Foto: Dionísio Tremura

Com a mudança da capital para o Rio de Janeiro em 1763, todos os “flancos cariocas” passaram a ter necessidade de melhor defesa e sem dúvida a ponta de Sacopenapã  era ponto privilegiado para se estabelecer essa proteção.

Só após a Independência em 1822, com receio de invasão espanhola, o local foi “fortificado”, visando recepcionar com “carinho especial” os possíveis “não convidados”. Como estes não se “apresentaram”,  os equipamentos “fortificantes” foram transladados para outras bases.

Com a reviravolta  Monarquia/República, os ares voltaram a ficar constantemente tensos e a preocupação com a defesa dos “flancos cariocas” voltou à baila, sendo que agora mais encorpada pois os possíveis “não convidados” não precisariam cruzar oceanos nem fronteiras pois já estavam dentro delas.

Finalmente em 1908 foram iniciadas as obras e em 28 de setembro de 1914, o Marechal Hermes da Fonseca “assinou a certidão de nascimento” da, até hoje, mais simpática e querida edificação militar carioca, o FORTE DE COPACABANA.

O local foi palco de inúmeros eventos marcantes de nossa história;  A revolta Tenentista  conhecida popularmente como “Os 18 do Forte”(1922);  Serviu de prisão (1930) para ex- presidente;  Em 1964 abrigou a reunião que decidiu, na madrugada de 1º de abril, a deposição do presidente João Goulart.

Em 1987 ao trocar as funções e atividades bélicas por atividade cultural/educativa, inaugurando seu Museu Histórico do Exército e passando a oferecer à população em geral uma fantástica opção turística, educativa e de lazer, transformou-se em um dos mais charmosos  point’s da nossa maravilhosa cidade,  RIO Arquitetura Mundial !

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui