Na próxima quinta-feira (28/01) a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento realiza o Encontro dos Municípios da “Rota da Laranja”. O evento será em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, com a participação da Emater-Rio e da Pesagro-Rio, empresas vinculadas à pasta, e tem o apoio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento-MAPA e da Associação dos Citricultores e Produtores Rurais de Tanguá-ACIPTA.

O Estado vem fomentando o crescimento e a revitalização da citricultura, que tem se destacado pela sua qualidade. Além disso, a produção movimenta outras atividades econômicas, como o turismo, por exemplo. Encontros como esse são fundamentais para fortalecer a integração entre os municípios, trocar conhecimentos e aprimorar a nossa produção interna – afirmou o secretário de Agricultura, Marcelo Queiroz.

A Rota é formada pelos municípios de Araruama, Rio Bonito, Tanguá e Itaboraí. O encontro vai apresentar as experiências de sucesso aplicadas nas cidades, o trabalho para a recuperação da produção de cítricos, além de discutir quais os próximos passos do setor, um dos mais importantes para a economia do Estado do RJ.

As quatro cidades têm cerca de 605 produtores de laranja que colheram mais de 64 mil toneladas do fruto em 2020, gerando uma renda bruta para os produtores acima dos 88 milhões de reais.

Indicação Geográfica (IG)

Um dos assuntos discutidos no encontro será a Indicação Geográfica da produção de Laranjas. O Estado do Rio de Janeiro pode ser o primeiro estado do Brasil a adotar a denominação de origem do fruto como diferencial de qualidade gastronômica. O sabor diferenciado da fruta produzida na região vai garantir aos produtores um selo emitido pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi), comprovando sua qualidade única e sua origem.

O processo pela adoção da IG é uma ação conjunta do MAPA por meio da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa; da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento; da Emater-Rio; da Pesagro-Rio; da ACIPTA; e das prefeituras de Tanguá, Itaboraí, Rio Bonito e Araruama.

A Indicação Geográfica serve para identificar a origem de um produto ou serviço quando certa característica ou qualidade se deve ao local onde é produzido. Com sua emissão, preserva-se as tradições locais e se torna possível marcar a diferença de outros produtos similares, além de intensificar seu acesso a mercados.

2 COMENTÁRIOS

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui