Foto: Reprodução

O Sebrae-RJ realizou em novembro de 2020, um levantamento que aponta pelo quarto mês consecutivo, o estado do Rio de Janeiro apresentou saldo positivo de empregos, considerando todos os portes de empresas. Com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), as micro e pequenas empresas foram responsáveis pela criação de 78% dos empregos formais com carteira assinada no período.

Ao todo 25.777 vagas foram preenchidas, um aumento de 60% quando comparado ao mês de outubro de 2020 e de 76% em paralelo a novembro de 2019. Esse é o melhor resultado para novembro da série histórica iniciada em 2007.

As micro e pequenas empresas de 83 municípios do estado apresentaram saldo líquido de empregos positivo, com destaque para o Rio de Janeiro que teve 11.866 vagas. Já em Duque de Caxias foram 1.797, Niterói 1.275, São Gonçalo 1.003, Nova Iguaçu 902 e Volta Redonda 823 empregos cada.

Felipe Antunes, analista do Sebrae-Rio, as micro e pequenas empresas estão recuperando o mercado formal de trabalho. “O Rio de Janeiro apresentou o terceiro maior saldo líquido de empregos do país. Os fatores que mais contribuíram para essa recuperação foram a retomada gradual das atividades econômicas, o programa emergencial do governo federal para manutenção do emprego e renda, além do uso mais intenso dos canais digitais, principalmente por parte do comércio”, afirma o analista.

Entre os meses de julho de 2020 a novembro 2020, as micro e pequenas empresas fluminenses conseguiram recuperar 71% das vagas perdidas, em comparação com os seis primeiros meses do ano passado. A maior quantidade de empregos formais foi ofertada pelo setor de comércio com 2781 vagas ocupadas pelo comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios, seguido do comércio varejista de calçados com 1460 vagas. Já os restaurantes e similares contrataram 1417 pessoas e os supermercados preencheram 971 vagas.

Diante deste resultado, o comércio varejista conseguiu recuperar as vagas fechadas entre os meses de março de 2020 a julho de 2020. Durante esses meses foram perdidas mais de 22 mil vagas. Já no acumulado do segundo semestre (agosto a novembro de 2020) foram abertas mais de 23 mil novas vagas. Os restaurantes e similares recuperaram apenas 26% das vagas perdidas no mesmo período.

Costa do mar, do Rio, Carioca, da Zona Sul à Oeste, litorânea e pisciana. Como peixe nos meandros da cidade, circulante, aspirante à justiça - advogada, engajada, jornalista aspirante. Do tantã das avenidas, dos blocos de carnaval à força de transformação da política acreditando na informação como salvaguarda de um novo tempo: sonhadora ansiosa por fazer-valer!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui