nos bancos avaliados no comparativo. Nele se destacaram para os menores e maiores valores, os seguintes resultados:

Aquisição de Outros Bens
Menor taxa: Banco Santander – 1,04%
Maior taxa: Banco do Brasil – 3,76%

Cartão de Crédito Parcelado
Menor taxa: Safra – 5,92%
Maior taxa: Caixa Econômica – 8,6%

Cartão de Crédito Rotativo Regular
Menor taxa: Banco do Brasil – 8,78%
Maior taxa: Bradesco – 12,73%

Cheque Especial
Menor taxa: Caixa Econômica Federal – 11,92%
Maior taxa: Banco Santander – 14,76%

Crédito Pessoal Não-Consignado
Menor taxa: Safra – 1,29%
Maior taxa: Bradesco – 5,83%

Sendo assim, é importante ressaltar que o consumidor fique atento. Em decorrência da elevação dos juros, escolher a alternativa que melhor condiz com a sua realidade financeira é um importante fator que poderá impedir problemas futuros. Veja o levantamento de taxas praticadas pelos bancos pesquisados aqui.

Vale lembrar que o Procon-RJ não se responsabiliza pelos juros informados, que refletem o valor praticado no momento da coleta. Estes podem sofrer variações para mais ou para menos como passar do tempo.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui